Poder é muitas vezes pensado em termos de domínio e controlo. Este post adopta uma perspectiva diferente. Descrevo como é que você pode descobrir o seu poder pessoal. O qual defino, como a habilidade para se movimentar em direcção aquilo que pretende alcançar. Este tipo de poder fortalece a sua capacidade para enfrentar a grande maioria das situações, encontrando soluções que o ajudarão a criar os resultados que deseja.
Porque razão você estaria interessado no poder pessoal? Que benefícios lhe traria?
Eu vejo o poder pessoal, não como um fim em si mesmo, mas como algo que o ajudará a alcançar as coisas importantes e significativas na sua vida. Quando você pensar nas coisas que gostaria que lhe acontecessem, seja na sua vida, na sua relação, no trabalho, ou no mundo, estará a dar razões a si próprio para interessar-se no poder pessoal. Este é o ponto de partida para “poder” começar.

COMO SE ENERGIZAR

O principio aqui é, que a energia pessoal e a direcção que queremos tomar para a persecução dos nossos objectivos estão interligados. Quando descobre em si um senso de propósito ou caminho a tomar, isto fornece-lhe energia. Todos temos um atração pela aventura, por emoções fortes na nossa vida. Quando vislumbramos uma possibilidade atractiva, isso chama toda a nossa atenção, excitando-nos. Quando decidimos atender a esta chamada para a aventura, fornecemos a nós próprios um propósito e direcção para acção. E isto é bastante poderoso e capacitador!

CONSCIÊNCIA MOTIVACIONAL

O primeiro passo para entender a sua própria motivação é prestar atenção aos picos e quedas, monitorizando os factores que o influenciam. Eu apelido isto de consciência motivacional. Quais são as coisas que lhe prendem a atenção, interesse e entusiasmo? O que o leva a decidir que vale a pena fazer algo? Quando você descreve os motivos que o envolvem profundamente, relembra a si próprio aquilo que deverá fazer para se sentir motivado.
Pergunte o seguinte:

  • - O que é que estou a fazer?
  • - Porque é que estou a fazer isto?
  • - Onde é que isto me leva?
  • - O que é que eu quero obter com isto?

Se não consegue encontrar boas razões acerca daquilo que está a fazer, pergunte-se, o que é que aconteceria se parasse. Se vislumbra consequências negativas, encontrou uma boa razão para continuar a fazer o que tem feito. Mas quando você pára de fazer coisas para as quais não encontrou boas razões para continuar, deixa um espaço vazio para que algo novo aconteça. Isto pode ser um passo para a descoberta do seu poder.

PERGUNTE A SI PRÓPRIO O QUE É QUE REALMENTE QUER

Quando faz esta pergunta, rapidamente foca a sua atenção naquilo que o motiva. Quando você segue os padrões que parecem ser os mais importantes para si, irá agir com motivação intrínseca. Esta é a motivação que vem realmente de dentro, e não baseada nas recompensas exteriores. Tende a ser uma fonte motivacional muito mais poderosa.

GANHE CONSCIÊNCIA DA SUA MORTALIDADE

Coloque a sua vida em perspectiva. Faça esse exercício, perguntando o que é que faria diferente se apenas lhe restasse um ou dois anos de vida? Esta pergunta pode parecer um pouco agressiva e mórbida, mas lembre-se que não passa de um exercício que tem por objectivo funcionar como um gatilho para a mudança. Existem muitos exemplo inspiracionais de pessoas que dramaticamente se cruzaram com a morte e sobreviveram, alterando-lhe a vida para muito melhor. Felizmente você não precisa de passar por esta experiência. Tudo aquilo que necessita é de pensar no quanto ainda tem para viver, e perguntar o que é que realmente quer que lhe aconteça ou que pretende fazer. Esta pergunta convida-o a descrever a visão de como é que gostaria que a sua vida fosse, e o que é que está disposto a fazer para ir ao seu encontro. Quando tiver uma visão positiva à sua frente, isto tornar-se-á a sua chamada para a aventura. Dá-lhe uma razão para sair de manhã da cama com entusiasmo, ao invés de relutância. Dá-lhe uma boa razão para desenvolver o seu poder pessoal. Mas o que fazer se não tiver a certeza absoluta do que quer fazer?

PROCURE CLARIFICAR-SE

Por vezes o nosso propósito de vida é-nos revelado um pouco de cada vez. Só quando fazemos uma retrospectiva da nossa vida o puzzle fica compreensível, conseguindo nessa altura vislumbrar o que é que a nossa vida tem sido e para onde parece caminhar.

Um ditado útil é: “Em vez de procurar o propósito da vida, viva a vida com propósito”.

Todos nós na nossa vida já passámos por momentos de indecisão e de confusão, andando um pouco à deriva, sem saber bem que rumo tomar. Não sou apologista que se deva viver “agarrado” a máximas ou a chavões, no entanto tenho por hábito dizer, que quando não sabemos aquilo que queremos, deveremos pelo menos esforçarmo-nos para saber aquilo que não queremos. A visão do que se pretende e as preocupações são ambas motivadores poderosos, num reconhecemos aquilo que nos atraí, noutro identificamos aquilo do qual nos queremos afastar.

A reter: uma das pistas que lhe pode dizer que está no caminho certo é quando você encontra algo que sabe perfeitamente que não quer.

INSATISFAÇÃO INSPIRACIONAL

Uma da formas mais comuns de ficarmos com a nossa motivação bloqueada é quando as boas razões para a mudança ou desenvolvimento são ignoradas porque são desconfortáveis e difíceis. Muitas pessoas dizem: “eu não quero pensar sobre isso, porque isso aborrece-me, irrita-me”. O desapontamento, aborrecimento e o medo são sinais que nos alertam para a necessidade de enfrentarmos a situação.

A reter: O aborrecimento pode ser um motivador poderoso – quando estamos aborrecidos por alguma coisa, agimos na tentativa de mudá-la.

A insatisfação é uma chamada para a aventura. Dá-lhe uma boa razão para se interessar em encontrar o seu poder. Aquilo que vamos explorar a seguir é como é que vai usar ambos, a insatisfação e a visão positiva para se motivar.

Um ponto de partida útil é: Como é que pode intensificar a motivação que já possui?

Quando você no inicio do processo fortalece a sua força de vontade está a promover a capacidade de manter o ímpeto motivacional.

Experimente o seguinte, numa folha de papel complete as afirmações:

  • - As coisas que me aborrecem mais são …
  • - As minhas maiores preocupações relativamente ao futuro são …
  • - Aquilo que eu não gostava mesmo nada que me acontecesse era …
  • - Se eu tivesse a certeza que aquilo que quero se concretizava eu faria …

A motivação é influênciada pela forma como nós olhamos para determinada situação. Quando temos plena certeza do contributo e valor de uma determinada acção como sendo muito significativa para a obtenção daquilo que pretendemos, arranjamos todos os motivos e mais alguns para fortalecer a nossa vontade. Esta situação aqui ilustrada levanta-nos outro problema. E se aquilo que nós mais queremos que aconteça nos parece impossível de alcançar?

O QUE VEM ANTES DE “COMO” FAZER

Isto leva-nos a uma outra questão: Como é que você sabe até que ponto é impossível?
Quando Thomas Edison inventou a lâmpada eléctrica, ele sabia o que queria fazer, mas não sabia como fazer. Ele tentou milhares de formas diferentes, e todas falharam. Ele continuou a tentar, porque a sua visão deu-lhe uma boa razão para continuar. Ele tinha uma ideia excitante e acreditava nela. Na verdade uma das sua tentativas acabou por surtir o resultado esperado. Este exemplo ilustra um importante princípio da criatividade: aquilo que vem antes de como fazer.

A reter: Se você diminuir a visão daquilo que quer porque não sabe imediatamente como fazer, irá ficar paralisado antes de encontrar uma maneira.

O QUE É QUE CHAMA POR VOCÊ

Quando você foca a sua atenção naquilo que pretende fazer e porque é que quer fazer, reforça o seu interesse e fortalece a sua força de vontade. Isso foi o ponto de partida. Agora você necessita de desenvolver a forma de fazer.
Experimente o seguinte:

  • - Se este post o pudesse ajudar a fazer uma coisa, o que é que poderia ser?
  • - Porque é que isso é tão importante para você
  • - Repita as vezes que ache necessário, de cada vez pergunte: “se houvesse outra coisa, qual é que seria?”

PONTOS PODEROSOS A RETER

  • 1. A chamada para a aventura são impulsos motivacionais: você sente um apelo interno para fazer algo, ir a algum lado, ou implementar alguma mudança. Decidir responder a estes apelos dá à sua vida uma direcção e propósito de tal forma que o energiza. Tal como já referi anteriormente, este é o ponto de partida para descobrir o seu poder.
  • 2. Em vez de esperar passivamente por momentos de inspiração ocasional, você pode aprender gatilhos motivacionais que o capacitam. Aqui apresento resumidamente as 7 formas de fazer isso:

- Consciência motivacional: quando você conhece os motivos que o envolvem, isto relembra-o daquilo que precisa para ficar motivado.

- Pergunte a si próprio o que é que realmente quer: a resposta encoraja-o a ir para lá do óbvio e descobrir as áreas que mais importam para você.

- Ganhe consciência da sua mortalidade: se existe algo que realmente quer fazer, relembre-se que tem um tempo limite para o fazer. Vença a inércia e acelera direito ao objectivo.

- Procure clarificar-se: se não tiver certeza daquilo que quer, o desejo de clarificar o seu propósito pode transformar-se na sua chamada para aventura. Isto permite iniciar a viagem de procurar algo que o inspire verdadeiramente.

- Insatisfação inspiracional: a motivação pode ficar bloqueada quando as boas razões para a mudança são ignoradas por serem desconfortáveis. Sentimentos, perturbação e insatisfação podem ser um grande activador da energia motivacional.

- Reconhecer que o “quê” vem antes do “como”: se você se desmobilizar de uma ideia porque não consegue imediatamente ver como é que a consegue alcançar, irá inibir-se de poder arranjar uma solução. Saber o que é que quer é o inicio da etapa. Depois vem a viagem de descobrir uma maneira de como fazer.

- O que é que chama por você: se existiu alguma coisa em que este post o pôde ajudar, o que é que foi? Porque é que quer isso? Cada vez que faz estas perguntas clarifica a sua chamada para a aventura.

Fico esperançado que o possa ter ajudado a descobriu o seu poder pessoal.

Aguardo entusiasticamente pelas suas opiniões!

Abraço