Todos passamos por momentos difíceis na vida que nos fazem disparar emoções negativas e preocupações, colocando-nos em determinados estados psicológicos nada benéficos para a superação dos problemas que enfrentamos. Quando a frequência, intensidade e duração de determinadas ruminações e sensações desagradáveis sentidas no corpo atingem proporções elevadas, tendemos a perder o controlo sobre as nossas decisões, podendo afetar-nos o bem-estar e a qualidade de vida. Importa desenvolver um conjunto de habilidades e conhecimentos que permitam resgatar a paz de espírito.

Exemplo de um possível estado de ser: 

Tenho pensamentos persistentes, como se fossem vozes na minha cabeça, arruínam o meu dia, colocam-me num estado ansioso e angustiante,
Quero ser claro nos meus pensamentos, acreditar naquilo a que me proponho, ser confiante e seguro de mim,
Mas o meu estado, os meus sentimentos atormentam-me a alma, inundam-me a mente, aniquilam-me o meu dia,
Eu não sou assim, não quero ser assim, que desconforto é sentir-me impotente sobre os meus estados de humor,
Quando estou neste estado de ser, tomado pelas minhas vozes críticas, de dúvida, de penalização de mim mesmo,
Quando não me consigo orientar, quando tudo o que sinto é uma enorme confusão,
Desespero, e espero que tudo possa ficar melhor num passe de mágica,
A minha esperança desespera-me,
Caminho atormentado, duvido de tudo, de todos e até mesmo de mim,
Sei que estou neste estado, não sou isto, lembro-me de saber conduzir a minha vida,
Faz tanto tempo que me senti bem, que jugo já nem saber o que isso é,
Mas que estado é este? Que incómodos são estes, que mais parecem ter ganho uma vida própria,
Terei tornado-me hospedeiro das minhas emoções, dos meus medos, das minhas frustrações?
Só sei que assisto amarguradamente às minhas lamentações acerca do estado em que me encontro,
Sinto-me a perder o controle de mim mesmo, como se reagisse a tudo de forma cortante em que o único prejudicado sou eu mesmo,
Estou num estado de ser que não quero ser,
Preciso de distanciar-me da escuridão em que me encontro,
Tenho de criar a minha luz, esclarecimento,
Tenho de perceber que não sou os estados perturbados em que me encontro,
Tenho de perceber que tenho de fazer coisas, que no seu retorno possam promover um estado de satisfação, um estado mais leve, mais alegre e colorido,
Tenho de aprender a saber quando esse estado incapacitante quer tomar conta de mim,
Tenho de perceber quando ele me ilude fazendo-se passar por mim, enganando-me a mim mesmo, fazendo agir como se eu fosse ele,
Não sou, não quero ser o estado em que me encontro, que silenciosamente foi-se incrustando na minha essência como se fosse uma sanguessuga,
Alimenta-se de mim, das minhas perdas, dos meus fracassos, dos meus erros, dos meus traumas, das minhas frustrações, das minhas culpas, dos meus desesperos, da minha baixa autoestima, da minha descrença,
O meu estado fica forte, toma conta das partes mais sombrias do meu ser, e expande-se, transforma o bom em mau, o ânimo em desmotivação, a paixão em tormento,
Tenho de conseguir perceber quando os meus estados negativos me iludem, me fazem julgar que estou condenado a viver neste estado “eterno” de desgraça,
Não, eu começo a ser capaz de distinguir entre aquilo que quero ser e aquilo que o meu estado está a fazer com que eu seja,
Não, não vou deixar que tome mais conta de mim,
Já percebi o engodo,
Quando ele chegar, se fizer sentir, vou aguentá-lo, deixar que se manifeste, mas vou permanecer imóvel, não vou agir,
Fico ali, a perceber a ilusão, a perceber que ele quer fazer-se passar por mim,
Não vou deixar,
Vou pegar na minha essência, no meu querer, no melhor que existe em mim, na minha força e agir de acordo com o que quero ser,
Vou construir o meu próprio estado de ser,
Vou ser aquilo que acredito querer ser.

- Miguel Lucas

Esta descrição de um determinado estado de ser, documenta a perda de controle emocional e a tentativa de retomar o controle através da consciência que se vai desenvolvendo acerca da possível capacidade de distanciar-se da dor emocional e passar a agir de acordo com aquilo que se quer alcançar. Certamente este processo de aprender a saber interpretar as emoções, saber distanciar-se delas, e analisá-las à luz da consciência, com claridade de pensamento, nem sempre é fácil de ser instituído. É necessário alguns esclarecimentos, é importante conhecer alguns conceitos e acima de tudo praticar a habilidade de distanciar-se das emoções negativas e dos pensamentos negativos e agir assertivamente.

meditar

Os cinco exercícios que se seguem irão ajudá-lo a desenvolver a habilidade de saber orientar os seus pensamentos, gerenciar as suas emoções e criar um estado de ser tranquilo e com clareza de pensamento:

Não rejeite os seus pensamentos negativos

“Não odeie o aparecimento de pensamentos negativos, nem se esforce para rejeitá-los. A não aceitação promove o sofrimento emocional e inibe o foco naquilo que mais importa. Somos mais que os nossos pensamentos, estamos para além do pensamento, de modo, que se percebermos este conceito, não importa o que surja na mente. Se você se distanciar e fizer o exercício de passar os seus pensamentos pela autoridade da consciência, permite-se aceder à sua inteligência mais elevada e não ficar perturbado.

A paz de espírito perde-se quando nos confundimos com os pensamentos perturbadores que tomam de assalto a mente, e ilusoriamente julgarmos ser reféns de um sequestrador que vive em nós. Traga a sua consciência para a linha da frente e fique com ela, torne-se nela e, as perturbações perdem o seu terreno fértil.

Aceder à sua consciência e autoconhecimento

Problemas, pensamentos negativos, sentimentos angustiantes, acontecimentos perturbadores, situações stressantes, podem conduzir-nos a um padrão de raciocínio pouco claro, fazendo a nossa mente construir cenários incapacitantes, miserabilistas e pessimistas. Neste estado conturbado a realidade é negativamente distorcida, afastamo-nos dos nossos recursos mentais e físicos, e em resultado sentimo-nos mal.

Tendemos a perder contato com a nossa sabedoria. Para melhor lidar com estes estados sempre que eles se manifestem, habitue-se a promover um estado pleno de recursos. Exercite um estado de ser onde reina a tranquilidade e clareza de pensamento. Onde consegue observar-se sem agir. Um estado onde consegue aceder à sua consciência e autoconhecimento.

Por momentos foque a sua atenção na sua respiração, fique com ela, torne-se nela. Observe a sua respiração, flua com ela, sinta o seu corpo a relaxar à medida que vai respirando. Mesmo se seja por momentos, este exercício permite-lhe distanciar-se dos seus apegos, dos seus desejos, das suas necessidades, usufruindo de um estado pleno de tranquilidade. A sua mente ficou calma e clara.

Torne este exercício num hábito. Habitue-se a promover esse estado. Com a prática esse estado passará a ser-lhe familiar. Use-o sempre que se sentir perturbado e a sua razão comece a abandoná-lo. Chame até si esse estado de de lucidez e tranquilidade sempre que sentir que está a perder o controle dos seus pensamentos. Permaneça nele o tempo suficiente para clarificar a sua mente e retomar um raciocínio pleno de recursos suportados pela sua consciência.

Oriente a sua força interior para onde ela mais precisa de estar

A sua força nunca o abandona, ela reside em cada célula do seu corpo. Você pode sentir-se fraco, sentir a vida a fugir-lhe, ausente de vontade, como se respirar já fosse um enorme esforço. Mas a sua força nunca o abandonou, provavelmente você é que se foi distanciando do seu centro, da sua essência. Você, eu, todos nascemos com impulso para a ação, interagimos com o mundo através dessa força, dessa energia inesgotável que nos permite sentirmo-nos felizes.

Talvez as experiências negativas de vida, as bolas à trave, os fracassos sucessivos, os planos furados, os esforços sem retorno, as perdas, as desilusões e decepções, o tenham afastado de si, da sua energia. Aquilo em que nos focamos expande-se. Volte para si, procure essa força que existe em si, mas da qual se esqueceu de visitar, de alimentar, de dar graças. A força não vem de lado nenhum, ela sempre esteve, sempre está, e sempre estará com você. Quebre a ilusão da perda da sua força.

Reserve uns momentos do seu dia para o exercício de entrar em contato com a sua força vital. Comece por focar-se na sua respiração, repare nela, deixe-se fluir com ela. Sinta o ar que entra e sai pelo seu nariz. Inspire e expire à medida que sente o fluxo da sua respiração. Sinta a força da sua respiração, sinta esse fluxo a atingir cada parte do seu corpo, cada célula. Cada respiração é processada pela sua força. Ela permanece consigo. Sinta a energia na sua respiração. Sinta a sua respiração a reenergizar o seu corpo.  medida que vai respirando, sinta a energia a aumentar. Agora fique com a sua força, sinta-a. Em seguida canalize-a para alguns dos seus objetivos. Oriente a sua força para onde ela mais precisa de estar.

Habitue-se a visitar o seu lugar seguro

Procure dentro de si o seu lugar de calmaria, de ponderação e sabedoria. Habitue-se a ficar alguns momentos nesse seu lugar interior, tomando contato com a sua inteligência mais profunda, permanecendo imperturbável. Como se você fosse o epicentro de um tornado, onde nada acontece enquanto tudo à volta está em alvoroço. Depois olhe ao seu redor, perceba que a destruição, o sofrimento, a perda, a fúria, a desesperança, os fracassos, são tudo consequências da vida. Agora retome o olhar para o seu lugar seguro, tudo permanece inalterável, nada se passou aí.

A capacidade de perceber que tem em você a possibilidade de se reenergizar, tranquilizar e aceder à sua paz de espírito, permite-lhe envolver-se no turbilhão da vida, mais preparado e pronto para agir em consciência sobre os acontecimentos mais perturbadores, sem se confundir com eles ou perder claridade de pensamento, que tantas vezes nos empurram para um abismo ilusório. Mesmo em situações difíceis e adversas, se conhecermos como chegar ao nosso lugar seguro, certamente tudo se torna mais suportável e menos devastador. Expanda esse lugar, habitue-se a visitá-lo e a estar com ele e nele.

banner_EP_preocupação1

Contemplar o momento sagrado do dia

Identifique o seu momento sagrado do dia. Ligue todos os seus sensores para a identificação do momento significativo, quando ele está a ocorrer. Esforce-se para ficar consciente do que sente, dos pensamentos que tem, do bem-estar provocado, memorize a grandeza do momento, fique com ele.

O que é sagrado na vida está muitas vezes bem na frente de nós, e só percebemos isso quando já terminou. Estamos “muito ocupados” nas nossas próprias cabeças para contemplá-lo. Tome um momento, respire e permitia-se a ficar por alguns segundos com o que é significativo. Isto não é para agarrar-se e querer estar sempre nesse momento ou estado de ser, porque ele irá passar, mas é para vivê-lo plenamente. Veja o que acontece quando você começa a tornar-se mais consciente dos momentos sagrados da sua vida. Permita que a sua experiência seja o seu maior bem.

Abraço,
Miguel Lucas