O passado faz parte das nossas vidas. O passado vive em nós. Por vezes o passado pode ter sido tão incisivo que nos deixa marcas carregadas de negatividade. Se pouco a pouco transformamos essa negatividade numa cruz que carregamos diariamente, o peso da cruz pode ser tal que nos inferniza a vida.  Todos podemos recordar momentos das nossas vidas que consideramos como terríveis. Mas, se esses acontecimentos na atualidade afetam a sua vida de forma a empobrecê-la do ponto de vista emocional, esses acontecimentos não foram apenas terríveis no passado, eles continuam dia após dia a abrir feridas. Certamente alguns desses acontecimentos foram duros, exigiram de si, fizeram-no sofrer, foram injustos, afastaram-no do caminho que pretendia realizar. Talvez você tenha ficado ressentido e isso se verifique na sua forma de pensar, na sua atitude e comportamentos, não só consigo mesmo, mas também com os outros. Eventualmente você sente a sua vida a fugir-lhe entre os dedos, e até pode ter desejado ser de uma outra forma. Mas apesar de todos os esforços, o passado aparece-lhe tal “fantasma” e atormenta-lhe a vida. Conseguir superar o passado castrador pode trazer à sua vida algo de muito bom, tal como tem acontecido a pessoas que conseguem elevar-se acima dos seus acontecimentos traumáticos e retiram valor para as suas vidas. Em psicologia apelidamos esse fenómeno de crescimento pós-traumático.

PRESO NO PASSADO

Em algumas tentativas desesperadas de ultrapassar o seu passado, pode até ter enveredado por comportamentos menos próprios e institui alguns maus hábitos na sua vida. Tem consciência disso, mas acabou por aceitá-los e convive agora com eles. Afeiçoou-se, assumiu-os como seus,  fazendo agora parte de si. É como a célebre frase: “Se não consegues vencê-los junta-te a eles“. Assim parece acontecer com o nosso passado, com os caminhos que vamos percorrendo e que nos empurram para um trilho de insatisfação. Sabemos que estamos no lado errado da margem, mas como não encontramos forma de atravessarmos para o outro lado, vamos levando a vida olhando para o lado desejado. Nós estamos do lado errado e vamos contemplando o lado em que desejaríamos estar. É como uma tortura permanente. É como estar a viver no passado olhando para o presente. Vivemos a vida que julgamos ter de viver, olhando para aquela que gostaríamos de estar a viver. Este cenário tem tudo de destruidor, de gerador de infelicidade.

“Lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.” - William Shakespeare

Não quero com esta descrição transmitir a ideia que não é possível deixarmos o passado onde ele pertence, no passado. Os acontecimentos negativos passados vivem em nós como memórias que deixaram uma tatuagem emocional de grande impacto, que nos empurram para a outra margem. Ou melhor, nós criamos a “ilusão” que os acontecimentos passados nos empurram para a outra margem. Mas, na verdade o que nos retira do caminho desejado são todas as alterações que fomos fazendo na nossa forma de pensar, sentir e agir. À luz do passado fomos instituindo crenças limitadoras que moldaram de forma negativa a nossa forma de ser.

“Não hipoteque os seus sonhos e a si mesmo ficando preso no passado castrador. Você é tudo quanto você têm.”

Aceitar o passado é benéfico, mas aceitar passivamente o quão os acontecimentos passados nos alteraram negativamente, aceitar os comportamentos indesejados que nos “forçou” a adotarmos, isso não, isso é destruidor. Devemos aceitar as consequências que os acontecimentos passados tiveram, mas cuidadosamente analisar o impacto que podem ter tido em nós, e o quanto o ressentimento, angústia e deceção gerada nos afeta a forma como enfrentamos atualmente a vida. O quão a forma como agimos à luz dos acontecimentos negativos passados nos prejudica a vida presente e futura.

A reter: Abraçar o seu passado, mesmo que seja um passado muito castrador, é um dos maiores presentes que você pode dar a si mesmo.

O que acontece quando você fica preso na lamentação, vitimização, vergonha e outros sentimentos negativos? Isso tem um enorme impacto negativo na sua vida atual, promove a infelicidade e impede que você siga em frente. O passado castrador é como uma sombra escura e deprimente, acinzentando tudo o que você faz, sente e diz. É importante abraçar este tempo escuro da sua vida e até mesmo perceber que pode ter sido um trampolim para a pessoa que você se irá tornar, mas apenas se for capaz de aprender com ele, seguir em frente e concentrar-se no que é importante: o presente e o futuro e a ideia que você tem daquilo que quer vir a tornar-se.

A reter: Não deixe que as suas falhas, angústias, incertezas, medos, pensamentos e sentimentos negativos oriundos do passado se transformem no seu carrasco. Não deixe que isso determine as suas ações e muito menos quem você é. Você tem de decidir os seus objetivos e o que pretende ser, por você mesmo. Pelo seu estado de ser mais elevado, positivo, otimista e esperançoso.

ponte

ACEITE E FAÇA AS PAZES COM O PASSADO

Aceite o seu passado, faça as pazes com o seu passado. Isso promove a superação dos acontecimentos castradores. No entanto, perceba que o condicionamento que o seu passado pode ter feito na sua vida e na sua forma de olhar o mundo, empurrou-o para a margem do rio que você não quer estar. É preciso monitorizar que efeitos pejorativos isso tem vindo a ter na pessoa que você é hoje, e o que pode fazer para mudar para melhor. O que pode fazer no que diz respeito à aprendizagem de novos comportamentos, atitudes e formas de pensar para libertar-se das angústias do passado?

Então, como pode você ver o lado positivo na escuridão do seu passado? Como pode você fazer as pazes com o seu passado castrador e potenciar a sua vida?

  • Lembre-se que você estava num lugar diferente na sua vida. Nesse momento difícil as circunstâncias eram diferentes do que são agora. Podem estar no momento atual a gerar-lhe arrependimento, ou angústia ou algum tipo de reatividade negativa. Se você está arrependido e sente remorsos ou sentimento de culpa, perceba que você teve os seus motivos para agir da maneira que causou o problema. Talvez o seu comportamento tenha permitido aguentar uma determinada situação. Talvez você agisse por segurança ou por medo. Ou talvez você não tivesse atingido um estado de desenvolvimento e conhecimento que lhe permitisse agir satisfatoriamente. O que importa perceber hoje, é que a situação não pode ser comparada com a maneira como você pensa, sente e age na atualidade. Olhe o seus erros passados de forma a retirar algo que lhe sirva para seguir em frente sem cometer os mesmo erros. Se foi um acontecimento que esteve fora do seu controle, mas que o perturba, alterou a sua rotina ou forma de estar na vida, entenda que nada lhe serve indignar-se com a situação. É você que sofre com os sentimentos negativos daí advindos e certamente não o capacitam em nada.
  • Veja o seu passado como um portal que o conduziu para o lugar que você está agora. Talvez você esteja numa relação mais saudável. Talvez você já tenha superado as suas lutas com a redução de peso e ter um relacionamento saudável com seu corpo agora. Talvez você tenha encontrado a carreira dos seus sonhos ou, talvez, você só tenha crescido como pessoa. Se a apreciação que faz do estado em que se encontra é de sofrimento, então importa ter esse sentimento como ponto de partida e perceber que existe a possibilidade de olhar o seu passado por outra perspetiva. Olhe o passado pela perspetiva positiva. Olhe o seu passado menos bom como uma possibilidade de elevar-se acima dos acontecimentos que o fizeram e continuam a fazer sofrer. Você tem agora possibilidade de olhar para si como um agente do seu futuro. Como uma pessoa que pode perceber o quanto o seu passado o tem afetado e decidir não deixar que isso se perpetue. Você tem a possibilidade de lidar com a deceção do seu passado, desapegar-se dele, aproveitar o que pode vir a servir-lhe e inibir o que o prejudica.  Comemore esse fato.
  • Use-o para o bem. Verifique se a sua experiência pode ser uma mais valia para outras pessoas que possam esteja a sofrer com algo idêntico à sua experiência passada. O que você pode fazer para usar o seu passado para criar uma mudança duradoura na vida de outras pessoas? Como você pode usar as lições que aprendeu para ajudar outras pessoas na mesma situação? Dê aos seus acontecimentos difíceis do passado uma boa razão e utilidade e usando-os para fazer deste mundo um lugar melhor.
  • Deixe ir o passado. Utilize a sua capacidade imaginativa e de visualização criando um cenário na sua mente que leve em consideração o ponto um, e perdoe a si mesmo, ou aqueles que o magoaram, ou à própria vida que possa ter sido incisiva e trágica. Seja sincero e compassivo para com você mesmo. Ao desapegar-se do seu passado dando um novo significado aos acontecimentos perturbadores você permite curar o passado. Encerre esse capítulo da sua vida com o final que você deseja e possa servir-lhe no futuro. Não, você não vai esquecer o que aconteceu, mas agora isso pertence ao passado e você pode olhar para o futuro sem inibição ou perturbação das suas decisões e bem-estar. Viva no presente. Não se paralise pelo passado.

‎”Encarar a vida pela frente… Sempre… Encarar a vida pela frente, e vê-la como ela é… Por fim, entendê-la e amá-la pelo que ela é… E depois deixá-la seguir… Sempre os anos entre nós, sempre os anos… Sempre o amor… Sempre a razão… Sempre o tempo… Sempre… As horas.”

- Virginia Woolf

Faça as pazes com o seu passado e viva a sua vida.

PALESTRA EM VÍDEO

Se tem vindo a sofrer com as angústias do seu passado e apesar de todos os seus esforços não vê melhorias, pondere adquirir a minha Palestra em Vídeo: Superar o Passado e Promover o Futuro. Você Irá receber ensinamentos de como dar um novo significado aos acontecimentos passados e como gerir as emoções negativas que o atormentam no presente. Serão divulgadas estratégias para eliminar o autofoco, aumentar o autocontrole e restaurar a capacidade para saborear momentos de prazer e satisfação. Nesta Palestra, você irá aprender a reestruturar o significado negativo do seu passado, potenciar o envolvimento com as suas atividades do dia a dia e implementar uma estrutura mental positiva capaz de apreciar as coisas boas da vida.

Abraço,

Miguel Lucas