Com o ano 2018 à porta novas perspectivas podem ser pensadas, com isso na sua mente tome consciência que a cada novo dia pode ter a possibilidade de mudar algo na sua vida. Tem a possibilidade de olhar os mesmos problemas por outro prisma, e que esse novo olhar depende daquilo que pretende alcançar e o quão quer ou não quer fazer algo. Se pretende melhorar a sua vida, importa tomar a decisão de contribuir para que isso possa ser concretizado. Desejar apenas, não passa de intenção, e intenção não é ação.

Todos os dias nasce uma chance de reinventar-se, de ajustar-se, de melhorar-se e construir-se com base nas aprendizagens que tem vindo a acumular. Nunca é tarde demais para mudar as coisas que não estão funcionando na sua vida. No exato momento que perceber que algo não está indo como deseja, pode decidir fazer alguma coisa para mudar isso.

1 – Cuidar do seu corpo e saúde geral

Com a esperança média de vida a aumentar nas últimas décadas, viver nos dias de hoje até aos oitenta ou noventa anos é uma realidade. Decida se quer dançar na festa de casamento dos seus netos e sentir-se tremendamente bem acerca de si mesmo todos os dias da sua vida, a partir deste momento. Já pensou acerca de quantos anos tem intenção de viver? E em que estado de saúde?

Isso passará a ser o seu objetivo. Agora leve em consideração cada dia de 2018, e o que se propõe a fazer lhe permite chegar à idade que estabeleceu. decida-se a exercitar o seu corpo. Os benefícios inerentes à prática da atividade física são amplamente reconhecidos. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a atividade física reduz o risco de morte prematura por doenças cardiovasculares, diabetes do tipo II e cancro do cólon, reduz ainda a depressão e a ansiedade, ajuda a controlar o peso corporal, a reduzir a hipertensão arterial, a manter a saúde e o bom funcionamento do sistema músculo-esquelético, a melhorar a mobilidade e a promover o bem-estar psicológico.

Invista igualmente na sua saúde psicológica, percebendo que vive num mundo globalizado, em que todos dependemos de todos. Eu acho que é possível descrever alguns temas chave da saúde psicológica e alguns dos traços que caracterizam uma personalidade saudável no mundo de hoje. Apresento alguns:

  • Ser capaz de sair do seu modelo de “guiado pelo ego” e ver o mundo de uma forma mais ampla, a perspetiva de não julgamento. Como subir ao último andar do prédio e olhar a rua do alto e não ao nível do chão. Alargar o ponto de vista é palavra de ordem.
  • Uma orientação de vida muito além de apenas extrair valor para si mesmo, em  tudo o que você está envolvido: a sua relação, o seu trabalho deve contribuir valor a algo que é maior do que apenas o seu próprio interesse. Que inclui um foco em contribuir para o bem público.
  • Uma orientação altamente pró-ativa que abraça a evolução contínua, crescimento, novas aprendizagens e abertura para o desconhecido, que está um pouco além do que você acha que é capaz de fazer.

ano 2018

2 – Enfrentar um medo irracional

A maioria de nós provavelmente teme coisas que não deveríamos realmente temer, como uma consulta de rotina ao dentista, medo de fazer uma apresentação, medo de uma aranha, medo de uma determinada sensação corporal. Apesar de percebermos, racionalmente, que não devemos temer algo tão bobo, não conseguimos evitá-lo.

Na maioria das vezes, esses pequenos medos não nos prejudicam muito, mas há momentos em que eles podem impedir-nos de fazer escolhas positivas, ou podem impedir-nos de viver no presente, como por exemplo, quando alguém monitoriza constantemente o seu corpo à procura de sensações desagradáveis que julga serem ameaças para a sua vida.

O medo pode tomar o controle das nossas mentes e fazer-nos acreditar  que o perigo é iminente, mesmo quando estamos perfeitamente seguros. Ele pode sobrecarregar as nossas emoções, até ao ponto que ficamos “cegos” e não vemos mais nada a não ser o cenário catastrófico gerado na nossa mente. O medo pode realmente atrapalhar imenso a sua vida, mas só se você permitir. Às vezes, temos mais controle sobre os nossos medos do que julgamos. Nós temos o poder de recuperar o controle sobre as nossas próprias mentes, dirigindo a nossa atenção para o que é racional e verdadeiro.

3 – Melhorar o seu humor

Os estados de humor têm uma forte influência na nossa vida. Os estados de humor influenciam a forma como pensamos, sentimos e agimos no mundo. Saber regular o nosso humor é uma vantagem para sermos assertivos e tomarmos decisões acertadas de acordo com os nossos objetivos de vida. Nem sempre conseguimos garantir uma estabilidade no humor, por vezes o humor diminui e com isso pode surgir o abatimento, a angústia, a raiva, a irritabilidade, e nos casos mais severos conduzir-nos a algum tipo de transtorno psicológico como a ansiedade e depressão. Poucos de nós foram ensinados a regular as nossas emoções indesejáveis e, portanto, poucas pessoas são capazes de manter um nível constante de humor “bom” o dia todo. Algumas sugestões:

  • Seja grato. Pode parecer “cliché” sermos gratos por aquilo que temos ou conseguimos fazer, ou expressar gratidão aos outros.
  • Pratique o sorriso. Não quero transmitir a ideia de que se você tem motivos para estar mal humorado, que deverá desatar às gargalhadas, nada disso. O que pretendo transmitir, é que se você está com o seu humor em baixo e pretende elevá-lo, pode utilizar o sorriso como uma forma simples e eficaz para sentir-se melhor.
  • Envolva-se com as suas ações. Relembre um momento em que você foi criança. Tente avivar as imagens que guarda acerca da forma como se envolvia nas suas brincadeiras. Visualize a alegria, a excitação e o envolvimento que você tinha nas coisas que fazia quando era jovem. Essa capacidade de tirar proveito, alegria e satisfação das tarefas que realizamos, por vezes, na idade mais avançada vai-se perdendo.

4 – Mudar os seus comportamentos indesejados

Aprender é mudar. Mudar para melhor é sinónimo de desenvolvimento pessoal. E inevitavelmente por autoiniciativa ou por imposições da vida, a mudança acontece em nós. Mas, por vezes quando mais desejamos e necessitamos mudar algo, mais somos invadidos por um conjunto de obstáculos e autossabotagens  que nos retiram capacidade para efetivarmos a mudança desejada.

Deixo-lhe uma sugestão: Mude a sua atitude e não a si mesmo.

Se percebe que gostaria de ser mais como o seu amigo, ou alguém de referência que considera um modelo, não faça apreciações depreciativas acerca de você. Não se compare pela negativa. Aprecie sim o que gostaria de ver em si mesmo e faça algo que permita implementar esse comportamento, forma de ser, ou atitude que achou poder beneficiá-lo.

5 – Expandir a sua zona de conforto

Durante a maior parte do tempo, vivemos num estado de ser muito estável. Fazemos as nossas coisas da mesma forma, dia após dia, e a vida parece ser pacífica, confortável e descontraída. É assim que melhor nos sentimos e para o qual a nossa estrutura cerebral nos empurra. Gostamos de ter a certeza das coisas, de facilitar a sua obtenção, que não nos cause incómodo, que nos poupem tempo e que acima de tudo não tenhamos que pensar muito para tomar decisões em tempo útil. Somos  construídos no hábito, e o hábito é um padrão mental e comportamental que é instituído por força da repetição.

No entanto, ocasionalmente, temos que fazer algo com o qual não nos sentimos muito confortáveis. Por exemplo, você tem que fazer uma apresentação para os seus colegas de trabalho,  mesmo sabendo que odeia fazer apresentações devido ao medo de falar em público. Ou, que apesar de você achar que não tem queda para as línguas, tem de inscrever-se num curso de inglês porque o seu patrão necessita de você para dialogar com possíveis clientes que se expressam em Inglês.

Por vezes, alargar a sua zona de conforto é imperativo  em favor do seu próprio desenvolvimento pessoal. E isto pode causar algum incómodo, tornando-se desconfortável. Mas o desconforto é temporário, dado que temos uma capacidade enorme de aprendizagem e adaptação.

6 – Utilizar o seu poder de foco

Todas as pessoas foram abençoadas com o poder de foco. Este poder que faz uso da sua atenção pode levá-lo a realizar proezas incríveis. Depois de tomar consciência desse dom, você pode usá-lo a seu favor numa grande variedade de situações. Importa que você entenda a importância do seu poder de foco e aprender a usá-lo. A mente é uma ferramenta que todos utilizamos para alcançar aquilo que pretendemos na vida. Mas, primeiro, você tem que dizer a si mesmo o que você quer. E se você disser isso sentindo a emoção adequada, o impacto é dez vezes maior.

Se você alinhar o seu poder de foco com os seus sentimentos positivos, isso irá orientá-lo para o que você quer. A sua mente é o veículo perfeito para explorar novas ideias e pensamentos para mudar a forma como você se sente e imaginar o que você quer, e o seu foco permite melhorar todo o processo uma vez que você decida o que quer.

7 – Olhar o lado otimista e positivo da vida

Todos temos os nossos dias de pessimismo, de negatividade e tristeza. No entanto, adotar uma atitude pessimista de forma recorrente e marcante ao ponto de afetar a forma como pensamos e decidimos a nossa vida, é certamente prejudicial. Por vezes, a pessoa nem percebe de forma consciente a maneira como vai enraizando o hábito de pensar de forma pessimista.

Durante 2018 olhe o seu dia a dia pelo lado funcional. Muitas pessoas olham a vida com esperança e otimismo em cada situação, promovendo as soluções e o seu bem-estar. Provavelmente pode não ser o seu caso. Ou, eventualmente já foi assim, mas perdeu o rumo, o gosto pela vida, deixando que o seu lado negro tome conta dos seus pensamentos. Quero dizer-lhe que é possível tornar-se otimista. Que é possível adotar um conjunto de pensamentos, atitudes e forma de estar que lhe permitem olhar a vida pelo lado mais funcional, vantajoso e prático.

Não me interprete mal, não pretendo ser fundamentalista relativamente ao otimismo, existirão situações que ter uma leitura pessimista pode ser viável e adequado. Mas, interpretar algo de forma pessimista, não é o mesmo de sermos pessimistas. Algumas sugestões:

  • Observe a sua negatividade. Tenha atenção às palavras que usa no seu dia-a-dia. Que carga negativa, derrotista e pessimista possuem? 
  • Registe, procure evidências e contraponha o pensamento negativo. Se você identificar um pensamento negativo, anote-o. Escreva-o numa coluna de registo dos pensamentos negativos e descreva a evidência que justifica estar a pensar dessa forma. Em seguida, desenhe uma coluna para a evidência de que argumenta contra a ideia que suporta esse pensamento negativo.
  • Procure aspetos positivos nas situações difíceis. A sua equipe do coração perdeu o campeonato deste ano, mas pelo menos você conseguiu assistir ao jogo com os seus amigos e usufruir de momentos esportivos extraordinários. Você perdeu o seu emprego, mas não perdeu o seu conhecimento, a sua inteligência, nem a capacidade de procurar uma solução. A maioria das situações pode ser vista em ambas as perspectivas, uma positiva e outra negativa. 

Força e convicção para 2018.

Abraço,

Miguel Lucas