“O importante não é levantar a questão sobre o que é a visão”, diz Robert Fritz, O que que importa é o que é que a visão faz.” O que é que a sua visão faz? Dá-lhe mais energia? Faz com que sorria? Faz com que se levante animado pela manhã? Quando você está cansado, permite-lhe fazer um esforço acrescido?

Uma visão deveria ser avaliada à luz deste critério. O critério do poder e efetividade. O que é que a visão faz você fazer? O que é que a visão faz você sentir? Quanto é que ela mexe consigo? Qual o grau de motivação que a sua visão lhe dá?

A grande maioria das pessoas, gastam o seu tempo a fazer coisas para que os seus problemas desapareçam. Esta cruzada de vida para resolver os problemas é um comportamento negativo e reativo da nossa existência. Vendemo-nos por pouco, deixando-nos com um sentimento duplamente negativo de termos um pouco de problemas a menos. Existe uma grande diferença entre resolução de problemas e acção criativa. Resolução de problemas pode ser considerado como as acções que tomamos para fazer desaparecer algo: o problema. Acção criativa, é enveredar por um conjunto de acções para transformar algo em alguma coisa: a criação. Talvez para a maioria de nós a abordagem da resolução de problemas faça sentido, fomos criados de uma forma tradicional. Não fomos muito expostos ao processo criativo.

O QUE QUER CRIAR?

O primeiro passo para o processo criativo é ter uma visão sobre o que é que você quer criar. Sem esta visão, não existe forma de criar seja o que for. Sem esta visão você é apenas um eliminador de problemas, o que é duplamente negativo. A maneira de alterar esta forma de pensamento é perceber quando é que está à deriva, “Do que é que eu me quero livrar?” e mentalmente substituir esse pensamento para, “O que é que eu quero trazer à existência?” É uma questão muito capacitadora, porque não faz referência aos problemas ou obstáculos. Implica criatividade pura. Coloca-o no lado positivo da vida. Você movimenta-se com uma atitude positiva na sua vida.

Um assunto muito capacitador para nos trazer luz à questão da criatividade e das ações que nos propomos a realizar nesse sentido, é aplicado por mim próprio, no treino esportivo. Um atleta se não está a melhorar, é porque está a piorar.  Se não está a melhora é porque não tem uma visão clara daquilo que deve fazer. É um sistema binário, você está centrado num objectivo, ou está fora dele? Você é positivo ou negativo? Você é reativo ou criativo? você ou acredita nas suas capacidade ou não acredita?

Não existe nada mais motivador do que mudar o seu sistema binário para “ligado” do que ter uma visão clara sobre aquilo que realmente quer para si. O que é que pretende trazer para a existência? Não interessa o que é essa visão, e quantas vezes você a muda. Apenas interessa o que é que essa visão faz em você. Que impacto têm em si a sua visão? Que tipo de coisas você sente quando visualiza a realização da sua visão?

Se a sua visão não o faz levantar-se da cama energizado e bem disposto, então arranje outra, certamente essa não está alinhada com o seu poder criativo, com os seus interesses, necessidades e gostos. Procure até encontrar ou até desenvolver uma visão clara que o coloque no caminho da acção, só por pensar nela.

Para aprofundar este assunto, pondere ler o artigo: Descubra o génio dentro de si

ESPECIFICAR E ESCLARECER A SUA VISÃO

Você tem um objectivo? Ótimo. Você tem uma ideia? Ótimo.Você está a trabalhar em algo novo? Ótimo. Você consegue explicar isso? Você tem uma ideia brilhante que sonha com clareza, visualiza a imagem mental na sua mente, sinte-a em todos as células do seu corpo, mas ainda assim você não consegue ser capaz de explicar claramente aos outros?

Alguma vez você já tentou explicar algo a alguém e percebeu que não estava entendendo o que estava falando? Cada vez que você tenta explicar a sua ideia ou objectivo, você não pode deixar de notar os olhares de confusão no rosto das pessoas, os olhares em branco, as sobrancelhas levantadas, de quem não tem a menor ideia sobre o que está falando.

Explicar a sua ideia de meta, ou a visão não é apenas sobre a explicação de quem você é e o que você faz. Trata-se de ter uma conversa mais profunda, para expor a ideia, o objetivo do projeto, ou visão. Você consegue articular claramente a sua ideia, objetivos ou visão e senti-lo com sendo seu, como mexendo com você?

A seguir apresento três dicas que vão ajudá-lo a verbalizar o que você pode ver de forma clara com a imagem mental criada pelo seu cérebro:

  • Mantenha a visão simples

A sua ideia ou o objetivo não tem de ser complicado para ser válido. Deve subdividi-lo, parti-lo em pequenas partes ou fases. Evite o uso de chavões demasiados técnicos.  Uma maneira fácil de fazer a sua explicação de forma simples é respondendo a perguntas sobre questões de perceber o que você está fazendo, onde você está fazendo isso, para quem está fazendo isso, como você está fazendo isso.

  • Use os seus próprios termos

Estabeleça a sua explicação em consonância com a sua essência. A sua personalidade ou seu “Eu” não deve estar em conflito com o que você está dizendo ou então corre o risco de não acreditar naquilo que diz ou pretende fazer. Quanto mais você acreditar no que está dizendo, mais confiante você estará para iniciar acções alinhadas com a sua visão ou objetivo, e mais coisas positivas sentirá.

  • Faca-o de forma natural

Deixe a sua explicação ser natural, expresse-a nas  suas próprias palavras e no seu próprio estilo. Evite copiar o estilo de outras pessoas e evite pensar que as acções ou ideias dos outros são melhores que a sua. Ninguém pode explicar a sua visão ou objetivo melhor do que você, portanto seja natural. Articulando a sua ideia de uma forma natural será sempre inspirador e autêntico para você mesmo.

Abraço