Provavelmente o maior problema que eu encontro em alguns atletas é uma enorme falta de crença nas suas próprias habilidades e capacidades. Não estou aqui a falar de falta de confiança competitiva. O que quero dizer é que a grande maioria dos atletas não acredita ser capaz de fazer aquilo que “supostamente é capaz”, por exemplo um nadador não ser capaz de nadar para os tempos que deseja e treinou. Não acredita ser capaz de expressar todo o seu potencial quando mais necessita e precisa – o dia da competição. Esta falta de crença em si próprio, cria um padrão mental de medo, tensão e desmobilização que pode causar inúmeros problemas antes das competições. Os problemas ou obstáculos mais comuns são:

  • Um enorme sentimento interno de não ser suficientemente bom
  • Nervosismo extremo e incapacitante, por vezes com reacções fisiológicas (sudação exagerada, vómitos, má disposição, dores de cabeça)
  • Pensamentos negativos de vários tipos
  • Níveis baixos de energia (por vezes quando entram no recinto competitivo, surge a sensação de perda rápida de energia)
  • Preocupação excessiva com pequenos detalhes que podem nunca ocorrer
  • Sensação de intimidação face aos adversários
  • Ciúmes de outros atletas
  • Perda de controlo sobre os seus próprios pensamentos

Assim que o atleta comece a acreditar em si próprio, todos estes sintomas ou situações problemáticas na sua grande maioria desaparecerão, permitindo o desenvolvimento de sentimentos e pensamentos positivos, de confiança, de capacidade e instalando-se ainda uma enorme sensação de bem-estar. Tudo isto é promotor para o atleta conseguir colocar-se na sua Zona de Óptimo Funcionamento nos momentos que antecedem a competição.

Um dos factores que na grande maioria das vezes perturba os atletas afectando-lhes o rendimento é o – Nervosismo. Na verdade o nervosismo é uma coisa boa, é sinal que o atleta está a ficar preparado, que todo o seu corpo está a ficar alerta, está a ficar energizado para poder responder de forma eficaz ao desafio que está prestes a acontecer. Por isso o atleta não deverá ficar nervoso por se sentir “nervoso”. A estratégia será aproveitar a grande mobilização energética que o estado “nervoso” recruta de todo o organismo, e utilizá-la a favor da tarefa competitiva. Para que tal suceda o atleta deverá orientar os seus pensamentos para as rotinas pré-competitivas, utilizando o diálogo interno para o guiar em todo o processo. Se o atleta tiver uma rotina pré-competitiva devidamente treinada e implementada, levando em consideração os aspectos de activação motora (aquecimento) e os aspectos de activação mental (rotinas motivacionais, de visualização do gesto perfeito, de capacidade, de superação, de combatividade, de coragem, de tolerância à dor, entre outras) está a promover a colocação na sua Zona de Óptimo Funcionamento e por outro lado a inviabilizar a instalação da preocupação e de todos os aspectos sabotadores.
Uma das formas de poderes trabalhar na crença em ti próprio e nas tuas habilidades e capacidades, é utilizares um recurso que tens sempre ao teu dispor – a tua mente.

VISUALIZAÇÃO DIÁRIA

Passo a explicar, é partilhado pela comunidade científica que as imagens mentais que simulam movimentos sejam eles de que naturezas forem, utilizam os mesmos circuitos motores que os movimentos reais, ainda que a sua intensidade não sejam da mesma magnitude. Partindo deste princípio pressupõem-se que a técnica de visualização é um recurso extremamente importante e potenciador para o treino desportivo.

Aquilo que deverás fazer é implementar de forma sistemática e programada a prática da visualização, antes, durante e depois do treino. Começa pouco a pouco a imaginar na tua mente a técnica que pretendes fazer ou gostarias de vir a conseguir realizar, pensa nisso como se estivesse mesmo a acontecer. Durante o treino foca a tua imaginação e concentração naquilo que visualizaste previamente, se detectares algumas imperfeições imagina novamente como deves fazer, segue essas imagens e executa. Depois do treino revê mentalmente o que fizeste, verifica se existe alguma coisa que poderias ou queres melhorar e visualiza-te a fazer. A visualização, tal como o treino físico é um processo, será e ficará mais eficaz à medida que fores praticando. A visualização permitir-te-á melhorar a capacidade de controlo sobre as tuas imagens e consequentemente sobre o teu aparelho motor.

O único truque para que a visualização tenha efeito – é que apenas os atletas dedicados aplicarão esta técnica todos os dias. Irão existir atletas que farão e aqueles que desejam melhorar, mas não estão para perder tempo com a técnica. Certamente estás no 1º grupo. Assim sendo fico certo que irás sentir mudanças positivas e benefícios extra.

A visualização pode ser aplicada para beneficiar vários aspectos, resumidamente apresento alguns:

  • Para ultrapassar e reduzir o nervosismo extremo
  • Para aprender de forma mais fácil e rápida
  • Eliminar a intimidação competitiva
  • Aumentar e controlar os níveis de energia
  • Controlar e atingir estados de relaxamento
  • Controlara e atingir estados de activação
  • Eliminar a negatividade
  • Ajudar na recuperação da fadiga e lesões
  • Melhorar a consistência competitiva
  • Motivação e ânimo

Começa o mais breve possível, de inicio é aconselhável procurares um lugar calmo e confortável.

Força e boa sorte!