Acredite em si próprio, e caminhe para o êxito. É comummente aceite que as pessoas auto-confiantes têm qualidades e características que todos nós admiramos. A auto-confiança é extremamente importante praticamente em todos os aspectos da nossa vida, no entanto muitos de nós lutamos para a encontrar. Tristemente, isto pode tornar-se um ciclo vicioso. As pessoas com falta de auto-confiança podem encontrar neste ciclo os obstáculos e dificuldades para serem bem sucedidas.

Muitos de nós somos relutantes em apoiar um projecto que está a ser desenvolvido por alguém que está constantemente nervoso, atrapalhado e com necessidade de elogio constante. Por outro lado, a grande maioria de nós somos persuadidos por alguém que fala claramente, que tem uma postura activa e decidida, que responde a perguntas com toda a certeza, e que consegue admitir publicamente quando não sabe algo.

As pessoas auto-confiantes inspiram confiança nos outros: o seu público, seus colegas, seus patrões, seus clientes, e seus amigos. Ganhar auto-confiança, assim como a confiança dos outros é uma das principais vias para sermos bem sucedidos na nossa vida.

A boa notícia é que a auto-confiança pode realmente ser aprendida e construída. E, se você estiver trabalhando na sua própria auto-confiança ou a construir a confiança das pessoas ao seu redor, esse esforço será certamente recompensado. Todos nós enquanto seres humanos, necessitamos de nos sentir competentes, eficazes e confiantes, face a algo ou às nossas capacidades. Estes sentimentos permitem que nos coloquemos num estado de elevados recursos, corpo e mente ficam sintonizados para construir uma resposta adequada ao desafio a enfrentar ou a resolver. Como é que acha que conseguiria atingir ou fazer algo na sua vida, se constantemente tivesse alguém no seu ouvido a transmitir ideias de incapacidade, palavras depreciativas acerca de si e das suas capacidades e habilidades? Bem não seremos nós próprios na maioria das vezes a ser esse “sabotador” daquilo que queremos realizar? Concordarão certamente comigo, que sim. Somos nós o nosso maior sabotador da auto-confiança.

Quão confiante parecerá aos outros? O Seu nível de auto-confiança pode evidenciar-se de várias maneiras: o seu comportamento, a sua linguagem corporal, a forma como você fala, o que você diz, e assim por diante. Olhe para as seguintes comparações de comportamento confiante comum com o comportamento associado à baixa auto-confiança. Que pensamentos ou acções você reconhece em si mesmo, assim como as pessoas ao seu redor?

Como você pode verificar com os exemplo descritos, a baixa auto-confiança pode ser auto-destrutiva, e muitas vezes manifestar-se com negatividade. As pessoas auto-confiantes são geralmente mais positivas, acreditam em si mesmos e nas suas habilidades, acreditam ainda na capacidade que possuem para viver a vida de forma satisfatória.

O que é que entende por auto-confiança?

Duas coisas principais contribuem para a auto-confiança: A auto-eficácia e a auto-estima. Nós ganhamos um senso de auto-eficácia, quando nos vemos a nós mesmos (e outros semelhantes a nós) no domínio das habilidades que possuímos e a alcançar metas que necessitam dessas mesmas habilidades. Esta é a confiança, que se aprende quando trabalhamos duro numa área em particular, e acreditamos que vamos conseguir, e é este tipo de confiança que leva as pessoas a aceitar desafios difíceis, e a persistir diante de reveses e dificuldades. Isso coincide com a ideia da auto-estima, que é um sentido mais geral que podemos lidar com o que está acontecendo nas nossas vidas, e que temos o direito de ser felizes. Em parte, isso vem de um sentimento que as pessoas ao nosso redor reforçam face à nossa maneira de ser, que podemos ou não ser capaz de controlar. No entanto, também vem da sensação que temos de nos estarmos a comportar de forma virtuosa, que somos competentes no que fazemos e que podemos e somos capazes de bons desempenhos quando nos desafiamos a nós próprios ou estabelecemos metas.

Algumas pessoas acreditam que a auto-confiança pode ser construída com afirmações e pensamento positivo. Eu também acredito que esta ideia tem sentido e valor, mas é também igualmente importante para a construção da auto-confiança a definição de metas e a experiência de êxito, de um resultado satisfatório face as expectativas propostas. E assim construir um sentido de competência na nossa vida. Sem essa competência subjacente, você não tem auto-confiança.

Construir a auto-confiança

Então, como é que você constrói essa sensação de auto-confiança equilibrada, fundada sobre uma firme valorização da realidade? A má notícia é que não há nenhuma solução rápida, ou uma solução de cinco minutos. A boa notícia é que a construção da auto-confiança é facilmente alcançável, desde que você tenha o foco e a determinação para realizar determinadas coisas. A melhor notícia é que as coisas que você vai fazer para construir a auto-confiança também irão fazer parte da construção do seu sucesso – afinal, a sua confiança constrói-se da verdadeira e sólida realização pessoal. Ninguém pode tirar isso de você!

Apresento em seguida 3 etapas para a construção e desenvolvimento da auto-confiança, para a qual irei utilizar a metáfora de uma viagem: Preparação para a sua viagem, realizar a viagem, e acelerar em direcção ao sucesso.

1ºPASSO: PREPARAÇÃO PARA A VIAGEM

O primeiro passo consiste em sentir-se preparado para a sua viagem de auto-confiança. Você precisa de fazer um balanço no sentido de perceber em que ponto da sua vida se encontra e para onde é que pretende caminhar, colocando-se no melhor estado mental para a viagem, e comprometer-se consigo próprio para começar e manter-se forte e motivado.

Na preparação para a viagem, faça as seguintes 5 coisas:

1. Registre os feitos já alcançados

Pense na sua vida até aos dias de hoje, faça uma lista das 10 melhores coisas que conseguiu ou atingiu até agora e registe-as. Talvez tenha atingindo uma excelente classificação num exame importante, tenha feito uma jogada importante que fosse definitiva para a sua equipa ganhar, tenha sido o melhor vendedor do mês, tenha feito algo que se comprovou como muito significativo na vida de alguém, tenha sido notícia no jornal local ou nacional. Coloque isso numa folha de papel, podendo utilizar esse registo como motivador e um estímulo que o relembre que é capaz de realizar coisas de valor. Sinta-se lisonjeado com as coisas que já alcançou, todos nós temos excelentes momentos na nossa vida para recordar.

2. Pense nos seus pontos fortes

A seguir, use a técnica de análise SWOT para ficar com a noção do ponto em que se encontra. Use o registo anterior, e reflicta acerca da sua vida, pense sobre o que os seus amigos considerariam ser as suas forças e fraquezas. A partir daqui, pense sobre as oportunidades e ameaças que pode vir a ter ou a enfrentar respectivamente. Tente fazer este exercício partindo de uma perspectiva positiva, sem critica ou expectativas, procure sim fazer uma análise o mais concreta possível.

3. Pense no que é importante para você, e o que pretende alcançar:

Pense nas coisas que realmente são importantes para si, e o que quer atingir na sua vida. Não coloque resistência a este pensamento por parecer demasiado banal e simples. Grande parte de nós organizamos melhor a nossa lista de compras ou uma festa de aniversário, do que propriamente a nossa vida. Porque razão é que isto acontece? Andaremos demasiados distraídos ou não seremos humildes o suficiente para levar a nossa vida a sério?

Definir e atingir metas é uma parte essencial na organização de uma estratégia para atingir algo, a auto-confiança constrói-se e promove-se a partir daqui. O objectivo é definir o processo que você usa para definir metas para si mesmo, e medir o seu sucesso face a essas metas. Para pensar nas suas próprias metas em detalhe, proponho-lhe o preenchimento da tabela seguinte:

Plano de vida

Use a análise SWOT para o ajudar a encontrar os seus objectivos. Estabeleça metas que explorarem os seus pontos fortes, minimize as suas fraquezas, suas oportunidades de realizar algo e controlar as ameaças que você enfrenta. Tendo definido os principais objectivos na sua vida, identifique o primeiro passo a dar em cada um.

Dica: Um pequeno passo pode mudar a sua vida, desta forma comece passo a passo, não ocupando mais de uma hora a completar ou a pensar acerca do assunto. Mantenha a coisa simples e exequível.

4. Comece a gerir a sua mente

A partir desta fase, precisa de começar a gerir a sua mente. Aprenda a manter-se motivado e a combater os pensamentos negativos e as auto-verbalizações negativas que podem destruir a sua confiança. Para saber como aprender a fazer isso, proponho-lhe que leia o nosso artigo: 3 passos para ultrapassar as dificuldades pensando positivo.

Movimente-se pensando naquilo que pretende alcançar e o que necessita fazer para se aproximar mais do seu objectivo. Perante as dificuldades, reavalie os objectivos, trace nova estratégia e continue persistentemente no caminho face ao resultado pretendido.

5. Comprometa-se com o seu sucesso

A parte final de preparação da sua viagem é fazer uma clara e inequívoca promessa para consigo mesmo, de que você é absolutamente comprometido, e que fará tudo aquilo que estiver ao seu alcance para alcançar o que deseja. Se você fizer isto, provavelmente pelo caminho encontrará algumas dúvidas, registe-as e calmamente desafie-as racionalmente. Se elas se dissolverem isso será óptimo. No entanto se elas se confirmarem, certifique-se de traçar metas adicionais, para gerir as dúvidas e incertezas de forma apropriada. Aquilo que não deverá fazer, é deixar-se abater pelas dificuldades, mantenha-se firme, e se for necessário ajustar os objectivos, não hesite em fazê-lo, reformule e continue.

Para uma auto-confiança equilibrada, retenha o seguinte:

A auto-confiança tem a sua base no equilíbrio. Num dos extremos da equação, temos pessoas com baixa auto-confiança. No outro extremo, temos pessoas com excesso de confiança. Se estiver sem confiança, evite correr riscos e fortaleça-se, tente descobrir o seu poder.

Fortaleça-se, independentemente das suas habilidades. Talvez chegue à conclusão que apesar de tudo o que fez, não tentou o suficiente para ser verdadeiramente bem sucedido.

Fazer isto de forma apropriada é uma questão de ter a dose correcta de confiança, fundada na realidade das suas verdadeiras capacidades. Com a dose certa de auto-confiança, você irá percepcionar os riscos de forma racional, fortalecendo-se no sentido de os enfrentar mais preparado e mais forte, persistindo mais nas suas convicções.

2º PASSO: REALIZAR A VIAGEM PASSANDO À ACÇÃO

Aqui é onde você irá iniciar o caminho em direcção à sua meta. Ao fazer as coisas corretas, e começar com pequenas e fáceis vitórias, começará a desenhar o seu padrão de sucesso. Começando também a construir uma auto-confiança baseada nas suas acções.

6. Construir o conhecimento que necessita para ser bem sucedido

Olhando para os seus objectivos, identifica as competências que necessita para os alcançar. Depois procure como pode adquirir essas competências de forma confiante e funcional. Não faça apenas um esboço do que necessita, procure uma solução, a opinião de um amigo experiente, um programa ou um curso que realmente lhe traga o que precisa para alcançar aquilo que pretende. O ideal é que consiga uma certificação ou qualificação da qual se orgulhe e possa utilizar a seu favor, procure valorizar-se, melhorar-se e promover a sua aprendizagem.

7. Concentre-se no básico

Quando você está a iniciar algo, não tente fazer nada muito extraordinário ou muito elaborado. Também não deverá procurar a perfeição em tudo o que faz, isto inibe a acção não lhe permitindo vencer a inércia e ganhar movimento face ao objectivo. Tenha gosto em fazer coisas simples de forma correta e com sucesso.

8. Estabeleça pequenas metas e alcançáveis

Comece com pequenas metas, as quais identificou no 1º passo. Ganhe o hábito de as estabelecer, conseguindo alcança-las e celebrando o que conseguiu atingir. Nesta fase não estabeleça metas particularmente ambiciosas, treine apenas o hábito de alcançar pequenos objectivo e de os celebrar. Assim, pouco a pouco, começa a solidificar o seu padrão de sucesso. Os hábitos adquiridos repetem-se. Se o sucesso se tornar um hábito, melhores e maiores desafios irão atempadamente surgir.

9. Continue a gerir a sua mente

Esteja alerta aos pensamentos positivos, continue a celebrar e a ter gozo com os pequenos sucessos. Mantenha estes pensamentos e imagens fortes. Por outro lado, aprenda a lidar com o fracasso e com os erros. Aceite que os erros acontecem quando você está a fazer coisas novas e diferentes. De facto, se você tiver a atitude de tratar os erros e falhanços como oportunidades para aprender e crescer, você quase que pode olhar para isso de uma forma positiva. Os erros, são apenas resultados que não tiveram sucesso. Isso mesmo, erros são resultados que não nos servem. Não são coisas boas ou más, são apenas resultados que não nos servem. Desta forma deveremos corrigir o que fizemos e tentar de novo alcançar o resultado desejado, desta vez com mais informação e mais preparados.

3º PASSO: ACELERAR EM DIRECÇÃO AO SUCESSO

Nesta fase, você sentirá a sua auto-confiança a fortalecer-se, completou algumas das formas que começou no 2º passo. É agora altura de familiarizar-se com o seu sucesso, mesmo que seja nas pequenas coisas que atingiu.

10. Celebre

Esta é uma altura para começar a puxar um pouco mais por si. Estabeleça agora metas um pouco mais exigentes, e os desafios maiores. Aumente igualmente o tamanho do seu comprometimento. Afine as suas habilidades e competências, que provaram dar resultado.

A reter: mantenha os seus pés bem assentes no chão, esta é a fase onde nós tendemos a ter excesso de confiança. Certifique-se de que não começa a idolatrar a sua esperteza, isto pode virar-se contra si.

Desde que você vá puxando por si próprio, mas não demasiado, irá encontrar o seu próprio ritmo de construção equilibrada da sua auto-confiança. Além do mais, você mereceu a sua auto-confiança, porque colocou-se numa situação de trabalho duro para ser bem sucedido.

Boa Confiança.

Abraço