Robert Louis Stevenson, transmite-nos a seguinte mensagem: “para sermos aquilo que somos e para nos tornarmos naquilo que somos capazes de nos tornar.” Você tem um papel único e particular a desenrolar nesta vida. Ninguém mais possui exactamente as mesmas capacidades, habilidades e experiências de vida que você tem. Ninguém mais pode dar as passadas que você tem de dar. Ninguém mais pode fazer um trabalho tão bom sendo você, como você pode. Se você se permitir a si próprio ser “você,” não existe forma de poder falhar. Ser você próprio é algo natural.

Por vezes forçamo-nos a algo que nos gera ansiedade, que fazemos porque alguém nos disse que era bom para nós, ou porque simplesmente está na moda fazer uma determinada “coisa”. Não será certamente a melhor forma de obter sucesso e igualmente satisfação. Esta mudança forçada pode torna-se em auto-sabotagem ao tentar ser alguém ou fazer alguma coisa que não se encaixa em si. É árduo fazer algo desinteressante, só porque temos de o fazer. É árduo fazer de conta, ser-se falso, forçar-nos a nós próprios a encaixarmo-nos num papel que não nos serve.

PRÓPRIA NATUREZA

Quando nós seguimos a nossa própria natureza verificamos um fenómeno extraordinário, a vida tornar-se menos árdua e mais fácil. Todos temos determinadas áreas da nossa vida que nos são fáceis de realizar, onde crescemos, aprendemos e nos desenvolvemos melhor. Todos nós temos algo onde sentimos o fluxo da vida, da imersão com aquilo que fazemos, como se o tempo tivesse parado e nada mais restasse do que a tarefa que temos em mãos. Algumas pessoas são excelentes em comunicação ou nas relações humanas. Outros têm uma aptidão para as artes, outros são apaixonados pela electrónica e computadores. Alguns têm um dom para o desporto.

Quando nos conseguimos encaixar nas áreas que nos são naturais, somos bem sucedidos com facilidade, ao invés, quando transitamos para outras áreas, nós padecemos. Não quero com isto dizer que ninguém se deve esforçar para melhorar algo em que sente dificuldades ou que trabalhar árduo é uma coisa repugnante, não é esta a mensagem que quero passar. Aquilo que quero transmitir é que caso exista opção de escolha, porque razão não nos deveremos orientar para as coisas onde possuímos talento inato? Não deveremos ignorar os talentos que temos. Deveremos sim expandi-los.

SUCESSO E FRACASSO

As metas e objectivos estabelecidos, baseados nos nossos desejos e talentos aumentam a probabilidade de sermos bem sucedidos. Todos nós provavelmente já sentimos o sabor do fracasso porque não conseguimos ser bem sucedidos nos objectivos que traçamos para nós, mas certamente porque estávamos focamos no objectivo errado. Pense em algumas metas que não conseguiu atingir e pergunte a si próprio o quão importantes eram para você. Eram realmente profundas e muito significativas? Estavam alinhadas com os seus interesses e valores? Você queria realmente alcançar essas metas, ou perseguia-as porque achava que deveria?

Existem muitas pessoas que têm um emprego das nove às cinco, estudam à noite, e aos fins-de-semana ,para encaixarem mais algum dinheiro ainda fazem algumas horas extras numa segunda ocupação. Certamente este é um esforço grande. No entanto se a pessoa em questão relatar: “ Para mim é fácil porque faço por gosto.” Quando os seus objectivos estão alinhados com o seu verdadeiro eu, você irá experienciar elevados níveis de sucesso na sua vida com menores níveis de esforço. Ser você próprio não é difícil, ser-se natural vem de forma natural.

Na grande maioria das vezes, lutamos ingloriamente para ter sucesso porque combatemos contra a nossa verdadeira natureza. Mesmo quando se alcança algum tipo de sucesso de uma forma menos natural, você tem de se esforçar e forçar constantemente para o manter. Será que seremos felizes e viveremos de forma satisfatória se estivermos sempre em luta e stress?

Está provado que quem tem sucesso na vida, tem de ser persistente, lutador, obstinado, comprometido consigo mesmo e com o objectivo. Sem dúvida que sim. Apresento-lhe o seguinte exemplo clarificador: se eu fosse um desportista na modalidade de desportos de combate, tinha à minha disposição um sem número de disciplinas de combate muito diferentes e distintas entre si (Karaté, Boxe, Judo, kicboxing, Muay Thai, entre outras), com necessidade de desenvolver características especificas de acordo com a exigência de cada luta. O mesmo parece acontecer na vida, podemos tentar escolher em que área de vida queremos aplicar toda a nossa dedicação, envolvimento, aptidão, persistência, com o objectivo de seremos mais eficazes e naturalmente potenciarmos as nossas habilidades naturais. Tudo fica sem dúvida mais fácil, no sentido de estarmos numa situação facilitadora para a obtenção de sucesso.

O QUE ME DEFINE?

E se você não souber ou ainda tiver dúvidas acerca do que o define enquanto indivíduo? não lhe pareça estranho esta questão, é uma preocupação comum. Alguns de nós crescemos tão acostumados a ouvir as outras pessoas a darem-nos conselhos e a dizerem-nos o que deveremos fazer para o nosso próprio bem, que ficamos confusos sobre quem nós realmente somos ou o que é que queremos fazer. Como é que você se pode propor a correr alguns riscos se nem sequer sabe o que é importante, aquilo que pensa acerca das suas capacidades ou como é que se sente?

Comece por responder às seguintes questões de forma honesta.

Tente não responder da forma como acha que “deveria.” Não edite as suas respostas na sua mente antes de ter oportunidade para responder .Não existem respostas certas ou erradas.

  • Se eu tivesse dinheiro suficiente e tempo, e pudesse fazer alguma coisa para facilitar a obtenção dos meus objectivos, eu faria …
  • Se eu pudesse mudar alguma coisa em mim para facilitar a obtenção dos meus objectivos, eu mudaria …
  • A característica mais importante que eu possuo é …
  • Eu amo e gostaria de fazer …
  • Eu sinto-me realmente vivo e realizado quando …
  • Eu adoro oferecer aos outros …
  • Ao Longo dos anos, a qualidade consistente ou atributo que os outros têm apreciado em mim é …
  • Pensando em três pessoas especiais na minha vida, eu penso que eles diriam as seguintes coisas como únicas e especiais acerca de mim …

A resposta a estas questões irá dar-lhe algumas pistas sobre aquilo que é importante para si e que pode ser usado para o ajudar a formular os seus objetivos de vida. Gaste algum do seu tempo para pensar diariamente acerca  dos seus objetivos ou fazer um registo em papel, são igualmente ferramentas muito úteis para aperfeiçoar o conhecimento acerca de si.

No seu registo deverá refletir nos seguintes pensamentos:

  • Qual a sua paixão de vida?
  • O que é que lhe dá energia extra?
  • Tenha atenção ao seu corpo, às dores e mau-estar físico e emocional. Quando não agimos de acordo com a nossa sabedoria interna e que nos é natural, sentimos reacções físicas e emocionais. Que reacções sente no seu corpo?
  • O medo pode ser um indicador de que está afastado daquilo que realmente gosta. Escreva sobre os seus medos ou receios. O que é que eles estarão a tentar transmitir-lhe?
  • Tome notas sobre que tipo de atividades lhe trazem recompensa e satisfação na sua vida?
  • escreva acerca dos seus heróis de infância ou de pessoas que admira, servirão como pistas acerca do que valoriza e admira.

Desenvolver uma relação consigo próprio é idêntico ao desenvolvimento de uma relação com outra pessoa qualquer, leva tempo, é necessário um diálogo aberto, é necessário fazer perguntas e ouvir as respostas. É necessário dispensar tempo na concentração das suas necessidades. Isto são coisas que terá de efectuar, se realmente pretender obter um conhecimento mais profundo de si mesmo.

Desejo-lhe um bom encontro consigo mesmo.

Abraço.