Uma das grande ferramentas de comunicação connosco mesmos é a autoverbalização. A autoverbalização pode ser em voz alta, quando verbalizamos sonoramente o discurso que queremos ouvir, ou silenciosa, quando não articulamos verbalmente, mas tomamos consciência do nosso discurso em pensamento. Quer uma ou outra são igualmente eficazes. Esta ferramenta verbal que se interliga com os nossos pensamentos é tremendamente poderosa, pois influencia-nos as decisões, orienta-nos as ações, e clarifica-nos os passos a dar nas tarefas que pretendemos realizar. No entanto, o impacto positivo ou negativo que possa ter em nós mesmos, está dependente da natureza do conteúdo. E a natureza do conteúdo, está dependente das escolhas que fazemos relativamente ao que queremos transmitir a nós mesmos.

Por esta razão, devemos ser cautelosos naquilo que dizemos para nós mesmos, principalmente quando estamos a enfrentar alguns problemas pessoais ou problemas psicológicos, e estes nos diminuem a autoconfiança, autoestima, ou nos fazem disparar a ansiedade, angústia, depressão, fobias, desesperança, negativismo. Num estado de ser, confuso ou abatido, podemos ter uma maior tendência para infligir sofrimento a nós mesmos, utilizando as autoverbalizações negativas. As palavras que atravessam a nossa mente podem ser muito dolorosas, dependendo do conteúdo das mesmas.

Apresento em seguida 10 autoverbalizações negativas que usualmente são utilizadas quando nos encontramos num estado de negatividade, e as quais deverá ganhar consciência no sentido de revertê-las quando toma consciência que as verbaliza:  

1. EU NÃO VALHO NADA

Este é um ataque direto à sua autoestima e valor pessoal, e certamente não é verdade! Dizer a você mesmo que não vale nada, apenas perpetua crenças negativas que pode ter vindo a enraizar ao longo da vida, ou que podem ter sido implementadas quando era jovem. Mesmo que tenha a perceção que tem coisas que necessita melhorar, ou que tem dificuldades que têm impedido de atingir os seus objetivos, denegrir-se, certamente não irá fazê-lo sentir-se melhor ou acrescentar-lhe valor algum.

2. NÃO ADIANTA PUXAR POR MIM

Esta autoverbalização é uma continuação da anterior. É duplamente negativa, dado que comprova a você mesmo que não tem valor, e que independentemente do que se propuser a fazer, não será bem sucedido. Nada podia estar mais longe da verdade, dado que para além de não saber o seu futuro, de não saber se os seus esforços irão ser bem sucedidos, acresce o fato de quando estamos animados e mais motivados aumentamos o nosso impulso para a ação, aumentando assim as possibilidades ao nosso dispor.

verbalização

3. EU NÃO CONSIGO FAZÊ-LO

Novamente, muito incapacitante. Há momentos em que você realmente não pode ou não consegue fazer algo, no entanto, na maioria das vezes esta autoverbalização é efetuada mais como uma autocrítica negativa, como um ataque ao ego, do que propriamente como um fato real.

4. EU NUNCA SEREI BEM SUCEDIDO

Esta é uma via direta para o fracasso, mesmo antes de você se propor a fazer algo. É do conhecimento comum que o sucesso não se constrói de um dia para o outro, que no seu percurso usualmente enfrentamos recuos, fracassos e dificuldades. Ao verbalizar que irá falhar, está a autosabotar-se mesmo antes de começar.

5. AS PESSOAS NÃO VÃO GOSTAR DE MIM

Esta verbalização é uma manifestação de autorejeição. Você é o primeiro a rejeitar-se. Quando você entra numa nova situação, dizendo a si mesmo que as pessoas não vão gostar de você, pode tornar-se numa profecia autorealizável. Ou seja, a sua atitude subconsciente irá levá-lo a agir de forma a afastar as outras pessoas, e isso é tudo aquilo que você não quer.

6. OS OUTROS SÃO MELHORES DO QUE EU

Todos nós tendemos a comparar-nos com os outros. Às vezes, apesar de tudo, acionamos o preconceito contra nós. Dizer que os outros são melhores do que você, é uma agressão para o seu ego, que conduz à diminuição da autoestima e à mentalidade de vítima. Ainda que em alguns aspetos existam pessoas que você considere “melhores”, isto não quer dizer que tenha de rotular-se como “pior”. Use essa avaliação a seu favor, e perceba naquilo que quer investir para melhorar. Uma capacidade, uma técnica, uma abordagem, uma forma de comportar-se, mas não tem necessariamente de generalizar à sua identidade, e considerar a totalidade do seu ser como “pior”.

7. EU NÃO TENHO VALOR

Esta é uma autoverbalização negativamente rotulante para as pessoas que se sentem inadequadas para enfrentar as exigências da vida. A sensação de inadequação pessoal é muito desanimadora. Não reforce isso, não generalize, não se rotule, pois isso é tremendamente destruidor. Todos, mas todos, temos valor contido em nós. Mesmo que possamos ter agido mal, mesmo que possamos ter falhado em algo importante, mesmo que não sintamos força para ir em frente com um determinado projeto, isso só por si não determinado o nosso valor.

A reter: Todo o ser humano tem o seu valor, e tomará consciência disso sempre que fizer algo para expressá-lo.

8. EU TENHO DE SER PERFEITO

A maneira de garantir o fracasso é criticar-se sempre que você julga ter sido imperfeito, que é, provavelmente a maioria do tempo. Somos perfeitamente imperfeitos. A perfeição não existe enquanto coisa, é sim uma avaliação baseada num conjunto de pressupostos previamente definidos e aceites. Devemos avaliar-nos relativamente à eficácia, à concretização de objetivos, mas nunca relativamente à perfeição, pois isso é um conceito subjetivo. 

Para aprofundar o assunto leia: Quando ser perfeccionista se torna um problema

9. A MINHA OPINIÃO NÃO IMPORTA

Esta declaração é mais um ataque feroz à autoestima. Para dizer algo deste género para si mesmo, você considera-se indigno. Todos temos a nossa opinião, que num determinado contexto pode ser considerada válida ou não, mas pode importar expressá-la. Importa em primeiro lugar para você. Se tem uma opinião, logo construiu uma ideia acerca de algo. E como você não lê as mentes dos outros, à priori não saberá que reação irão ter à sua opinião. Mais uma razão para expressá-la, se assim quiser.

10. NUNCA CONSEGUIREI FAZER NADA DE INTERESSANTE

Por vezes dizemos isto como se tivéssemos a total certeza acerca do futuro. O que é improvável. É um pensamento criado por nós mesmos, baseado em pressupostos de insegurança. Estar inseguro não faz de nós pessoas que conseguem saber o futuro das nossas ações. O que importa perguntar é: “O que posso fazer, aprender, ou propor para me sentir mais realizado?”

Ebook – Como Mudar Sua Vida para Melhor

COMO REVERTER AS AUTOVERBALIZAÇÕES NEGATIVAS?

1. Detetar as autoverbalizações negativas. Muitas vezes comportamo-nos em piloto automático e permitimos que as verbalizações que passam nas nossas mentes estraguem o dia. Então, devemos criar o bom hábito de nos “apanharmos” a dizer coisas negativas que nos influenciam negativamente as nossas ações.

2. Chamar os bois pelos nomes. Em seguida, reconheça e marque o que você disse! Crie uma âncora, uma associação para essa autoverbalização negativa. Dê-lhe um nome, para que sempre que a oiça ou lhe apareça na mente a saiba identificar. Dessa forma, mais rapidamente consegue agir e evitar que isso passe a ser uma certeza para si. Você assim consegue identificar as mensagens autosabotadoras que por vezes cria a si mesmo.

3. Use um gatilho de substituição. “Eu só tive o pensamento …” (repetir o pensamento negativo aqui). Se você  se pegou dizendo: “Eu não mereço isso”, por exemplo, então você deverá fazer uma pausa e dizer: “Eu só tive o pensamento, “Eu não mereço isso.” O que não representa que na realidade eu siga esse pensamento ou acredite nele.

Ao praticar este o processo anteriormente descrito, você rotula a sua autoverbalização negativa como uma mera voz que ecoou na sua cabeça, é um pensamento que foi verbalizado, não tem de ser necessariamente um fato. Se você não perceber que a sua autoverbalização negativa não corresponde ao que você é na realidade, corre um risco elevado de personalizá-la, prejudicando-o. Não deixe que isso aconteça.

Para aprofundar o assunto leia: 7 maneiras de identificar o seu diálogo autocrítico

Abraço