Tudo muda a todo o momento, e não dá para travar essa dinâmica. Acabou o namoro, acabou o emprego, acabou a série de TV preferida, acabaram as férias, acabou o dinheiro, acabou a paciência. É, tudo muda e tudo acaba mesmo. E nós, é isso mesmo que temos mais certo. A nossa vida um dia termina, agora, amanhã, para a semana, daqui a dez anos. É, não sabemos. Não precisamos esperar pela mudança e muito menos pela nossa finitude para reconhecer o que importa, agora mesmo. Agora é o tempo. Agora é o tempo de expressarmos a versão mais grandiosa, mais sublime e mais extraordinária de nós mesmos. O tempo é agora. Em seguida apresento sete reflexões que podem promover o seu bem-estar e ajudá-lo a construir um caminho mais significativo e feliz na sua vida.

Agradar aos outros

Não importa quem você é, o que pensa, o que faz, algumas pessoas vão gostar e algumas não, algumas irão concordar com você e algumas irão discordar. Não se preocupe com isso, não fique mudando a si mesmo na tentativa de viver de acordo com as expectativas dos outros. Isso só vai criar conflitos internos e confusão. Aprenda a conectar-se com o seu eu verdadeiro. Descubra o que você quer ser.

O que o impulsiona, o que você defende, o que valoriza, o que lhe é significativo, onde pretende chegar, essas são algumas das coisas que permitirão mantê-lo no seu próprio caminho. Agradando a você mesmo. Não quero dizer que não devemos levar os outros em consideração, claro que saber ouvir e saber analisar a viabilidade de uma opinião é uma mais valia. É no entanto importante que essa opinião vinda dos outros se encaixe na sua forma de ser e de estar no mundo.

Intenções pessoais

Gaste alguns minutos refletindo sobre a sua mais profunda intenção. Há muitas questões por trás das nossas intenções, palavras que podem orientar a introspeção: Qual é o meu valor mais profundo? O que faz disparar o meu coração? O que é para mim a liberdade, e como isso me faz sentir? Na correria da nossa vida, muitas vezes é fácil esquecer a motivação fundamental pela qual escolhemos viver. O que estamos fazendo com as nossas vidas? Refletindo sobre valores mais profundos da sua vida pode tornar-se um ritual diário, quando você está dirigindo para o escritório ou a tomar um duche. Quando somos claros sobre as nossas intenções, as nossas vidas movem-se com um enorme propósito.

Por vezes é preciso ficar consigo mesmo:

Para perceber,
Para abrandar,
Para fazer menos,
E abrir-se mais.

Para respirar,
Ficar ciente,
E saborear a plenitude de estar acordado.

refleit

Pratique a apreciação da vida fazendo boas perguntas

Independentemente da situação que você se encontra, fazer as perguntas certas, ou fazer as declarações corretas, pode ajudá-lo a descobrir razões para ser grato ou sentir gratidão. Por exemplo:

1) O que existe sobre esta pessoa, situação ou experiência que eu possa…. apreciar ?
2) Que lição valiosa essa experiência me ensinou?
3) Como posso beneficiar do exemplo dessa pessoa? ( Mesmo que seja um…. exemplo do que não fazer)
4) Qual é característica mais notável e positiva desta pessoa?
5) Como posso injetar um pouco de energia positiva para esta situação?

Se você cultivar o hábito de concentrar-se no positivo, o seu nível de valorização vai aumentar. Você passará a encontrar mais e mais motivos para apreciar todos os aspetos da sua vida, você vai tornar-se um ímã para atrair energia positiva. E essa energia positiva que passará a fluir na sua vida vai dar-lhe ainda mais motivos de apreciação. Agora é com você. Você vai permitir que a apreciação mude a sua vida?

O caminho do bem

Com tantas coisas negativas a acontecer no mundo que fogem ao nosso controle, tem coisas que podemos decidir a favor do bem dos outros. Façamos acontecer coisas boas para nós mesmos e para os outros. A decisão depende única e simplesmente de nós.

Podemos decidir:

Expressar a nossa simpatia;
Ser atenciosos;
Ter compaixão;
Dar a mão a quem está necessitado;
Ser justos;
Dar crédito aos outros;
Ouvir as ideias dos outros;

A favor do nosso próprio bem:

Acreditar em nós;
incentivar-nos;
Orientar o nosso pensamento para o positivo;
Alinhar as ações com os desejos;
Praticar o otimismo e evitar a vitimização;
Olhar as nossas forças e melhorar as nossas fraquezas.

Saber relacionar-se com a dor

Por vezes a dor invade a vida, invade-nos sem convite ou aviso prévio, impõe-se sem pedir opinião, sem quês nem porquês. Rejeitamo-la, odiamo-la, não sabemos lidar com ela. Tira-nos do sério, enfraquece-nos a esperança e o espírito. Não sabemos nem queremos relacionarmo-nos com a dor. Mas ela faz-se sentir, entranha-se na pele, no músculo, e até na mente. Corrói-nos por dentro. Altera-nos os sentimentos e a forma de estar no mundo. Quer queiramos ou não, acabamos por ter um relacionamento com a dor, a dor física, a dor emocional.

Aprender a relacionarmo-nos com a dor, sempre que ela se faz sentir, pode acalmar essa mesma dor. Não, não é fácil, mas é primordial. Não, não a pedimos, mas temos de a acolher. Acolher a dor, aceitá-la, acalmá-la, suportá-la, combatê-la, amenizá-la, são tudo formas de nos relacionarmos com a nossa dor, e, em algum momento terão de tomar a dianteira da nossa atenção. Aceitá-la, acalmá-la, suportá-la, combatê-la, amenizá-la, são tudo formas de superá-la.

O significado da vida

A vida em si não tem necessariamente um significado. A vida tem o significado que cada um lhe quer dar, ou encontra para si. O que para mim é algo excitante para outras pessoas pode ser aterrador. A capacidade que cada um de nós tem para darmos significados particulares às nossas experiências, faz com que seja possível acontecer um fenómeno extraordinário: A vida é aquilo que cada um vive, interpreta, sente, expressa e pensa, na sua relação com o mundo, com os outros e consigo mesmo.

Quem nós somos enquanto pessoas?

Arrisco a dizer que nós somos aquele que pode mudar a si mesmo para melhor. Nós somos a pessoa que tem consciência que comporta em si algumas formas de agir que podem não servir mais, e que tem a capacidade de instituir em si mesmo novas formas de pensar, sentir e agir. Incentivo-o a promover as suas habilidades, as suas virtudes e valores. Elimine os seus maus hábitos e implemente novos comportamentos, formas de pensar e de agir sempre que se verifique serem adequados à realização dos seus sonhos. Eleve-se, tendo a noção que elevação é a capacidade de conduzir-nos e puxar por nós mesmos.

Abraço,

Miguel Lucas