As melhores coisas na vida como o sucesso, felicidade, amor, dependem da nossa habilidade para criar e manter relacionamentos bem sucedidos e duradouros. A grande maioria de nós tem nota excelente no inicio dos relacionamentos, para mais tarde nos desleixarmos e acabarmos com uma classificação de não satisfaz. Porque razão os relacionamentos criam problemas tão preocupantes? Por vezes os problemas de relacionamento devem-se a uma falha nas habilidades da inteligência emocional. Afortunadamente, nunca é tarde demais para desenvolver estas habilidade e melhorar a capacidade de se relacionar de forma emocionalmente inteligente. Assim que implementar no seu reportório emocional e relacional as 5 funções chave das habilidades da inteligência emocional, ficará habilitado para criar relacionamentos mais seguros, bem sucedidos e duradoros.

Como é que a inteligência emocional pode ajudar os nossos relacionamentos?

Muitas pessoas colocam a sua melhor motivação e atitude no seu novo emprego ou quando pretendem conquistar um novo companheiro, mas tropeçam, quando tentam manter os seus relacionamentos a longo prazo. Isso porque manter uma relação saudável e satisfatória requer uma habilidade única que muitos de nós não temos. Esta habilidade é conhecida como inteligência emocional.

A inteligência emocional é a habilidade para reconhecer, controlar, e comunicar efetivamente as nossas emoções, e reconhecer as emoções nas outras pessoas. Quando as nossas habilidades associadas à inteligencia emocional estão bem desenvolvidas, asseguramos uma sólida fundação emocional que nos ajuda a construir um forte relacionamento e a saber comunicar com clareza.

As habilidades da inteligência emocional irão ajudá-lo a:

  • Construir um relacionamento gratificante e duradouro
  • A ficar calmo e focado, mesmo em situações de tensão
  • Entender as suas próprias motivações, sentimentos e necessidades
  • Reconhecer a diferença entre comunicação prejudicial e útil. Saber “ler” bem as outras pessoas
  • Refutar argumentações e reparar sentimentos feridos
  • Encontrar mais diversão e alegria no seu relacionamento
  • Transformar os conflitos numa oportunidade para construir a confiança

Se você tiver problemas com qualquer uma destas habilidades e gostaria de construir fortes relacionamentos e mais satisfatórios, tenha esperança. A inteligência emocional não é algo com que nascemos – é aprendido. Você pode continuar a aprender e desenvolver as competências da inteligência emocional durante toda a sua vida.

PORQUE É QUE O ACONSELHAMENTO NO RELACIONAMENTO NEM SEMPRE FUNCIONA?

As emoções são os blocos de construção de cada relacionamento nas nossas vidas, e o poder dessas emoções não pode ser negligenciado. As emoções na grande maioria da vezes sobrepõem-se  aos nossos pensamentos e influenciam profundamente o nosso comportamento, quase sempre sem a nossa consciência. A maioria das pessoas procuram o aconselhamento no relacionamento para encontrarem respostas para problemas em que  acreditam serem as responsáveis pelos seus conflitos, sem perceberem que existem questões  mais fundamentais no cerne do problema. Elas estão a tentar curar os sintomas superficiais de seus relacionamentos disfuncionais, sem examinar as verdadeiras questões emocionais que estão em lume brando. Mas até que as questões fundamentais sejam abordadas, os problemas e os conflitos continuarão.

Consideremos os problemas de relacionamento destas pessoas fictícias:

O António teve experiências de dor física e emocional no início da sua vida, e está determinada a manter sua família unida. Mas a sua esposa tem vindo a ameaçá-lo com o divórcio. Num livro, bestseller, António encontrou a forma de implementar alguns passos para mudar o seu comportamento e tomou coragem para iniciar uma discussão aberta na sua relação com a sua esposa. Infelizmente, a maioria das boas intenções a que o António se propôs perderam-se, dado que a sua comunicação não-verbal (a verdadeira linguagem do amor) transmitiu apenas as suas necessidades e ignorando as da esposa.

A Juliana chama a atenção para a sua boa aparência e sentido de humor, mas ela nunca se sente confortável com ela mesma. Ela tem lido muitos livros sobre o que os homens querem, ela tem muitos encontros, mas cada vez que ela encontra alguém que ela realmente gosta, a relação dura pouco tempo. Ela culpa aqueles que a desapontam, mas ela não percebe que a sua incapacidade de relaxar e mostrar-se interessada  são as causas dos seus problemas de relacionamento.

A Margarida, cuja mãe estava deprimida quando ela era jovem, tem uma licenciatura em direito numa das mais prestigiadas faculdades de Direito do país. Ela normalmente, parece e age como alguém responsável, mas tem um calcanhar de Aquiles. A incapacidade para enfrentar o conflito tem prejudicado a sua carreira. Apesar da terapia em coaching, e das suas boas intenções, ela permanece presa e incapaz de avançar.

Em cada um destes exemplos, supostamente o aconselhamento no relacionamento prova a sua ineficácia. Porquê? Porque a verdadeira fonte dos problemas na relação, as questões relacionadas com a inteligência emocional, nunca foram abordadas.

AS HABILIDADES DA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL E O SEU RELACIONAMENTO

A sua inteligência emocional é o conjunto de habilidades de relacionamento ou habilidades-chave que ajudam a estabelecer relações fortes e a lidar com problemas de relacionamento. Encontre o seu nível de habilidade da inteligência emocional, respondendo às questões deste questionário breve. Responda com: normalmente, às vezes, ou raramente.

  • Você sente-se ligado quando fala com a maioria das pessoas? Ou distrai-se facilmente?
  • Você sente-se confortável com as pausas? Você sente-se à vontade quando ninguém está a falar?
  • Você sente quando alguém se sente incomodado antes de o expressar?
  • Você julga ou crítica alguns dos seus sentimentos e emoções?
  • Você presta atenção à sua intuição ao tomar decisões importantes?
  • Você percebe logo, assim que fica stressado?
  • Você sabe como se acalmar rapidamente quando fica stressado?
  • Você ri e brinca com os outros?
  • Você usa o humor para negociar situações difíceis?
  • Você lida bem com as diferenças e desacordos?

Responder a grande parte destas questões indica que você está a ter um bom inicio para melhor aplicar as habilidades de comunicação com inteligência emocional na sua relação. Se as suas respostas foram maioritariamente, às vezes ou raramente, você provavelmente necessita de algum tipo de ajuda para desenvolver algumas habilidades na sua relação.

AS CINCO HABILIDADES CHAVE

Embora cada relacionamento seja único, existem cinco habilidades da inteligência emocional, que são de vital importância para a construção e manutenção de relacionamentos saudáveis.

Habilidade chave nº1: Habilidade para gerir o stress

O stress diminui a sua capacidade de sentir, de pensar racionalmente, e de estar emocionalmente disponível para a outra pessoa, essencialmente, bloqueando a boa comunicação. Isto prejudica a relação. Ser capaz de regular o stress, permite-lhe manter-se emocionalmente disponível. O primeiro passo para comunicar com inteligência emocional é reconhecer quando é que os níveis de stress estão fora de controlo e reverter a situação, sempre que possível, para um estado de relaxamento e em consciência. Pondere ler: 6 estratégias para combater o stress.

Habilidade chave nº2: Habilidade para reconhecer e gerir as suas emoções

Trocas afetivas reforçam o processo de comunicação. Estes intercâmbios são desencadeados por emoções básicas, incluindo a raiva, tristeza, medo, alegria e desgosto. Para comunicar de uma forma que se envolva com os outros, você tem que ser capaz de aceder às suas emoções e reconhecer como elas influenciam as suas acções e relacionamentos. No entanto, as suas emoções podem ser distorcidas, anestesiadas, ou recalcadas, especialmente se você já experimentou precocemente alguns traumas na sua vida , como perda, traição, isolamento ou abuso. Infelizmente, sem consciência emocional, somos incapazes de compreender as nossas próprias motivações e necessidades, ou comunicarmos efetivamente com os outros. A fim de ser emocionalmente saudável e emocionalmente inteligente, você deve trabalhar no sentido de ligar-se ao âmago das suas emoções. Para um melhor esclarecimento acerca deste assunto, pondere ler: Aprenda a gerir as suas emoções e a ter controlo na sua vida.

Habilidade chave nº3: Habilidade para comunicar de forma não-verbal

As formas mais poderosas de comunicação não contêm palavras, e acontecem num ritmo muito mais rápido do que o discurso. Utilizar a comunicação não-verbal é a forma de atrair a atenção dos outros e manter os relacionamentos no bom caminho. Contato ocular, expressão facial, tom de voz, postura, gestos, toque, intensidade, tempo, ritmo e sons que transmitem compreensão ativam o cérebro e influenciam os outros, muito mais do que só as suas palavras. A nossa maneira de falar, ouvir, olhar e movimentarmo-nos produz uma sensação de interesse, confiança, emoção e desejo de conexão, ou pelo contrário, vão gerar medo, confusão, desconfiança e desinteresse. A comunicação não-verbal não é sobre palavras, mas não se processa necessariamente em silêncio, o tom de voz ou um suspiro bem colocado pode dizer muita coisa.  A comunicação não-verbal tem muito de linguagem visual. Se um conversador está de pé rigidamente, a mensagem que ele envia podem ser bastante diferente do que se ele estiver visivelmente relaxado. Um óbvio olhar rasgado ou um encolher de ombros subtil, pode querer dizer muito, mesmo sem intenção consciente da pessoa. Desta forma, a comunicação não-verbal é vital para manter os relacionamentos forte e saudáveis.

Parte da melhoria da nossa comunicação não-verbal envolve a atenção para:

  • Contacto ocular
  • Expressão facial
  • Tom de voz
  • Postura
  • Gestos
  • Toque

A comunicação não-verbal é um regulador da qualidade das relações, consciente ou inconscientemente envia sinais positivos ou negativos para os outros. Nada revela mais sobre nós para os outros, ou atrai outros para nós, que a comunicação sem palavras. Por este motivo, devemos esforçarmo-nos para conseguirmos ser coerentes entre a forma como nos expressamos e as emoções. que estamos a sentir. Normalmente quando estamos num estado emocional muito ativo, as nossa expressões falam por nós, são sinceras e revelam aquilo que estamos a pensar.

Habilidade chave nº4: Habilidade para usar humor e brincar no seu relacionamento

Ser brincalhão e usar o humor pode ajudá-lo a lidar com situações problemáticas e embaraçosas. Compartilhar mutuamente experiências positivas também eleva a moral, pode ajudá-lo a encontrar recursos internos necessários para lidar com a decepção e desgosto, e dar-lhe a vontade para manter uma conexão positiva ao seu trabalho e às pessoas significativas da sua vida.

Utilizar a comunicação lúdica no seu relacionamentos ajuda-o a:

  • Ultrapassar dificuldades. Ao permitir-nos ver as nossas frustrações e decepções de novas perspectivas, risos e brincadeiras  permitem-nos ultrapassar alguns aborrecimentos, dificuldades, e contratempos.
  • Ajustar diferenças. Usar o humor suave, muitas vezes ajuda-nos a dizer coisas que possam ser difíceis sem a criação de um apaziguador.
  • Relaxar e recuperar energia. Brincar e rir, relaxa o corpo e recarrega as nossas baterias emocionais.

Habilidade chave nº5: Habilidade para resolver conflitos nas suas relações

A forma como cada um de nós reage às diferenças e divergências nas relações pessoais e profissionais podem criar distanciamento e hostilidade irreparável, ou pelo contrário pode promover a construção da segurança e confiança.

A forma como você reage às diferenças e divergências nas relações pessoais e profissionais podem criar clivagens  e hostilidade irreparável, ou pode iniciar a construção da segurança e confiança.  A capacidade que cada um de nós tem para gerir os conflitos e perdoar facilmente é apoiada pela capacidade de gerir o stress, e estar emocionalmente disponível para se comunicar verbalmente, e de usar bom humor. O conflito é normalmente o combustível que alimenta a mágoa, injustiça e perda de respeito. Duas pessoas não podem ter sempre as mesmas necessidades, opiniões e expectativas e isto não tem que ser necessariamente uma coisa ruim! Quando o conflito é resolvido de uma forma saudável, transforma-se na pedra fundamental para a confiança entre as pessoas. Quando o conflito não é percebido como ameaçador ou punitivo, promove a liberdade, a criatividade, confiança e segurança nos relacionamentos.

Resolver os conflitos de uma forma positiva envolve:

  • Estar focado no presente. Quando estamos emocionalmente presentes e sem alimentar velhas mágoas e ressentimentos, podemos reconhecer a realidade da situação actual e vê-la como uma nova oportunidade para a resolução de antigos sentimentos sobre os conflitos anteriores.
  • Escolher os seus argumentos. Considere o que vale a pensa discutir e o que pode ignorar. Escolha as suas batalhas com sabedoria.
  • Ser capaz de perdoar. Se você continua a sentir-se prejudicado, deverá proteger-se. Mas se não for o caso, a resolução de conflito, envolve renunciar à vontade de punir.
  • Colocar um ponto final nos conflitos que não podem ser resolvidos. São necessárias duas pessoas para manter um argumento ativo. Se você não consegue encontrar um ponto comum, abandone o argumento.

Depois de saber como manter-se emocionalmente presente, e controlar o stress, você pode evitar uma reacção exagerada ou reagir de forma assertiva em situações emocionalmente tensas. E com a ajuda da comunicação não verbal e do humor você pode evitar e acabar com muitos problemas antes de se transformarem em conflito.

COMO MELHORAR A SUA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Felizmente a inteligência emocional pode ser ensinada e desenvolvida. Há muita literatura e muitos testes disponíveis para o ajudar a determinar a sua inteligência emocional atual e identificar onde é que você pode precisar fazer algumas melhorias.

  • Torne-se consciente de si. Aprenda a reconhecer as suas emoções e seus efeitos, como você reage ao seu ambiente e como as suas emoções afetam seu comportamento. Use-as para encontrar maneiras de fazer as melhores decisões e resolver problemas em áreas onde você se sente vulnerável.
  • Observe como é que você reage em situações stressantes. Você fica chateado muito rapidamente? Você culpa os outros e fica zangado? Como é que você age quando as coisas ficam tensas? Ser capaz de manter a calma e manter as suas emoções sob controlo em situações difíceis, é importante em casa e no trabalho.
  • Gerencie as suas emoções. Exercite o controlo dos seus sentimentos e comportamentos. Lide com as suas emoções de uma forma saudável. Tome a iniciativa, mostre-se ser digno de confiança por parte do outro e adapte-se à mudança e circunstâncias.
  • Torne-se socialmente consciente. Gaste algum do seu tempo e observe a maneira como interage com as outras pessoas. Examine a forma como as suas acções afetam os outros. Você ouve e pensa sobre aquilo que os outros dizem? Você é uma pessoa de mente aberta e aceita a opinião dos outros? Aprenda a estar atento às pistas emocionais que os outros expressam. Aprecie os que as outras pessoas dizem e porque razão estão a dizer determinada coisa.

A inteligência emocional é uma inteligência que tem a ver com discernimento e compreensão de informação emocional. Uma compreensão intelectual da inteligência emocional é muito importante, mas aquilo que é mesmo necessário para o seu desenvolvimento e aprendizagem, depende de muita prática sensorial não-verbal.

PREPARADO PARA CONSTRUIR UM RELACIONAMENTO EXTRAORDINÁRIO?

Deixe os seus comentários ao artigo e participe com a sua opinião sobre este assunto tão problemático que são os relacionamentos e a criação de relacionamentos extraordinários. Comente!

Abraço