Quando uma pessoa começa a ser afetada pela depressão, a grande maioria dos seus pensamentos e sentimentos sofrem um sequestro da mesma. Isto acontece, porque alguns dos seus pensamentos e sentimentos constituem os sintomas da depressão, enraizando-se na identidade da pessoa. Esses pensamentos a que chamamos de distorções cognitivas, sussurram mentiras sedutoras na mente da pessoa deprimida. Mentiras que gradualmente começam a soar como verdades. Essas mentiras por sua vez alteram o estado do corpo, na forma de sentimentos negativos e diminuição do humor. A negatividade instala-se e a depressão toma o controle da vida da pessoa. No entanto, se a pessoa deprimida tomar consciência que a depressão usa as  mentiras na forma de mensagens negativas enganosas, pode resgatar um determinado grau de controle, substituindo essas mensagens pela sua própria verdade interior (vontade de recuperar). E, por cada vez que a pessoa deprimida fizer isso, ficará mais perto da superação da depressão.

Citação: O mundo que criamos é um produto do nosso pensamento, que não pode ser alterado sem mudar o nosso pensamento. – Albert Camus

Apresento em seguida alguns dos equívocos mais comuns associados à depressão:

1. É UMA CONDIÇÃO QUÍMICA

Então, se é uma condição química eu realmente não posso fazer nada sobre isso? Errado. Enquanto psicólogo tenho ouvido muitas vezes este tipo de pensamento, o que realmente me perturba, dado que é uma mensagem muito poderosa mas incapacitante. Erroneamente, a poderosa máquina farmacêutica tem vindo a vender a ideia de que a depressão é apenas uma condição química, e que está além do nosso controle. Esta é uma explicação muito simplista. Nós somos indivíduos complexos com histórias únicas e ricas. Não há uma resposta que se encaixe em todos nós.

O nosso cérebro funciona através de impulsos elétricos e substâncias químicas que regulam todo o nosso estado de ser. Pensamentos e emoções fazem-se sentir pelas mudanças constantes desses impulsos eletroquímicos. Por esta razão, é natural que muitas vezes a depressão clínica grave beneficie de tratamento com medicamentos. Na verdade, podem ser essenciais em algumas situações de depressão severa. Mas, como a depressão estabelece uma relação direta com a vida da pessoa, certamente a medicação não fará mudar comportamentos, formas de pensar ou de olhar o mundo. E, são exatamente este tipo de alterações (comportamentos, pensamentos e formas de agir) que contribuem para o aparecimento da depressão. Assim sendo, faz lógica levar em consideração para o tratamento da depressão essas mesmas condicionantes e implementá-las no programa de tratamento para a depressão.

Abordei este assunto de forma aprofundada no artigo: Depressão, pílulas da felicidade ou aprendizagens úteis?

De fato, algumas formas de terapia, como a Terapia Cognitiva Baseada na Mindfulness, tem vindo a ter resultados bastante satisfatórios no tratamento da depressão, mostrando ser ainda melhor do que os medicamentos na redução do risco de recaída. A mente humana é muito poderosa, mas também passível de mudança. É um processo difícil, mas vale o esforço.

2. QUALQUER PESSOA COM A MINHA VIDA / INFÂNCIA / CASAMENTO / SAÚDE / FINANÇAS, ESTARIA DEPRIMIDO

Cada um de nós vive nas nossas próprias cabeças e por isso só podemos sentir a nossa própria dor. Sim, nós podemos ter empatia com os outros, mas não podemos sentir totalmente a alegria ou a dor de ninguém tão intimamente como podemos sentir a nossa própria. Isso pode levar a sentirmo-nos presos pela dor das nossas próprias circunstâncias de vida.

Por exemplo: “A minha depressão justifica-se. A minha mãe cometeu suicídio e meu pai é um narcisista. Não é possível  ser feliz. “

Se uma pessoa acreditar em algo do género, certamente adotará uma mentalidade de vítima, que conduzirá a pessoa a um estado recorrente de negatividade e incapacidade de conduzir a sua vida de forma satisfatória. Este cenário é promotor da depressão.

Nós somos mais que a soma do nosso passado. Certamente sofremos influência dele, mas não temos necessariamente que ficar dependentes do passado castrador e levar uma vida miserável. Nada disso. Existe sempre a possibilidade de restaurar o passado angustiante, implementar crenças mais adaptativas e criar uma estrutura mental positiva. O que quer que possa ter acontecido no seu passado é apenas uma parte de você. Não deixe que isso condicione toda a sua vida.  Todos, sem exceção, possuímos em nós força interior e sabedoria para traçar objetivos que nos favoreçam. O que por vezes nos pode faltar é saber como implementar essas estratégias capacitadoras.

Aprofundei o assunto no artigo:A sua atitude é uma decisão, a importância de ter uma atitude mental positiva.

depressao

3. JÁ TENTEI DE TUDO. NADA FUNCIONA PARA MIM

Você sente-se como se já tivesse tentado todas as coisas para ajudar a si mesmo, e nada está funcionando? Se for esse o seu caso, talvez você esteja tentando bastante, com uma atitude positiva, mas com a estratégia errada. E, isso passa a prejudicar ainda mais o seu problema de depressão. A depressão também se pode manifestar como consequência da desesperança aprendida, termo desenvolvido pelo psicólogo norte americano, Martin Seligman. Ou seja, quando a pessoa se esforça por resolver o seu estado abatido e problemas associados, com todos os meios que julga ter, e mesmo assim não consegue melhorar, instala-se a desesperança aprendida. A pessoa aprende que por mais que se esforce e faça coisas para melhorar, nada surte efeito positivo.

Ainda que a pessoa deprimida que passa por esta experiência, possa ter toda a legitimidade para se sentir abatida devido aos seus insucessos, importa perceber que provavelmente pode não estar a aplicar uma estratégia eficaz. Por desconhecimento, por falta de capacidade, devido à severidade do seu estado, pela natureza do problema, as razões poderão ser muitas. Mas, na verdade, nunca se tenta tudo. Ou aquilo que tentamos pode não ser o mais adequado ao problema que se enfrenta. Por tudo isto, importa que a pessoa que desenvolve a ideia de que já não há nada a fazer, reflita, e perceba que certamente ainda existem muitas possibilidades que podem  ser benéficas. Claro que sim!

Aprofundei este assunto no artigo: Olhe a depressão como ela é, um problema com várias saídas.

4. EU VOU SER FELIZ QUANDO PERDER PESO / TIVER UM AUMENTO / COMPRAR UMA CASA

Este tipo de objetivo constrói na mente da pessoa deprimida falsas esperanças. São objetivos de resultado ilusório. A perseguição incessante da felicidade como resolução para o estado de humor diminuído, mal-estar e abatimento, é uma ideia que coloca a pessoa com uma carga negativa mais elevada do que aquela que o problema inicial desencadeou. Não pretendo transmitir a ideia de que a pessoa não deve alimentar sonhos, ou perseguir objetivos, nada disso. O que pretendo transmitir, é que o problema da depressão é mais profundo, e mais exigente. É preciso aprender a lidar com a depressão quando ela se faz sentir. É importante aprender estratégias que possam melhorar o humor da pessoa, a sua vitalidade e propósito de vida no momento em que está a passar pelo sofrimento. Projetar-se no futuro como uma solução para a superação da depressão, é uma estratégia que pode aumentar o problema, sobretudo se os objetivos não forem atingidos.

A reter: Importa muito mais fazer “coisas” no dia a dia, para que o retorno dessas ações possam fazer disparar bons sentimentos e boas sensações. Isso sim, pode efetivar-se como muito eficaz no tratamento da depressão.

Desta forma, sempre que a sua mente se comece a projetar no futuro, e esse cenário faça disparar a angústia desmedida, tome consciência que isso só prejudica o seu estado. Faça uma pausa, foque a sua atenção na sua respiração, em seguida procure um estímulo à sua volta que possa ser aprazível. Muito bem, nesse exato momento voltou ao presente. Em seguida use os seus sentidos para realmente ver, ouvir, cheirar e tocar em algo concreto. Acrescente a isso o pensamento, ou imagem de algo que você se sinta grato na atualidade. Talvez seja a sua xícara de café da manhã, o abraço do seu filho, ou a piada que o seu amigo partilhou com você.  Seja o que for, se você realmente gosta, passe alguns momentos a viver  genuinamente essa experiência. Esse é o caminho. O caminho da ação no momento presente.

Aprofundei o assunto no artigo: O poder da ação, fazer o que é necessário ser feito

5. ESTRAGUEI TUDO, ODEIO-ME, NÃO SOU DIGNO DE FELICIDADE

Esta é uma crença tremendamente incapacitante, porque quando nós não nos amamos, torna-se difícil iniciar a recuperação. Sem alicerces não se pode construir um prédio. Tudo o que você pode ter feito no passado, já aconteceu, é passado. Esse momento nunca mais voltará. Isto quer dizer que a cada respiração existe uma nova possibilidade, uma nova chance na vida. O momento presente é totalmente novo e vivo para que você possa molda-lo como desejar. E se falhar em algumas tentativas, isso não é problemático, a sua próxima tentativa é novamente uma nova possibilidade. E a seguir. E a seguir.

Até à sua total recuperação, você tem milhões de momentos para começar de novo e tornar-se a pessoa que você quer ser. Cabe a você  fazer o melhor que conseguir com cada momento disponível.

Aprofundei o assunto no artigo: Que tipo de pessoa você quer ser?

Atenção, não pretendo passar a ideia de que você está deprimido porque quer, nada disso. A mensagem que pretendo passar é que é possível alinhar as nossas ações e comportamentos com aquilo que desejamos alcançar. Ao invés de seguirmos as mensagens enganosas que a mente cria quando nos encontramos num estado deprimido. Por vezes, somos levados a acreditar que somos de uma determinada forma, que somos fracos ou pior que os outros, e com essa catalogação assumida prejudicamos os nossos esforços para a superação.

Ebook – Como Mudar Sua Vida para Melhor

6. A MAIOR PARTE DA MINHA VIDA ESTÁ BEM, EXCETO UMA “X” COISA

Se criarmos a ideia que para sermos felizes a nossa vida tem de ser perfeita e tem que ser tal qual a imaginamos, provavelmente iremos passar por muitos momentos de desilusão, deceção e angústia. Com esta ideia em mente tendemos a olhar marioritariamente para o que não temos, para o que não alcançamos, ou para aquilo que não está como desejamos. Até aqui tudo bem, existem pessoas ambiciosas que seguem estes objetivos. A diferença é como gerem os seus estados internos, como gerem a sua autoestima, autoconfiança e autorealização. Se interpretamos este tipo de cenário como negativo, como ausência de algo que nos faz sentir mal, que nos faz sentir vazios e sem um propósito, então provavelmente estaremos a tecer uma teia que nos conduzirá à depressão e ao desânimo.

Importa inverter o tipo de pensamento do ponto 4. Importa olhar para o que já se tem, para o que já se conquistou e perspetivar o que se quer alcançar com uma atitude positiva. Olhar o lado a melhorar, o lado a conquistar, sem perder a perspetiva do momento, dando valor às coisas boas que se tem ao redor.

Aprofundei este assunto no artigo:Torne-se otimista, abandone o seu lado negro 

Não se esqueça de apreciar as coisas boas que tem na sua vida e que merecem ser apreciadas.  Olhe para o lado bom da vida.

Abraço