Cada um de nós comporta em si a sua história, composta por tudo o que vivemos até ao dia de hoje. Inevitavelmente muitas dos acontecimentos são esquecidos, quer bons e menos bons. No entanto, existem eventos da nossa vida que são mais marcantes, influenciando as nossas acções e decisões do dia a dia. Em psicologia, podemos chamar isso de condicionamento. Agimos, emitindo um determinado padrão de comportamento que é altamente influenciado por acontecimentos marcantes (usualmente de cariz emocional), ambos, positivos e negativos. Evidentemente, que os acontecimentos marcantes negativos geram-nos algum tipo de dor emocional, normalmente traduzido no sentimento de angústia. Viaje comigo até ao seu passado e aprenda a liberta-se das angústias que teimam em paralisar a sua vida.

deixar passado para trás

MUDAR O PASSADO

Quero neste artigo transmitir-lhe a mensagem que existe a possibilidade de poder mudar o significado do seu passado, do presente e do futuro. O presente e o futuro, até pode ser razoável, provavelmente pensa você. Mas o passado? Como é que podemos mudar algo que ocorreu?

Há onze anos atrás li um livro: Como construir uma máquina do tempo, do autor Paul Davies. Numa manhã ao pequeno almoço, lembrei-me de colocar uma questão ao meu filho, na altura com cinco anos. “Filho como é que achas que podíamos viajar no tempo?” Surpreendentemente ele responde: “Através da memória”. Nesse exato momento, o meu filho fez-me quebrar o padrão mental que me fazia estar focado apenas na possibilidade externa, tipo máquina do tempo. A partir desse dia, essa ideia fez-me pensar no assunto do ponto de vista da psicologia. E é, de acordo com esta perspetiva de podermos aceder ao passado através do mecanismo da memória, que vos apresento a possibilidade real de podermos mudar o significado do nosso passado.

O passado o presente e o futuro, relacionam-se de forma intrínseca num só tempo, no aqui e agora. Mudar o presente, à primeira vista é a tarefa que nos parece ser mais viável, fácil e acessível de podermos executar. Nada podia estar mais longe da verdade. De um ponto de vista operacional, e dado que os três momentos estão intrinsecamente ligados, todos, inevitavelmente são mudados no exato momento em que se estabelece algum tipo de mudança.

Passo a explicar: alterando o significado dos eventos passados, automaticamente estes têm impacto no momento presente e permitem projetar-nos no futuro. Sendo que esse futuro em possibilidade, é estruturado pela ideia que temos dele no momento presente. Por sua vez, a ideia que temos no presente momento sofre influências oriundas do nosso passado.

Dica: Passado, presente e futuro, são exatamente o mesmo tempo. Aqui e agora!

CONDICIONADOS DE FORMA DRAMÁTICA PELO PASSADO

Ficarmos demasiado condicionados pelo passado, conduz-nos na grande maioria da vezes a padrões cíclicos de vitimização e dificuldades em iniciar novos desafios na vida. Por vezes, geram-se medos, cristalizam-se formas rígidas de pensamento, caminhamos na vida com demasiados mecanismos de defesa e em estados de alerta disfuncionais. Tornamo-nos especialistas na deteção do perigo, e onde e como podemos ser magoados. Tudo isto poderia encaixar-se perfeitamente com naturalidade não fosse o terrível incómodo causado por essa forma desajustada de viver a vida.

Certamente, alguns acontecimentos do passado deixam marcas profundas, infligem sofrimento, dor, aflição, tristeza, pesar. E alguns desses estados emocionais, fizeram-nos adaptar de forma mais funcional à nova realidade. Permitiram que nos movimentássemos, que fizéssemos coisas na tentativa de atingir novamente um estado de equilíbrio emocional. Quando conseguimos ter essa atitude positiva, vemos o benefício a emergir do sofrimento e da dificuldade. Mas, provavelmente todos nós em algum período da nossa vida não conseguimos fazer este exercício de deixar ir o passado, de conseguir retirar um saldo positivo dos acontecimentos. Perante este cenário encontramo-nos paralisados pelo passado. Encontramo-nos tremendamente condicionados de forma dramática pelo passado. E isto é castrador!

Para aprofundar este assunto, pondere ler o artigo: Viva no presente. Não se paralise pelo passado

ONDE É QUE EXISTE O PASSADO?

Podermos “viajar” no passado,  foi para mim uma descoberta maravilhosa, razão pela qual fiquei profundamente grato ao meu filho. Passo a explicar o alcance desta ideia. Na verdade, através das nossas memórias não podemos de forma alguma mudar os factos da nossa história. Mas visto que não está documentada, que não existem registos factuais dos acontecimentos, a nossa história é sempre uma construção dependente da forma como observámos e gravámos os acontecimentos, as experiências e as emoções envolvidas.

A reter: O nosso passado está relacionado com a forma como percepcionamos a nossa experiência.

De certa forma, o passado não existe. Bem, pelo menos não existe enquanto fatos. Existe sim, enquanto percepção da ideia que temos daquilo que nos aconteceu e como vivemos essa experiência passada. E este é um bom princípio para podermos viajar até ao nosso passado e alterar a percepção que temos dele, a nosso favor. Novamente, relembro que não podemos mexer nos acontecimentos em si, mas sim na ideia que temos acerca deles, e consequentemente da nossa percepção registada na altura.

Os eventos do passado não existem em nenhum outro lugar, a não ser nas nossas memórias, que dão origem aos sentimentos e pensamentos que temos sobre eles. Por si só, é claro, os eventos são neutros. Nós colocamos juízos sobre os eventos com base na forma com eles nos afetaram, tornando bons julgamentos sobre as coisas que nos beneficiaram e julgamentos ruins sobre as coisas que nos prejudicaram. São os sentimentos que resultam desses julgamentos que permanecem connosco, não os próprios acontecimentos. E embora nós não possamos mudar as nossas memórias dos eventos, podemos mudar a percepção que temos deles, reestruturando e alterando uma ideia traumática para um enquadramento facilitador e benéfico.

A reter: De fato podemos mudar o passado, da única maneira que importa, não alterando o que realmente aconteceu, mas mudando o significado do que aconteceu e, portanto, podendo libertar-se das angústias do passado e dos sentimentos daí resultantes.

passado

COMO O PASSADO PODE SER MUDADO?

Como já referi, nós podemos viajar até ao nosso passado através da nossa memória, reestruturar o significado de alguns eventos negativos e traumáticos e consequentemente encontrar uma forma de criar valor a partir desses eventos, que até à data entendíamos como prejudiciais.

Dica: Se podemos realmente utilizar eventos passados que podem ter sido traumáticos como trampolim para o nosso crescimento e desenvolvimento pessoal, reinterpretando-os em acontecimentos positivos, nós podemos libertar-nos da dor associada às memórias que temos deles. E isto é libertador!

A grande maioria da pessoas, que têm na sua história de vida acontecimentos que os prejudicaram, maltrataram ou que passaram por grandes dificuldades ou situações arrebatadoras que tenham provocando choques do ego, passam por momentos de angústia sempre que isso vem à sua memória, condicionando-lhe inevitavelmente as suas atitudes e ações. Se percebermos que podemos mudar o significado, que podemos libertar-nos dessa carga negativa, demos o primeiro passo para uma viagem reestruturante.

Para aprofundar o assunto, pondere ler o artigo: Mude a sua história. Se estás insatisfeito faça algo de Diferente

Tal como já referi anteriormente, leve em consideração que para mudar a sua história, seja ela passado, presente ou futuro, a única possibilidade é fazê-lo no momento presente.

Como podemos então  libertar-nos do passado?

Podemos usar o passado como combustível para o crescimento no presente. Se quando pensamos num evento do nosso passado e ele continua a ser doloroso, devemos compreender que a dor é uma indicação de que temos problemas inacabados, não com quem ou com o que estava envolvido no evento em si, mas connosco mesmos. Talvez alguém o tenha ferido. Talvez alguém o tenha traído. Talvez tenha feito uma escolha errada, com base no seu medo ou raiva e que agora lamenta.

Perder tempo em recriminações ou desejando que pudesse voltar atrás no tempo para mudar o que aconteceu, não é uma estratégia capacitadora e realista. Aquilo que pode ser verdadeiramente eficaz e exequível é encontrar uma maneira de transformar essa mágoa ou arrependimento num catalisador para o crescimento pessoal e avançar a partir de hoje. Se você conseguir realmente pensar sobre o passado desta maneira, vá até lá, faça essa viagem por si mesmo. Em vez de pensar nos traumas dolorosos uma e outra vez, que só lhe provocam angústia e incapacidade, olhe para os acontecimentos como uma oportunidade para fortalecer-se e seguir em frente.

VIAJAR  AO PASSADO E MUDAR O SEU SIGNIFICADO

Entre na sua máquina do tempo (aceda à sua memória) accione a sua consciência, ligue os seus sentimentos e ative a sua percepção, a viagem vai começar. Remeta-se para um acontecimento passado que lhe cause angústia, perceba em que estado se encontra (de incapacidade, de vitimização, com sentimentos negativos, dor emocional, desesperançado, humilhado, com sentimento de culpa), pare um pouco nessas imagens e reflita sobre isso.  Sinta o que lhe está a acontecer no corpo, que sentimentos estão a ser gerados no momento presente. Com esse sentimento em mente, tente perceber o que é que isso influencia a sua vida. O que é que esses sentimentos relacionados com o passado condicionam o seu presente, os seus projetos de vida, as sua ações, as suas atitudes, as suas escolhas?

Tente perceber o quando o seu passado o está a travar, o impede de libertar-se e viver a vida que deseja, sem entraves, sem remorsos, sem sentimento de culpa, sem vitimizações, sem rancores, sem lamechismo. Entenda que tipo de manifestações, que tipo de padrão mental foi construído com base nos acontecimentos passados. Entenda em que medida a sua vida mudaria para melhor se conseguir atribuir um significado mais capacitador aquilo que o impede de seguir o que deseja? Observe até que ponto a sua experiência passada de negatividade lhe pode servir para potenciar o presente?

Para aprofundar o assunto, pondere ler o artigo: Estrutura mental positiva, o elixir da felicidade

EXERCÍCIO PRÁTICO: Deixar ir o passado

Se já conseguiu viajar até ao seu passado e eventualmente reatribuir-lhe um outro significado, agora bem mais capacitador, mas ainda assim sente que continua relativamente condicionado, pode através do exercício que lhe proponho a seguir, reforçar essa libertação. Para que essa libertação aconteça, deve agora pegar nas suas emoções e sentimentos que transporta consigo no seu dia a dia e lhe afetam o seu estado emocional e colocá-las longe de si, até ao ponto de desapareceram.

Para ajudá-lo a liberta-se das angústias do seu passado, proponho que pratique um exercício mental. É um exercício imagético que emparelha técnicas de relaxamento, com a respiração e ainda técnicas imaginadas de descondicionamento. Este exercício deve ser executado de preferência de olhos fechados, sentado numa cadeira ou sofá confortáveis e com as mãos e antebraços apoiados nos joelhos.

 

Download do Podcast (botão direito: "salvar como") ↓

PALESTRA EM VÍDEO

Se ao longo do tempo não tem conseguido libertar-se do seu passado angustiante, quero dar-lhe a conhecer a minha Palestra em Vídeo: Superar o Passado e Promover o Futuro. Se pretende ultrapassar as angústias do seu passado, alguma situação traumática ou situação que possa estar a paralisar a sua vida e a impedir que alcance os seus objetivos, esta palestra é para você. Aproveite esta excelente oportunidade de deixar o seu passado castrador para trás e passar a viver o presente com alegria e satisfação. Agarre esta possibilidade clicando na imagem em baixo:

palestra-video-superar-passado

Abraço,

Miguel Lucas