Não sou fundamentalista ao ponto de dizer que nunca se deve desistir. De modo nenhum, por vezes a desistência pode ser a decisão mais acertada. No entanto, para que você não se arrependa de desistir prematuramente dos seus objetivos ou esforços já realizados, e deitar tudo a perder, importa agir adequadamente. Quando se está à beira da desistência, importa persistir, principalmente para nos certificarmos que não foi por falta de dedicação ou empenho que não se alcançaram os objetivos. Alguns dias são extraordinários e cheios de inspiração. Alguns dias são simplesmente iguais a tantos outros, pautados pela rotina. E em alguns dias você pode sentir-se com vontade de desistir. Nesses dias você tem de esforçar-se para usar a sua consciência e afastar-se o mais possível desse sentimento incapacitante, para que possa refletir sabiamente sobre o enorme impacto que essa possível desistência poderá vir a ter na sua vida.

“Quando você chegar num lugar apertado e tudo estiver contra você, parecendo que não poderá aguentar nem mais um minuto, nunca desista em seguida, porque pode ser o lugar e hora em que a maré vai virar.” - Harriet Beecher Stowe

resiliência

Em seguida apresento 6 hábitos que podem ajudá-lo a manter-se firme ou a mudar de direção, em dias difíceis:

1 – Estabeleça expectativas realistas

Estabeleça expectativas realistas e não contaminadas, especialmente não levando em consideração a publicidade que promete resultados rápidos e sem esforço. Certifique-se que não é demasiado perfeccionista, quer por imposição sua ou pelas pessoas aos seu redor (chefes, amigos, familiares) que não permitem erros ou falhas e associam isso a baixo valor pessoal. Oriente as suas expectativas ouvindo as pessoas que já alcançaram o que você deseja, ou que já enfrentaram o que você está vivendo. Ouça as pessoas que sabem como as coisas funcionam e o que podem dizer-lhe que seja útil para você ficar mais capacitado e com isso manter-se firme na sua viagem. Você provavelmente não vai ter um modelo exato. Mas as coisas que as pessoas podem dizer-lhe pessoalmente ou através de livros, palestras, cursos e blogs credíveis, podem ser uma ótima orientação.

2 – Lembre-se porque você está fazendo aquilo a que se propõe

É fácil perder o foco no cotidiano agitado. Mas se você sentir vontade de desistir, em seguida, tente lembrar-se das razões que conduziram você a essa decisão ou desafio. Talvez seja:

  • Apoiar e manter a sua família segura.
  • Viver mais saudável e mais tempo para que você possa ver os seus filhos crescerem.
  • Aproveitar as coisas boas da vida e explorar coisas novas.
  • Ter uma melhor imagem para sentir-se bem consigo mesmo
  • Assumir as suas responsabilidades e sentir-se autorrealizado
  • Dedicar-se mais ao trabalho para ter um dinheiro extra

Então, sempre que você sentir vontade de desistir, lembre-se das suas razões poderosas que justificam o esforço para se manter fiel aos seus objetivos.

3 – Lembre-se: As coisas ficam mais difíceis antes de melhorarem

Quando o seu objetivo é exigente, ou você se depara com obstáculos que dificultam a sua vida, importa perceber que o processo pode ser penoso e desgastante. O que leva a que você possa ter a perceção que a luta está sendo inglória e que o esforço está sendo inútil. Não sucumba no momento do esforço. Aguente o seu cansaço e resista à frustração para que possa retirar benefício de toda a sua dedicação. Nem sempre o retorno acontece de imediato. No momento de aguentar a barra você tem de acreditar que as suas ações irão surtir efeito, e que se continuar a tomar medidas em vez de desistir e não fazer nada, então algo de bom poderá acontecer. Acreditar no seu esforço pode trazer-lhe o conforto necessário para estabelecer o equilíbrio emocional necessário para persistir.

4 – Olhe para o problema por outra perspectiva

Se olhar para os recuos e obstáculos como falhanços, coloca-se no caminho da desistência. A melhor estratégia é tentar perceber o que funciona e igualmente o que não funciona. Continue a fazer as coisas que funcionam e analise novas abordagens naquelas em que não teve sucesso ou que repetidamente não surtem efeito. Não se foque na falha, mas sim na solução. Faça alguma coisa que não tenha feito antes. Não desista do seu objetivo, tente uma abordagem com uma perspectiva diferente. Em treino, aos atletas, quando eles enfrentam algumas dificuldades na realização de exercícios exigentes, e repetidamente falham, digo-lhes para experimentarem fazerem o que lhes está a ser pedido de forma diferente, para experimentarem novas formas, novos movimentos.

5 – Pergunte a si mesmo: Qual a mais pequena coisa que posso fazer hoje para me aproximar do meu objetivo?

Você deve focar-se na realização das pequenas coisas, para que o retorno dessas pequenas coisas aumentem a sua energia e o seu ânimo para ir à conquista do seu objetivo maior. Ao responder à questão, você adota uma atitude positiva relativamente ao momento difícil que possa estar a enfrentar.  E com isso você usufrui de dois grandes benefícios:

  • Liberta-se do fardo mental agregado às falhas do passado, permitindo assim focar-se de imediato nas ações que dependem de você para alcançar o que deseja
  • Reforça o hábito de focar-se nas pequenas coisas que suportam as ações para alcançar as grande coisas.

6 – Analise se você deve desistir e tentar outra coisa

Como disse no início, por vezes a melhor decisão é desistir e tentar outra coisa. Se você sentir vontade de desistir ou se está muito entediado, ou se não sente uma verdadeira paixão, emoção ou motivação sobre o atual caminho, e já realizou os passos anteriores, em seguida, pergunte a si mesmo as seguintes perguntas:

  • Estou fazendo isto porque eu realmente quero?
  • Eu estou fazendo isto porque alguém me disse ou porque tantas pessoas ao meu redor parecem ter feito isso ou estão trabalhando nisso?
  • Estou fazendo isto porque realmente preciso?
  • Estou fazendo isto, mas se não der certo tenho outras alternativas?

Você pode precisar experimentar diferentes caminhos antes de encontrar um em que você se encaixa. Ou, mesmo que o caminho que escolheu venha a comprovar-se como uma má escolha, lembre-se que você não se define apenas pelos seus fracassos, mas sobretudo por aquilo que você decide fazer após a falha, insucesso ou fracasso. Por isso mesmo, você pode desistir de alguns objetivos, sem com isso desistir de vir a ser bem sucedido. O que o conduz a tentar de novo outras abordagens ou forma de fazer o que deseja.

Abraço,

Miguel Lucas