Se você sofre de ansiedade social, provavelmente tem muitos pensamentos e crenças negativas que passam diariamente na sua mente e especialmente em situações sociais. Você pode nem estar ciente dessas crenças na maioria das vezes. A ansiedade também torna mais difícil ficar atento e estar ciente dos seus pensamentos. No entanto, esses pensamentos e crenças são exatamente aquilo que alimenta a sua ansiedade social. Uma vez que você tome conhecimento dessas falsas crenças e distorções cognitivas e as substitua por outras mais realistas, a ansiedade social irá diminuir. No entanto, isso pode levar algum tempo e prática porque os nossos cérebros precisam de tempo para se acostumar com novos padrões de pensamento.

Em seguida apresento algumas formas distorcidas de pensar que provavelmente você tem se sofre de ansiedade social:

1. Você acredita que sabe o que as outras pessoas pensam acerca de si

Pessoas com ansiedade social tendem a tentar “ler as mentes de outras pessoas”. É comum tirarem conclusões sobre o que outras pessoas pensam acerca delas sem terem provas. E essas conclusões são quase sempre negativas.

Este exercício mental é muito penalizador para quem sofre de ansiedade social, pois faz disparar nas suas mentes cenários catastróficos alimentados pelo medo de falar em público e/ou julgarem não ter nada de interessante para dizerem. A sua insegurança promove a falácia da leitura da mente, levando a pessoa a acreditar que sabe exatamente o que as outras pessoas estão a pensar acerca dela.

Importa mesmo reter na sua mente o seguinte: Se as outras pessoas não verbalizarem o que pensam acerca de si, você não pode saber o que essas pessoas pensam acerca de si.

Então, se você não tem nenhuma evidência real, que alguém não gosta de você, relaxe e pare de saltar para conclusões negativas que o paralisam e botam abaixo.

isolamento social

2. Você acha que as outras pessoas estão constantemente a prestar atenção em si

Você está ciente de cada movimento e expressão facial que faz, provavelmente sentindo que está sendo monitorado de perto por todos, enquanto na realidade a maioria das pessoas nem percebe o que você está fazendo. As outras pessoas tendem a preocupar-se com os seus próprios assuntos, interesses e até inseguranças que também possam ter. Por isso relaxe, na grande maioria das interações sociais que você participa provavelmente não é o centro das atenções.

Dica: Mesmo que algumas pessoas prestem atenção em você, não é necessariamente para o julgar.

3. Você tende a interpretar todos os comportamentos como um julgamento direcionado para si 

Sempre que alguém faz ou diz algo, o mais certo é que você questione se isso é de alguma forma direcionado para você. Essa paranóia é um efeito colateral da sua ansiedade social. Você torna-se hiper vigilante para qualquer forma de julgamento, e vê isso onde não existe (fruto da sua imaginação fundada nos seus medos e inseguranças). Isso, infelizmente, perpetua a sua baixa autoconfiança.

Por exemplo, se alguém é naturalmente sarcástico para todas as pessoas envolvidas numa conversa, você julga que o discurso é dirigido exclusivamente para si, porque acredita que os outros acham que você é estúpido. Provavelmente você tem a crença que não tem nada de interessante para falar, ou se falar você irá travar ou gaguejar e que todos irão rir na sua cara. Mas tudo isso é fruto da sua imaginação (ansiedade cognitiva).

Dica: Quando os pensamentos catastróficos e ansiosos dispararem na sua mente, dê um tempo, e perceba que esses juízos acerca de si mesmo (que você imagina que os outros estão pensando) não são verdadeiros, mas estão acontecendo apenas na sua cabeça.

4. Você vê as outras pessoas como extrovertidas e super confiantes

Você acha que todos têm habilidades sociais perfeitas e que é o único que é tímido e inseguro na interação social. Pode até questionar-se como as outras pessoas podem agir de forma despreocupada e estar tão confiantes. Na realidade, as outras pessoas também têm inseguranças sobre as suas interações sociais, talvez não de forma tão prejudicial e paralisante, mas têm. Em vez de pensar que todos estão constantemente avaliando e julgando você, lembre-se que as outras pessoas também estão preocupadas se você gosta delas e se as aceita como são. 

Dica: Para que se sinta mais seguro e mais capaz na interação social, fale do que você sabe, fale dos seus interesses, dos seus gostos, do que você valoriza e é importante na sua vida.

5. Você define padrões perfeitos para si mesmo

Você quer ser capaz de dar uma boa impressão a todos, e mesmo que apenas uma pessoa não goste de você, isso é motivo suficiente para ficar desapontado. Ninguém neste mundo é apreciado por todos (o ditado já é antigo, não se pode agradar a Gregos e Troianos), e quanto mais pessoas você conhecer, mais provável é que encontre algumas que não gostam de você.

Na verdade, aquelas pessoas que são extrovertidas, socialmente conhecidas, e que você acha que têm uma vida social perfeita, provavelmente não são apreciadas por muitas das pessoas que conhecem. As pessoas não gostam de outras pessoas por muitas razões. Elas podem estar com ciúmes de você, elas podem não gostar dos seus amigos, elas podem ter diferentes crenças ideológicas, etc.

Dica: Enquanto for uma pessoa respeitosa e não der a ninguém uma boa razão para não gostar de você, também não se preocupe muito sobre algumas pessoas que não gostam de você.

6. Você valoriza as partes negativas das interações sociais

Mesmo que toda a interação social tivesse corrido bem, mas houvesse apenas um momento em que as coisas ficaram estranhas, você continuaria ruminando sobre esses momentos estranhos e achando que toda a interação foi mal sucedida. Por exemplo, se você realizou uma apresentação com sucesso, mas esqueceu o seu discurso uma ou duas vezes, provavelmente passaria o resto do dia pensando nesses momentos e sentir-se-ia mal consigo mesmo.

Dica: Em vez de concentrar-se nas partes negativas das suas interações sociais, tente concentrar-se na imagem geral, e sobretudo no que correu bem.

7. Você subestima suas habilidades sociais

Pessoas com ansiedade social subestimam as suas habilidades sociais e acreditam serem socialmente incompetentes. Pode acreditar que todos têm melhores habilidades sociais do que você. As outras pessoas provavelmente não possuem melhores habilidades sociais do que você. Você acredita falsamente nisso e inibe-se de interagir e provar para si mesmo que tem boas habilidades sociais.

Dica: Foque a sua atenção na sua capacidade de dialogar normalmente, nas suas expressões de ânimo, no seu entusiasmo quando fala de um assunto que gosta, lance um sorriso afável, mostre-se interessado no assunto da conversa, faça questões.

Em baixo assista ao vídeo onde respondo a uma leitora como ela pode lidar com a ansiedade social:

Abraço,

Miguel Lucas