Algumas das melhores coisas da vida – sucesso, felicidade, amor (não necessariamente por esta ordem) – dependerão da nossa capacidade de criar e manter relacionamentos satisfatórios. A maioria de nós começa muito bem no inicio, com grande energia, motivação e empenho. Então qual a razão pela qual os relacionamentos por vezes se tornam tão destrutivos, incapacitantes ao ponto de nos conduzirem à infelicidade?

Muitas vezes, são problemas de relacionamento devido a um desajuste nas competências da inteligência emocional. Felizmente, nunca é tarde demais para desenvolver essas habilidades e aumentar a eficácia da inteligência emocional.

As flutuações na satisfação da relação também são influenciados por outros factores, incluindo o nosso próprio nível de cansaço, habilidades em comunicação, resolução de problemas e gestão de stress, a nossa capacidade de lidar com pressões externas, tais como trabalho, família, finanças e os nossos próprios sonhos, metas e expectativas para a nossa vida e nosso relacionamento.

As situações podem ser inúmeras, mas na grande maioria das vezes aquilo que falha nas relações é o desenvolvimento e crescimento de uma linha de orientação face a um objectivo, (sentimental ou outro) para o qual se queira caminhar, e a partir daí tal qual um atleta quando inicia uma época desportiva e pretende melhorar um conjunto de capacidades físicas, ou uma equipa que pretende melhorar a técnica e táctica do seu jogo, assim também deverá fazer o casal. Deverá empenhar-se em identificar os seus pontos fortes e fracos, face ao seu objectivo a alcançar.

Na grande maioria das vezes os relacionamentos não são bem sucedidos porque não são traçados objectivos de relacionamento. Para que um relacionamento possa satisfazer aqueles que nele intervêm, devem estabelecer metas claras e específicas. A maioria das pessoas entra nos relacionamentos com uma vaga ideia do que querem. Quando questionadas, muitas vezes são incapazes de especificar as suas metas para um relacionamento a longo prazo ou definir o que para ela é amor ou o que representa amar alguém.

ESTABELECER AS METAS

Os objectivos podem ser declarados ou colocados por escrito, mas eles devem ser acordadas pelos parceiros no início do relacionamento. Os objectivos de relacionamento são ditados pelo comportamento. No entanto, para um relacionamento aumentar a probabilidade de vir a ser bem sucedido, as metas estabelecidas devem ser apenas aquelas em que ambos os parceiros possam concordar. O objectivo da relação deve ficar bem clarificado e explicito, e ser revisto com alguma regularidade face às necessidades sentidas. Durante a revisão, as metas podem ser modificadas face aos resultados/objectivos que pretendam vir a alcançar. As metas de relacionamento devem ser estabelecidas a longo prazo, mas devem ser flexíveis o suficiente para dar aos parceiros a liberdade suficiente para serem satisfatórias, exequíveis e fáceis de alcançar.

O estabelecimento das metas deve ser desenvolvido para tratar as questões-chave envolvidas no relacionamento, mas podem abranger qualquer área do comportamento humano. A fim de melhor saber como e quais as metas que devem ser estabelecidas, você tem que perguntar a si mesmo uma série de questões para se conhecer a si mesmo e ao seu parceiro.

Proponho o preenchimento de um pequeno questionário breve.

QUESTIONÁRIO DE ESTABELECIMENTO DE METAS

  • 1. Como é que podemos melhorar o apoio que damos um ao outro?
  • 2. Como é que iremos comunicar um com o outro diariamente?
  • 3. Qual será o grau de dependência face ao outro, sendo saudável?
  • 4. Como é que a nossa intimidade mútua pode contribuir para impulsionar o relacionamento?
  • 5. Como é que vamos garantir que respeitamos os direitos um do outro no relacionamento?
  • 6. Como é que nos vamos ajudar um ao outro para crescer no relacionamento?
  • 7. Como é que podemos manter a diversão na nossa relação?
  • 8. Como é que vamos incluir os outros na nossa relação, sem perder o apoio um do outro?
  • 9. Como devemos abordar os problemas no nosso relacionamento?
  • 10. Como é que vamos resolver os problemas?
  • 11. Como é que vamos lidar com as várias diferenças de opinião?
  • 12. Como é que vamos lidar com a irritação um do outro?
  • 13. Como é que vamos lidar com as brigas e trazê-las para uma resolução saudável?
  • 14. Até que ponto vamos procurar ajuda se a nossa zanga ficar fora da nossa capacidade de resolução, por exemplo, vamos procurar aconselhamento juntos?
  • 15. Será que vamos concordar em discordar?
  • 16. Como podemos garantir um crescimento mútuo na relação?
  • 17. Até que ponto estamos receptivos a tomarmos responsabilidade conjunta e individual para a nossa relação?
  • 18. Como podemos garantir que a nossa individualidade não se perde neste relacionamento?
  • 19. Até que ponto estamos receptivos para sermos assertivos no nosso relacionamento?
  • 20. Como podemos usar, as nossas personalidades individuais para nos ajudarmos um ao outro e ao crescimento do nosso relacionamento?
  • 21. Que medidas é que iremos tomar se um de nós ou ambos começar a sentir-se sufocado pela relação?
  • 22. Quais os passos que estamos dispostos a dar em caso de um de nós ou ambos termos a necessidade de assistência à saúde mental?
  • 23. Como vamos promover a saúde física do outro e dar apoio um ao outro?
  • 24. Que medidas podemos ter para lidar com o ciúme, o sentimento de competição, ou ressentimento em relação um ao outro?
  • 25. Como vamos agir na hora de fazer todas as coisas que queremos realizar?
  • 26. Como é que vamos organizar ao nossos horários para que possamos prosseguir com os nossos interesses individuais e ainda assim passar bons momentos juntos?
  • 27. Até que ponto somos livres para perseguir os nossos interesses distintos?
  • 28. Até que ponto estamos comprometidos na criação de metas de relacionamento a longo prazo e estabelecer objectivos de curto prazo para atingir as nossas metas?
  • 29. Até que ponto estamos comprometidos para dar apoio ao outro quando necessário e assim manter o nosso relacionamento no bom caminho?
  • 30. Como é que podemos estruturar formas para conseguirmos “executar” as tarefas necessárias à manutenção e promoção do nosso relacionamento?
  • 31. Como é que podemos delegar as tarefas de manutenção e promoção do relacionamento de modo a que nenhum de nós sinta que está a fazer demais?
  • 32. Que lugar irão ter a religião, passatempos, desporto e outras actividades do nosso interesse no nosso relacionamento?
  • 33. Quão importantes são as coisas anteriores para o nosso relacionamento?
  • 34. conseguimos apoiar as nossas diferenças?

Talvez pense que sejam demasiadas perguntas, mas se formos realistas, conseguimos concluir que todas as questões são pertinentes e necessárias. Se não podemos ou não queremos responder a estas questões, como poderemos querer iniciar, e/ou desenvolver um relacionamento sério?

COMO FAZER A PONTUAÇÃO:

Para cada resposta idêntica adicione um ponto, e para cada resposta diferente retire um ponto

Se você e o seu parceiro obtiveram uma pontuação abaixo de 17, isso não significa que você deve terminar, ou que não irá ter sucesso na relação, significa apenas que ambos têm que ponderar decidir sobre os vossos objectivos pessoais na relação e estabelecer um compromisso que sirva aos dois.

Todos os relacionamentos exigem compromisso de ambas as partes para que se possa desenvolver de forma saudável e vir a ser bem sucedido. Você só precisa reavaliar os objectivos que vai querer comprometer-se

Se você e o seu parceiro obtiveram uma pontuação acima de 17, significa que você está no bom caminho. Você ainda vai ter que continuar a comprometer-se com o seu desenvolvimento e igualmente com acções que promovam o bom entendimento (você é humano) para manter o relacionamento no bom caminho. Mas você está indo bem.

O que você precisa perceber é que a definição de metas de relacionamento surte melhor e mais efeito quando ambas as partes estão envolvidas no processo. Se apenas um está trabalhando para a melhoria do relacionamento, ele está fadado ao fracasso, porque afinal um parceiro irá sentir-se sempre mais sobrecarregado do que o outro no relacionamento. Definir metas de relacionamento não é diferente do que a criação de qualquer outro tipo de meta. A maior diferença, é que você tem que definir os seus objectivos com a outra pessoa envolvida, trabalhar neles e para eles para assim alcançar o resultado desejado – um relacionamento saudável, duradouro e satisfatório.

Boas metas e bons relacionamentos!