Muitos de nós, por vezes passamos por momentos difíceis que colocam à prova as nossas forças e virtudes. Somos levados a entrar numa miríade de problemas que nos geram mal-estar, confusão, irritabilidade. A estabilidade emocional é afetada, os pensamentos negativos instalam-se, a ansiedade aumenta, a clareza de pensamento diminui e a vida fica um caos. Tudo parece um tormento, entra-se numa espiral negativa e as nossas emoções mais parecem ser comandadas por um tornado emocional que arrasa tudo por onde passa. Quantas vezes você se propôs à tentativa de mudar a sua vida para melhor para depois voltar a cair em velhos hábitos, confortáveis, deixando os seus objetivos caírem por terra?

FORÇAS AUTOSABOTADORAS OCULTAS

Para muitas pessoas este é um padrão que tem vindo a ganhar força. A pessoa compromete-se com a mudança e propõe-se a esforços perante algumas adversidades que enfrenta, mas, devido a vicissitudes que desconhece, como os mecanismos subconscientes autosabotadores, logo volta a sentir-se confusa e a instabilidade emocional volta a instalar-se. Situações como o término de um relacionamento, a perda de emprego, dificuldades financeiras, maus hábitos, vícios, problemas psicológicos como a ansiedade, depressão, ataques de pânico ou transtorno obsessivo-compulsivo, funcionam como um gatilho que pode levar a que se instale o caos na vida de uma pessoa.

Essas forças que você não entende mas que o mantêm preso nos velhos hábitos que o impedem de efetivar uma mudança positiva, são os seus sabotadores subconscientes, eles aparecem em forma de resistência, medo e dúvida quando o seu organismo (corpo e mente) se aproxima da mudança desejada.

O que eu quero transmitir-lhe é que é inteiramente possível superar o seu problemas e restabelecer o equilíbrio na sua vida. Você pode voltar a sentir ordem na sua vida. Assim que você perceba os mecanismos automáticos que contribuem para a sua confusão, a possibilidade de mudança positiva começará a fazer sentido. A chave é saber como restabelecer o controle, aprendendo a regular os seus estados internos (sentimentos e pensamentos), para lidar de forma eficaz com os obstáculos com que se depara na sua vida.

Os Passos que apresento a seguir certamente facilitarão o acesso aos seus sabotadores, permitindo eliminá-los:

1. OS TRÊS MAIORES SABOTADORES SUBCONSCIENTES

  • MEDO: do desconhecido, de mudança, de afetar aqueles que o rodeiam, de se machucar, de arrependimento, etc.
  • RESISTÊNCIA: de mudar, de formação de novos hábitos, a desistir de velhos hábitos, ir ficando desconfortável.
  • DÚVIDA: que você pode fazê-lo, que você pode mantê-lo, que você vale a pena, que os outros vão aceitá-lo.

Quando você tem conhecimento sobre o que o mantém refém de si mesmo, quando trás à sua mente consciente tudo o que pode estar a minar a sua intenção de melhoria e de restabelecimento emocional, é muito mais fácil elaborar um plano de ação para eliminar os seus sabotadores internos.

Essas categorias não são mutuamente exclusivas, no entanto, os seus sabotadores subconscientes podem cingir-se apenas a uma categoria, como por exemplo o medo, ou a todas elas.

Quando você pretende mudar um hábito, tomar uma atitude, enfrentar uma determinada situação ou pessoa, quando se propõe a agir de outra forma, ou a ser mais assertivo, tente perceber nas diferentes categorias o que acontece com você:

  • Que tipo de pensamentos, sentimentos e emoções são acionados?
  • Daquilo que você pensa, age ou sente, o que pode estar relacionado com o medo, resistência ou dúvida?
  • Você afasta-se das coisas, evita, paralisa-se, entra em pânico?
  • Você não consegue propor-se a novas ideias, tem receio de arriscar, o seu pensamento é rígido?
  • Não acredita em si mesmo, pretende ter certezas das coisas, quer saber se dá certo, quer saber o futuro?

Escreva todos e quaisquer pensamentos e emoções que se manifestam em você quando pretende restabelecer a ordem na sua vida, e não consegue.

caos

2. IDENTIFICAR A ORIGEM DESSES PENSAMENTOS E SENTIMENTOS

Os seus sabotadores subconscientes são específicos, são seus,  então você é a única pessoa que contém a informação que pode facilitar a descoberta da raiz desses pensamentos e sentimentos.

Analise a lista e pergunte a si mesmo as seguintes questões:

  • Que informação me transmite aquilo que sinto?
  • Que tipo de pensamentos estão alimentando aquilo que sinto?
  • A que tipo de crença é que este pensamento está ligado?
  • Há algo no meu passado que alimenta esse medo / resistência / dúvida?

Para cada um dos possíveis sabotadores internos (medo, resistência e dúvida) responda às questões acima propostas, no sentido de avaliar qual das áreas o tem vindo a prejudicar mais e a impedir que tenha sucesso nas mudanças que pretende realizar na sua vida.

Por exemplo, para um pessoa que esteja num estado de abatimento elevado e desânimo acrescido:

  • Medo: A pessoa pode desenvolver medo de falhar na implementação de novos hábitos de pensamento positivo e, o seu medo de ficar preso para sempre no desânimo e vir a ter depressão, aumentam. A pessoa ganha medo de nunca vir a ser capaz de sair do estado em que se encontra. E isso é altamente sabotador. O medo vai alimentado o próprio medo. A pessoa fica com medo de que o seu esforço e trabalho para melhorar não surta efeito.
  • Resistência: Quando um mau hábito se instala, ou um hábito sabotador vai ganhando força ao longo de uma vida (pensar de forma autodepreciativa ou de forma negativa também é um hábito), resistir-lhe pode ser uma tarefa de Hércules. A pessoa pode sentir que luta contra ela mesma e que tem que entrar em território desconhecido. Usualmente todos nós temos uma forte resistência a abandonar a nossa zona de conforto. A nossa mente resiste. E aquilo a que se resiste persiste.
  • Dúvida: Num estado de desânimo e desesperança, pode ganhar-se a noção de que a felicidade é impossível. A pessoa julga não ser mais possível voltar a sentir-se bem.

Explore as questões. Vá fundo. Tente perceber que erros de raciocínio pode estar a cometer com base nos seus sabotadores internos e subconscientes.

3. JUSTIFICA-SE?

Esta é uma pergunta que requer uma atenção redobrada. Certamente alguns dos seus sabotadores podem ter razão de ser e de existir, acredito que sim. Esses pensamentos e sentimentos são reais, e os resultados que você teme podem realmente ter fundamento. No entanto mesmo com algum fundamento, esses sabotadores subconscientes são perniciosos, comprovam-se como barreiras difíceis de ultrapassar.

Muitos dos seus receios, resistências e dúvidas, são reais. Provavelmente estabelecem uma ponte com o seu passado, com a sua história de vida. E foi a sua história de vida que o conduziu ao momento em que se encontra. Mesmo que até ao presente momento todos os seus sabotadores tenham uma razão de ser, plausível, é preciso pará-los.

Analise o seu sabotador e a sua fonte. É este pensamento e sentimento justificado?

Coloque-o no seguinte contexto:

“Eu (descreva o seu pensamento e/ou sentimento com a categoria aqui) porque (a fonte do referido pensamento e/ou sentimento aqui).”

Aqui estão alguns exemplos:

  • “Tenho medo do desconhecido, porque tudo o que eu já conheci é aquilo que eu sou agora.”
  • “Eu estou resistindo a mudar os meus hábitos pouco saudáveis, porque eu adoro comer sorvete todas as noites, porque isso ajuda-me a relaxar depois de um longo dia de trabalho.”
  • “Eu não acho que consiga manter essas mudanças porque são um trabalho árduo no momento e, eu não quero estar a trabalhar tão duro para sempre.”

Agora olhe para as declarações que você acabou de criar e pergunte a si mesmo o que você teme, a que é que está resistindo e que dúvidas mantém acerca de si mesmo que o impedem de tornar os sonhos em realidade. Justifique-se ou não, você tem a opção de não deixar o seu sabotador interno impedi-lo de alcançar o seu ideal de vida, ou para trabalhar na implementação de estratégias eficazes para chegar ao que você realmente quer.

Assim que você passe a conhecer os seus sabotadores subconscientes, você vai ter que enfrentá-los se deseja alcançar uma mudança duradoura. Claro, há toneladas de “atalhos” que ilusoriamente prometem mudanças rápidas e sem esforço para você melhorar a sua vida. Há uma indústria construída em torno da venda de formas fundamentadas na esperança das pessoas para atingirem metas sem trabalho duro e sem a sua própria dedicação e intervenção. Muitas são as pessoas que se emaranham em “esquemas” de promessas milagrosas de resolução de problemas, para mais tarde perceberem que o seu problema cresceu ainda mais e a vida tornou-se um caos. Não se iluda, construa a sua mudança positiva passo a passo.

Não se perca por caminhos alternativos que o possam conduzir à desgraça. Não tente de tudo. Procuro aquilo que possa perceber que é credível, que tem lógica e que depende da sua intervenção, dedicação e trabalho. Decida assumir a responsabilidade da sua vida, deixe de ser uma vítima. Mude a sua vida para melhor, mesmo que necessite de suporte e de ajuda. Mas seja seletivo na ajuda que procura.

Ebook – Como Mudar Sua Vida para Melhor

4. REENQUADRAR

Então, agora que você já identificou os sabotadores internos subconscientes, agora que está mais ciente daquilo que o tem vindo a impedir de ultrapassar grande parte dos problemas que têm contribuído para os conflitos internos, que o conduziram ao estado de caos, você está mais capacitado. Você está agora pronto para mudar alguns dos seus hábitos prejudiciais e substituí-los por um conjunto de sentimentos e pensamentos positivos.

Existem algumas maneiras de reenquadrar os seus sabotadores subconscientes de forma a que deixem de o ser. Passo a apresentar algumas das estratégias de êxito que permitirão eliminar o que não lhe serve mais:

1 –  Reafirmar as razões pelas quais você está indo atrás desse objetivo

Lembre-se das razões que suportam a ideia de que o seu objetivo é mais importante do que o medo, resistência e dúvida que você tem vindo a alimentar.

Aqui estão alguns exemplos:

  • “Eu estou tentando perder peso, mas é um trabalho tão duro.”

Reenquadramento: O que é mais assustador? As doenças que podem levar à morte prematura ou o trabalho duro?

  • “Eu quero sair deste emprego que odeio, mas estou com medo de falhar e não ter nada.”

Reenquadramento: O que é pior? Passar os seus dias na miséria ou não saber se você vai conseguir realizar isso, ou ao invés, ter a oportunidade de ter sucesso e realizar os seus sonhos mais arrojados?

São as afirmações mais poderosas e mais extremas que muitas vezes trabalham melhor. Não tenha medo de ser dramático o suficiente com a sua estratégia de reenquadramento, mesmo que ela lhe gere ainda mais medo do que aquele medo que o tem vindo a paralisar e a impedir de chegar onde pretende. Utilize o medo a seu favor.

reenquadrar

2 – Construir as suas afirmações capacitadoras

Desenvolva algumas afirmações padrão que possam ajudar a parar esse pensamento e/ou sentimento, quando acontece, e voltar a focar a sua atenção naquilo que mais importa.

Aqui estão alguns exemplos extraídos de lista do passo 3:

  • “Tenho medo do desconhecido, porque tudo o que eu já conheci é aquilo que eu sou agora.”

Afirmação: O desconhecido é uma oportunidade que eu nunca estive de ser alguém, ou eu estou com medo, porque isso significa muito para mim, e eu não vou deixar que o medo me impeça de alcançar os meus sonhos.

  • “Eu estou resistindo a mudar os meus hábitos pouco saudáveis, porque eu adoro comer sorvete todas as noites, porque isso ajuda-me a relaxar depois de um longo dia de trabalho.”

Afirmação: Eu gosto de sentir-me enérgico e saudável mais do que eu gosto de sorvete.

  • “Eu não acho que consiga manter essas mudanças porque são um trabalho árduo no momento e, eu não quero estar a trabalhar tão duro para sempre.”

Afirmação: Tenho de focar-me no meu esforço um dia de cada vez, ou eu sou mais forte do que eu penso.

3 – Abandonar o diálogo catastrófico e pensamentos negativos

Quando você está sob um elevado stress, é fácil deixar que os seus pensamentos entrem numa espiral de negatividade e fiquem fora do seu controle. Isso aplica-se principalmente para exemplos como o terceiro da lista do passo 3:

  • “Eu não acho que consiga manter essas mudanças porque são um trabalho árduo no momento e, eu não quero estar a trabalhar tão duro para sempre.”

Outros exemplos incluem:

  • Se eu continuar fazendo isso, eu vou morrer!
  • Não há nenhuma maneira de eu conseguir acabar com isto.
  • E se todo mundo me odeia no final?

Estes pensamentos fazem explodir as suas dúvidas e medos até atingirem proporções épicas, sendo que o mais provável é que nunca se concretizem, porque tudo isso é uma construção ilusória fundamentada no medo extremo.

Ao invés desses pensamentos catastróficos, você tem de ficar ciente que:

  • Com a prática, o trabalho vai ficar mais fácil
  • Não, você não vai morrer devido a isso
  • Você pode definitivamente acabar com a negatividade se continuar a dar um passo de cada vez
  • A probabilidade de todo o mundo odiá-lo é quase nula.

Admito, no entanto, que é muito fácil perder a noção de controle, quando as coisas ficam difíceis. Por isso, você deve ir praticando a técnica de reconhecer quando os seus pensamentos começam a ficar fora de controle e trazê-los de volta à realidade, lembrando-se de permanecer no presente e levar um dia de cada vez. Você não tem que saber como tudo irá terminar. Você não precisa saber o que vai acontecer na próxima semana. Você só precisa ocupar a sua atenção com aquilo que você tem possibilidade de resolver no momento e que está na sua frente.

Passo a passo, pouco a pouco à medida que for instituindo o hábito de reenquadrar a avaliação das situações, dos seus pensamentos e comportamentos, certamente as mudanças eficazes e duradouras que você tanto deseja irão realizar-se. A mudança é possível se você acreditar nela. Agora que você tem as ferramentas, o trabalho está do seu lado. É preciso praticar com dedicação e perseverança.

A reter: Difícil não quer dizer que seja impossível.

Abraço