Em todas as minhas área de atuação como psicólogo, o desafio mais importante que enfrento e o qual também me proponho a realizar é a criação de mudanças saudáveis e sustentáveis para as pessoas. A forma de realização desse objetivo é ensinando técnicas, abordagens e conceitos poderosos e simples que as pessoas possam aplicar no seu dia a dia, usando tudo isso para fazer progressos significativos naquilo a que se propõe e viver uma vida mais feliz. Quero realçar um conceito que expressa a valorização e satisfação com a vida, envolvimento pleno com a vida, que é conscientemente estabelecer uma elevada conexão intencional com as nossas ações e acontecimentos de vida. É querer estabelecer uma conexão significativa com todas as áreas da nossa vida e contribuirmos com todo o nosso ser. 

Na agitação da vida moderna, por vezes, tendemos a movimentarmo-nos em piloto automático, com objetivos “desnudados”. Com frequência, parece que agimos num sistema simplificado de E (estímulo) – R (resposta), estamos em A e precisamos chegar a B. Tudo o resto recebe pouco mais do que um olhar de passagem. Quando fazemos as coisas em modo automático passamos ao lado da essência da nossa vida.

“Pare de gritar com o filme, você nunca o irá mudar dessa forma. Mude o filme no projetor. Você é o projetor.” -David Icke

Na obsessão da execução das tarefas diárias ou expectativas de vida, corremos o risco de não apreciarmos o sumo da vida, olhamos o mundo pelo lado bidimensional, perdendo a experiência completa a 3D. O mesmo pode acontecer com as conversas que temos conosco mesmos. Na verdade, na grande maioria das vezes não estamos cientes que falamos para nós mesmos, e muito menos aquilo que falamos. Importa que você ganhe consciência que a todo o momento fala consigo mesmo, para que fique ciente do tipo de discurso que tem, e igualmente do impacto que isso tem em você e consequentemente na sua vida. Por este motivo, nos meus programas de melhoria ou em consulta, o ensino da autoverbalização deliberada positiva é um conteúdo de extrema importância.

verbalizar

O que é a autoverbalização deliberada e como a podemos praticar?

A autoverbalização deliberada envolve estar ciente do que falamos para nós mesmos, tendo noção da perspectiva tomada e do impacto que isso tem em todo o nossos ser. Você tende a assumir a responsabilidade de como se sente, ou “culpa” os outros por aquilo que sente, pelas situações que enfrenta e pelas circunstâncias da sua vida?  Por exemplo, quando você se sente perturbado pelo passado, olha para o seu passado como algo fixo e sólido, que continua a condicionar negativamente a sua vida? Esta perspectiva é incapacitante, porque atribui poder ao seu passado sobre você, no momento presente. Você voluntariamente dá-lhe o poder de incomodá-lo. Muitos de nós sentimos, pensamos, falamos e agimos com essa perspectiva incapacitante. Quando se aborda a questão do passado, temos de ser cautelosos e clarificadores, a única realidade acontecendo agora é a nossa forma de pensar e sentir sobre o passado. Quando percebemos e reconhecemos isso, podemos mudá-lo.

Expliquei de forma aprofundada este tema no artigo: Como libertar-se das angústias do passado

O poder de mudança pode ser materializado acionando o poder das autoverbalizações deliberadas positivas. Apresento um exemplo:

“Fico preocupado com o meu passado” pode ser alterado para “Eu preocupo-me com o meu passado. “

Há uma enorme diferença entre estas duas perspectivas. Na primeira assume-se que o passado tem o poder de afetar-nos. Na segunda atribuímos o poder de decisão a nós mesmos e como o passado nos afeta. Esta é uma distinção muito valiosa. Esta nova forma de estruturar as palavras faz da pessoa um observador ativo e participante na sua própria experiência. Mais importante, este processo dá-lhe o poder de transformar a sua experiência atual no que você escolher ser. Lembre-se desta ideia simples: a sua reação a um acontecimento é tão importante quanto o próprio acontecimento, assim a forma como você reage a um acontecimento cria a sua perspectiva (a sua realidade construída). A responsabilidade é sua, quer esteja ciente disso ou não. Se você é a pessoa que está criando a sua perspectiva dos acontecimentos de vida, você é o único que pode mudar essa mesma perspectiva. Você pode pensar, falar, agir e sentir de forma diferente. As pessoas ou as circunstâncias não fazem nada para você psicologicamente. Você é que constrói psicologicamente tudo para si mesmo.

Apresento mais alguns exemplos de mudança de perspectiva através das autoverbalizações deliberadas positivas:

  • Ela faz-me ficar muito zangado

Eu deixo-me ficar zangado com ela

  • O meu pai faz-me sentir incapacitado

Eu deixo-me sentir incapacitado quando estou com o meu pai

  • A vida é tão incerta

Eu sinto incerteza sobre a vida

  • A notícia deixa-me triste

Eu entristeço-me com a notícia

  • A reunião de amanhã assusta-me

Estou a sentir-me terrivelmente mal com os meus pensamentos sobre a reunião de amanhã

  • O medo leva-me para longe do meu caminho

Por causa do meu medo, afasto-me do meu caminho

Quando assumimos a responsabilidade na nossa conversa falamos no tempo presente, porque o passado, o presente e o futuro só podem ser vividos agora. No presente, tudo o que temos é a nossa reação a coisas que aconteceram no passado. E no presente, só podemos antecipar a nossa reação às coisas que podem ou não acontecer no futuro. A reação real é da nossa responsabilidade. Lembre-se, as palavras que você usa criam a sua perspectiva da realidade. É o poder da perspectiva e, especificamente, o poder sobre as suas emoções e sentimentos atuais que você pode tomar nas suas mãos. Vai tomar o poder nas suas próprias mãos, ou atribui-lo a coisas fora do seu controle, tornando-se numa vítima?

Aprofundei este assunto no artigo: Poder narrativo, um importante passo para o poder pessoal

Eu acredito na beleza dos nossos sonhos e que ter uma vida plena requer um investimento no desenvolvimento pessoal e no aprofundamento do autoconhecimento. Se você não tem a vida que deseja, pondere investir no alinhamento das suas autoverbalizações deliberadas positivas com os seus objetivos, e dedique algum do seu tempo a isso. A prática das autoverbalizações deliberadas positivas dar-lhe-ão consciência da sua responsabilidade sobre a sua vida, apresentando-se como uma ferramenta simples para a melhoria da sua capacitação.

Abraço,

Miguel Lucas