Desde os meus dez anos que tive uma vida dedicada ao esporte, quer como treinador, quer como praticante que ainda hoje sou. Em tenra idade percebi os benefícios do exercício físico programado e contínuo no tempo. A prática do exercício físico regular é o melhor de todos os “remédios” preventivos, promotores e potenciadores da qualidade de vida, bem estar e felicidade. Os ganhos são bem visíveis ao nível da condição física, como a força, destreza, mobilidade, flexibilidade, resistência, energia, entre outros. No bem estar psicológico, os ganhos verificam-se ao nível da melhoria do humor, da concentração, da auto estima, auto confiança , auto imagem, libertação de stress e tensão, entre outros.

No artigo: 29 benefícios da atividade física na sua saúde, exponho detalhadamente os benefícios deste “comprimido” milagroso que a grande maioria de nós pode tomar. No entanto, este é um “comprimido” com particularidades muito específicas, necessita da nossa força de vontade, esforço, motivação e dedicação para que surta efeito. Necessita ser ativado pela nossa crença, em acreditarmos que nos beneficia, e que acima de tudo queremos usufruir desse benefício. E você, quer beneficiar de todos as vantagens associadas à prática do exercício físico? No final, quase tudo se resume ao querer ou não querer. E pouco ou nada tem a ver com: “gostava muito, mas não posso” ou “quem me dera ter tempo”.

praticar exercício

ABANDONE A SUA LISTA OFICIAL DE DESCULPAS

Em algumas áreas da nossa vida, somo exímios em construir uma lista oficial de desculpas que nos servem. Recitamos com toda a veemência essa lista que justifica com uma lógica fria, a razão pela qual não nos propomos a tornar a prática do exercício físico algo que valorizamos e incluímos na nossa vida como um promotor de bem estar e qualidade de vida. Mesmo para algumas pessoas que já praticam, recorrentemente têm recaídas ou diminuição na sua assiduidade, o que naturalmente pode suceder, mas que podia não ser a primeira linha de opção a ser cortada quando o tempo se torna escasso, o humor diminui, os problemas aparecem ou a vontade  fugiu.

Se é daquelas pessoas que inúmeras vezes se propôs à prática do exercício físico, mas a coragem nunca lhe bateu à porta, ou se já se inscreveu numa academia, mas acabou por abandonar porque não rentabilizava o seu investimento monetário pelo fato de ir poucas vezes, mas ainda assim gostava de aderir de forma regular, saiba que pode ganhar motivação para isso. Leia o artigo: 11 formas de promover a sua saúde e capacidade física.

É realmente intrigante porque às vezes as pessoas fazem sabotagem às suas próprias decisões, escolhas ou objetivos. Por este motivo, neste artigo irei abordar algumas medidas que podem promover a persistência e manutenção nas suas escolhas. Certamente existem muitos factores que fazem sabotagem e funcionam como obstáculos à obtenção dos resultados desejados.

Para aprofundar este assunto, pondere ler os artigos:

De acordo com o que detalhei anteriormente, sabe-se que o exercício físico é um elemento essencial e promotor da felicidade e satisfação de vida. Então, porque razão muitas pessoas continuam relutantes na prática do exercício físico, mesmo quando se propõem a isso?

Exemplo de um relato: Muitas vezes, quando tenho excesso de trabalho, eu deixo de ir  na academia, como uma forma de provar para mim mesmo a minha postura responsável no trabalho.”Olha, eu estou trabalhando tão duro, eu não posso mesmo arranjar tempo para fazer exercício.”

Às vezes, até pode comprovar-se inevitável furar uma ida à academia, mas na grande maioria das vezes, isso não passa de uma desculpa bem fundamenta para não ir. No fundo, a pessoa decidiu não fazer algo, que sabe ser importante para ela e que diz querer fazer. Mas querer não é fazer. Intenção não é ação.

MELHORE A ATITUDE PROMOTORA DA PRÁTICA DE EXERCÍCIO FÍSICO

Então, como melhorar a atitude que conduza a uma resolução favorável à prática do exercício físico? Certamente existirão muitas estratégias que podem funcionar, ma uma coisa é certa, só funcionam se as experimentarmos. Mas como na grande maioria das vezes a pessoa simplesmente inibe-se de sair de casa. Importa primeiramente estar alerta dos sinais que promovem a ativação da lista oficial de desculpas.

Apresento alguns sinais de alerta que deve levar em consideração para conseguir travá-los e depois seguir com o seu plano de prática de exercício físico.

Verifique algumas das declarações que pode estar a dizer para si mesmo, contribuindo para a auto sabotagem:

“Desta vez, eu realmente vou cumprir! Quero dizer, eu estou totalmente comprometido!”

Ao utilizar esta afirmação a pessoa está a esforçar-se por convencer-se a si mesmo, mas utilizando uma estratégia que em nada irá contribuir para a orientar para a prática do exercício físico. Não irá ter sucesso e aumenta a probabilidade de furar o plano.

“Estou potencialmente pensando que talvez  pudesse juntar-me nesta classe.”

Neste caso, a pessoa ainda não implementou na sua mente a convicção necessária para decidir-se com aquilo que pretende. Ela não está comprometida. Sem comprometimento fundamentado nos ganhos que sabe ir conquistar, as afirmações de inteção tornam-se vazias de significado.

“Eu tenho que começar amanhã. Não adio mais!”

Esta afirmação denota uma elevada falta de determinação. A pessoa está descrente de que irá conseguir arranjar argumentos que a façam iniciar o exercício físico. E, muito provavelmente já anteriormente terá feito muitas vezes este tipo de discurso, sendo que nunca foi eficaz.

“Bem, à tarde não gosto. Pela manhã não tenho disponibilidade. Eu posso vir às terças-feiras ao meio-dia, mas não esta terça-feira. Talvez na próxima terça-feira … “

Se a pessoa usa este tipo de afirmação, nunca será boa hora ou existirá sempre algo mais importante para fazer. Aqui a questão não se prende com falta de tempo, mas com prioridades. Quando queremos algo, encaixamos isso no nosso tempo útil. A pessoa vai adiando, colocando o exercício para o fim da sua lista de coisas a fazer. Certamente não irá fazer.

“Assim que eu terminar esta tarefa para o Miguel, e esta outra para o António, eu vou fazer exercício físico.”

Mais eu vez, nesta firmação a pessoa vai usando os seus afazeres para criar um conjunto de barreiras que o obrigam a adiar a prática de exercício físico.

“Mal posso esperar para começar. Mas, primeiro, eu preciso comprar algumas roupas novas. E alguns sapatos novos. E preciso de comprar um T-shirt de algodão.”

A pessoa vai adiando o inicio, através de desculpas que são credíveis. Mas o objetivo é só um, protelar uma e outra vez a prática do exercício físico.

MANTENHA A ASSIDUIDADE

Se algumas destas declarações parecem ter sido ditas por si, use-as como um sinal de alerta para  reestruturar o pensamento e o seu diálogo interno e voltar a focar-se no que é importante para seguir o seu plano de exercícios. Não se engane a si mesmo. Comprometa-se com o seu desejo. Nem sempre o seu desejo e a sua vontade andam de mãos dadas. Uma ferramenta que favorece a união do desejo e da vontade é a sua força de vontade.

Se pretende trabalhar no desenvolvimento da sua força de vontade, leia os artigos:

Se você está embarcando numa nova rotina, e pretende de uma vez por todas ser assíduo ao programa de exercício físico, é importante que se comprometa a segui-lo durante seis meses. Isto, porque quando a pessoa consegue manter a sua prática regular durante pelos menos seis meses, o exercício tornou-se parte da sua rotina, e isso diminui a probabilidade de desistência.

Boa assiduidade à prática de exercício físico, a sua saúde agradece!

Abraço