A auto-hipnose pode ser utilizada para melhorar a sua atenção, desempenho e confiança. A hipnose pode ser definida como um processo que depende da qualidade da comunicação e de alterações do comportamento desejado usando o subconsciente. Quando estamos no estado hipnótico (elevado estado de concentração), um estado de relaxamento e receptividade é alcançado facilitando assim um acesso directo à mente subconsciente, permitindo a sua reprogramação e assim mudar ou implementar processos, estratégias, pensamentos capacitadores ou afirmações desejadas, quer seja pelo atleta (auto-hipnose) ou por um profissional qualificado (hipnoterapia).

A auto-hipnose permite que se estabeleça uma ligação directa à acção desejada, sem bloqueios, sem sabotagens e concentrando todos os recursos do atleta na tarefa a desempenhar.

RELUTÂNCIA

A hipnose é ainda vista com alguma relutância ou descrença, na verdade também eu já tive essa mesma ideia. Provavelmente por influência de alguns programas de televisão ou por histórias que todos já ouvimos acerca de actos anedóticos interpretados por mágicos. Esta hipnose de entretenimento nada tem a ver com a hipnose clínica praticada por profissionais credenciados, sustentada em estudos científicos e encarada com seriedade no mundo científico.
Sob hipnose (elevado estado de concentração), não se consegue levar ninguém a fazer nada que ela não queira, ou que esteja contra o seu sistema de crenças. Os comportamentos, atitudes ou acções só serão alterados com êxito caso o indivíduo queira.

Um equívoco comum que as pessoas apresentam relativamente à hipnose, é que tem forçosamente de envolver um estado profundo de transe, e que se esquece o que se está a experienciar ou que não se tem controlo sobre as próprias acções. Na hipnose ou auto-hipnose propriamente dita, ensinada e aplicada devidamente acontece exactamente o oposto, o que se pretende é que o atleta recorde e controle as suas acções, ainda que induzidas por outrem ou auto-induzidas, inibindo as possíveis barreiras à performance e estimulando o lado criativo e capacitador de si próprio.

A VERDADE E A UTILIDADE

Através da hipnose podemos controlar a dor física, ter um melhor desempenho no nosso trabalho e/ou no desporto, por exemplo podemos mudar as nossas atitudes face às competições. Podemos eliminar medos, preocupações, ansiedades, stress, lidar melhor com as lesões, contratempos, emoções negativas, crenças limitadoras, hábitos incapacitantes, memórias negativas e experiências menos bem conseguidas. No fundo a hipnose ou auto-hipnose funciona como um processo facilitador para o atleta conseguir tornar-se numa pessoa muito mais confiante e bem sucedida

COMO FUNCIONA A HIPNOSE

Quando a hipnose é induzida, entramos num estado alterado da consciência, os processos cognitivos conscientes são drasticamente inibidos, o pensamento analítico fica temporariamente suspenso. Isto permite-nos ter acesso directo à mente subconsciente, onde estão alojados todos os processos automáticos, a raiz dos nossos hábitos, crenças, desejos e medos. Estabelecido este contacto com a nossa mente subconsciente, torna-se mais fácil e rápido fazer novas aprendizagens ou modelar alguns comportamentos, no fundo temos agora a oportunidade de poder reprogramar a mente para que possamos ficar mais aptos para atingir os nossos objectivos.

FOCO

Através da auto-hipnose aprende-se a focar os recursos e faculdades do corpo e mente para a realização e concretização de um objectivo. O nosso cérebro está muitíssimo treinado para estar á escuta do corpo, como bem descreveu António Damásio, o cérebro é, portanto, uma espécie de público forçado do espectáculo do corpo. Por exemplo, se um atleta tem como máximo 50 flexões de braços, normalmente quando se percepciona a chegar às 40, o cérebro foca-se especificamente na sensação de cansaço e dor, comprometendo assim a obtenção do objectivo. Sob hipnose o atleta está focado apenas em “fazer”, a indicação do número de flexões é o único estímulo que o cérebro está a processar, inibindo tudo o que se apresente como obstáculo à realização do objectivo, mesmo a própria dor. A capacidade de focar a mente no objectivo pretendido é promotora do máximo rendimento desportivo.

UM FENÓMENO NATURAL

O estado de hipnose é um fenómeno que ocorre com naturalidade. Podemos verificar isso quer em crianças quer em adultos. Quando as crianças estão completamente absorvidas no visionamento de um filme, a ouvir histórias sobre heróis ou simplesmente a fantasiar. Quando conduzimos um automóvel e chegamos ao local pretendido e não recordamos por onde se passou, quando admiramos uma obra de arte ou olhamos para uma paisagem deslumbrante, ou simplesmente quando sonhamos acordados.
Existem quatro fases no processo de auto-hipnose. Estas fases podem ser aprendidas com facilidade com a ajuda de um praticante qualificado.

  • 1. Fixação
  • 2. Relaxamento
  • 3. Receptividade
  • 4. Repetição de sugestões

BENEFÍCIOS DA HIPNOSE

Quem pode beneficiar da auto-hipnose? Atletas, artistas, músicos, executivos, qualquer pessoa que pretenda melhorar um resultado ou a própria vida. Usando esta poderosa capacidade de foco para promover e desenvolver as capacidade físicas e mentais os atletas removem grande parte das limitações que possam ter. Através do desenvolvimento da capacidade de dar indicações precisas a si próprio e conseguir segui-las sem interferências, os atletas aprendem a colocar-se no seu melhor estado de recursos, utilizando tudo o que o seu corpo e mente possuem, aumentando desta forma as possibilidades de sucesso.

EVIDÊNCIAS

Na actualidade a investigação científica apresenta evidências de que se o atleta se imaginar a executar uma determinada habilidade, exercício ou tarefa desportiva, isto causa uma actividade bioeléctrica muscular (verificado através da técnica de diagnóstico – Electromiografia), parecida à que poderia ocorrer durante a execução física. Por exemplo, se você se imaginar a flectir o braço esquerdo pelo cotovelo, seria possível monitorizar a actividade eléctrica do músculo bíceps, embora nenhum movimento físico ocorresse. No entanto, o padrão de intensidade de activação durante o exercício imagético não seria exactamente igual ao registado durante o movimento real. Apesar das diferenças na intensidade da activação, a imaginação das acções ou movimentos têm o efeito de utilizar e estimular os músculos para a subsequente acção física, e isto traz bastantes benefícios para a promoção do desempenho na actividade desportiva. É também evidente que os impulsos neuronais que passam do cérebro para o sistema muscular durante a visualização de movimentos ou acções podem ser retidos na memória, quase como se o movimento tivesse realmente ocorrido.

As evidências apontam no sentido da utilização da auto-hipnose no treino desportivo ser uma vantagem para a melhoria da performance.

Na minha experiência prática de aplicação da auto-hipnose a atletas, tenho comprovado ser uma ferramenta de trabalho muito enriquecedora. Entre vários objectivos para os quais tenho utilizado a auto-hipnose, destaco a utilidade para o treino da Zona Óptima de Funcionamento Desportivo, a qual apelido nos meus programas de preparação mental “Carregar o Modo Competitivo”. Os atletas simulam em estado de auto-hipnose, cenários possíveis de acontecerem em competição. Desta forma, é possível perceber quais as estratégias mais familiares para os atletas, e que consequentemente possam ter mais probabilidade de ter êxito. A possibilidade de simular cenários, quer de máximo rendimento (e assim “gravar” os estados de óptimo rendimento), quer de dificuldades que possam ocorrer em competição, promove a preparação e consequentemente a confiança do atleta.

Até Já!