O medo é um sentimento incapacitante, pode chegar a ser aterrador, inviabiliza os nossos movimentos e ações no dia-a-dia e pode transformar a nossa vida num inferno. Enfrentá-lo é combatê-lo. No entanto o medo mobiliza uma enorme quantidade de energia, recruta uma quantidade grande de recursos, prepara-nos para a luta ou para fugir, e isto é certamente benéfico. Se conseguirmos aproveitar essa energia e focá-la para alcançarmos um objetivo, conseguimos tirar proveito daquilo que à partida parecia ser um sentimento inibidor. Se agregarmos ao medo uma dose de coragem, um fenómeno extraordinário toma conta de nós, dá-se uma explosão de ações face à coisa temida ou ao nosso objetivo. A energia é assim canalizada a nosso favor, seja por fugirmos a uma situação que podia constituir um ameaça ou por decidirmos enfrentá-la.

O general George Patton disse: “O medo mata mais pessoas que a própria morte.” A morte só nos leva a melhor uma vez na vida, no entanto o medo pode consumir-nos uma e outra vez, de forma subtil algumas vezes e de forma abrupta de outras. Mas, se continuamente evitamos os nossos medos, ele irá perseguirmos tal como um cão enraivecido. Medo, livre-se dessa sensação incapacitante. A pior coisa que podemos fazer é fechar os olhos e fazer de conta que ele não existe.

O medo e a dor , devem ser abordados como sinais, como uma fonte de informação, não para nos toldar o raciocínio e/ou inibir mas sim para trazer clarificação e discernimento. Se nos inibirmos podemos acabar no lado mais sombrio da nossa zona de conforto, ficamos paralisados de medo, afetando a nossa vida nas mais diferentes áreas.

ter medo

O medo pode ser um grande motivador, ou um bloqueador na nossa vida. Porque, muitas vezes estabelecemos as nossas próprias limitações, estes bloqueios e obstáculos podem realmente ser uma coisa boa. Podem alertar-nos para tomarmos atenção e sermos cautelosos, e podem levar-nos a analisar ou não se o que estamos fazendo é certo para nós. No entanto, por vezes um bloqueio no nosso caminho pode precisar ser derrubado para que nós possamos crescer. Superar um bloqueio ou obstáculo na vida dá-lhe uma experiência de aprendizagem que você não pode obter de outra forma. Decidir a agir e seguir em frente é o primeiro passo para libertar-se de tudo o que o limita e prende.

Mas o que fazer se você sente que não pode tomar uma atitude? Às vezes não nos sentimos capacitados para avançarmos de cabeça. A tarefa pode parecer-nos muito exigente e pouco familiar. Superar o medo é um grande libertador, tal como aquilo que nos prende é bastante angustiante, funcionando como uma âncora que nos amarra ao caís.

Em seguida apresento 5 maneiras que podem ajudá-lo a superar os seus medos e conseguir alcançar o que tanto deseja. Use-os para capacitar-se para fazer a mudança, e você vai sentir-se mais leve, mais energizado, mais relaxado e confiante.

1. DAR PEQUENOS PASSOS

Sente medo dos desafios, de propor-se a enfrentar alguns dos obstáculos que o impedem de obter o que deseja, de se propor a algo que mexa consigo? Tente quebrar esse grande monstro através de pequenos passos, de pequenas etapas de cada vez. Não começamos na vida por sermos campeões olímpicos ou concorrer à presidência, mas podemos trabalhar até obtermos essas coisas. Tem medo de pedir ao seu chefe que acha que merece um aumento? Comece por ir ao encontro daquilo que julgue já poder obter e realizar com relativa facilidade, em seguida, desafie-se por elevar a fasquia a cada dia.

Decida-se  hoje mesmo a agir e perceba a diferença que que isso tem na sua vida. O medo do fracasso é um dos maiores medos que podemos ter. O medo do fracasso está intimamente relacionado com o medo da crítica e o medo da rejeição e de poderem vir  diminuir a sua auto-estima. O medo é um terrível inibidor. E o processo de encarar os desafios pouco a pouco, passo a passo, com pequenos incrementos à medida que a confiança aumenta é uma fórmula que pode efetivar-se como sendo eficaz.

Para aprofundar este assunto, pondere ler o artigo: Um pequeno passo pode mudar a sua vida – The kaizen way

2. VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO

Grande parte dos seus medos são partilhados por muitas outras pessoas. O seu medo é o meu medo. O medo é um sentimento inerente a todos os seres humanos. Senti-lo é um privilégio, obedecer-lhe na grande maioria das vezes é uma tormenta.  Evite movimentar-se ou não (evitar) em função do seu medo.

3. PROCURE SUPORTE DE ALGUÉM DA SUA CONFIANÇA

Encontre um amigo que você possa confiar e fale com ele cerca do seu medo e peça-lhe ajuda. Certifique-se se é uma pessoa solidária que não vai julgá-lo e não tem interesse no resultado que você deseja alcançar.

4. PROPONHA-SE A APRENDER

Muitas vezes temos medo do desconhecido mais do que qualquer outra coisa. Neste caso, procure familiarizar-se com o assunto ou situação, a recolha de informação pode ajudar a sentir-se mais confiante e achar a tarefa a realizar menos intimidante. Com a informação à distância de um clik, seja qual for o assunto, há uma maneira de aprender sobre isso. Tome a vida nas sua mãos e procure aquilo que necessita para ser bem sucedido.

5. VISUALIZE

Quando as crianças brincam “fazem crer”, que estão realmente enfrentando medos. Eles fingem que estão em território totalmente desconhecido, fazendo coisas estranhas, mas colocam-se no controle total sobre o que acontece na sua história. Usar esta mesma técnica, usando a sua própria imaginação para criar o resultado que você deseja é um ótimo recurso disponível a todos nós. Chama-se visualização.

A técnica de visualização é muito utilizada pelos atletas como complemento do seu treino físico, no sentido de melhorarem alguns aspetos técnicos e táticos. O cérebro não percebe a diferença entre cenários reais e imaginados, utilizando os mesmos circuitos neuronais e motores. Assim sendo, se visualizar-se a si mesmo a implementar algumas mudanças na sua vida e repetir isso mentalmente, está a criar novas ligações e caminhos neuronais para a execução daquilo que pretende alcançar.

Um grupo de jogadores de basquetebol, praticou mentalmente o exercício de mandar a bola ao cesto. Quando voltaram ao ringue, os seus lançamentos tinham melhorado.

Imagine-se a ultrapassar as suas dúvidas ou dificuldades e depois coloque-se no seu estado ideal (com confiança) e execute as ações que treinou mentalmente. Treine o mesmo cenário várias vezes na sua mente até que o sinta e faça parte de si. Veja-se a si mesmo a superar os seus medos, desafios e obstáculos. Agora faça isso!

medo

SUPERE O FRACASSO FAZENDO COISAS

O medo do fracasso é um dos maiores medos que as pessoas têm.  A lei do feedback, afirma: não há fracasso, há apenas feedback. Há apenas resultados. As pessoas bem sucedidas olham para os erros como resultados, e não como fracasso. As pessoas com medo do fracasso olham os erros como permanentes e pessoais.

Citação: Buckminster Fuller escreveu, “O que quer que os seres humanos aprenderam teve que ser aprendido como consequência apenas de julgamento, experiência e erro. Os seres humanos aprenderam somente através de erros. “

Siga os passos que se seguem para superar o seu medo do fracasso através da ação:

PASSO 1:

Tome uma atitude. Execute uma ação decisiva e ousada. Faça algo assustador. O medo do fracasso imobiliza-nos. Para superar esse medo, você deve agir. Quando você agir, aja com ousadia.

A ação dá-lhe o poder de mudar as circunstâncias ou a situação. Você tem que superar a inércia fazendo algo. Faço-lhe a seguinte pergunta: ”O que você faria se soubesse que não poderia falhar?” O que você poderia alcançar? Seja corajoso faça algo. Se não funcionar do jeito que você quer, então faça outra coisa. Mas faça alguma coisa agora.

PASSO 2:

Seja persistente. As pessoas bem sucedidas simplesmente não desistem com facilidade. Elas continuam tentando diferentes abordagens para alcançar os resultados desejados, até obterem os resultados que querem persistem focados no seu alvo. As pessoas sem sucesso tentar uma coisa que não funciona e depois desistem. Muitas vezes as pessoas desistem quando estão no limiar de sucesso. Desistem prematuramente.

PASSO 3:

Não personalize a falha. O fracasso gira em torno do  comportamento e dos resultados. O fracasso não é uma característica da personalidade. Embora por vezes você não atinga o resultado que queria, isso não significa que você é um fracassado. Porque você cometeu um erro, não significa que você é um fracasso.

PASSO 4:

Faça as coisas de forma diferente. Se o que você está fazendo não está funcionando, faça outra coisa. Há um velho ditado, “se você fizer sempre o que tem feito, irá obter o que sempre tem obtido. Se você não está obtendo os resultados que quer, então deve fazer algo diferente. Algumas pessoas deixam de continuar a fazer as coisas que necessitam ser feitas, e isso é a garantia para não serem bem sucedidos.

PASSO 5:

Não seja demasiado duro consigo mesmo. Se nada funcionou, lembre-se que o fracasso é um julgamento ou avaliação do seu comportamento. Olhe para o fracasso como um evento ou um acontecimento, não como uma pessoa.

Abraço