Escrevo este artigo enquanto decorrem os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Não podia existir melhor cenário para entendermos que a necessidade de um enorme equilíbrio emocional é necessário para colocar em competição o melhor que cada atleta tem dentro de si. No entanto, este é um evento onde os atletas vão participar numa situação vantajosa, onde se apresentam motivados pela ideia de irem concretizar num desempenho quatro anos da sua dedicação diária. Onde se vão desafiar a si mesmos, tentando levar para os seus países os melhores resultados possíveis. Mas se até à véspera da competição os Jogos são encarados com um espírito positivo, o que dizer, após o descalabro que alguns atletas vão viver. A deceção, o fracasso, a falha, a lesão, o orgulho ferido, a esperança de um pais deitada por terra. Como superar a desilusão? Como manter o equilíbrio emocional perante a adversidade da vida? Todos, sem exceção, debatemo-nos em algum momento das nossas vidas com a adversidade. Vimos a nossa zona de conforto ser abalada, os objetivos a caírem por terra, os nossos pensamentos ficam confusos, instalam-se pensamentos negativos e emerge algum tipo de sofrimento.

Na sequência do sofrimento, seja por perda, por desilusão, por fracasso, por abalo, por trauma, é muito comum sofrer-se de algum tipo de ansiedade, ou noutros casos instalar-se um estado deprimido. Estas são reações normais e comuns na presença da adversidade, e podem ser funcionais e adaptativas, mas apenas o tempo necessário para perspetivar um caminho para a solução. Claro que cada pessoa reage de formas diferentes. Mas certamente muitos de nós, podemos ficar presos em comportamentos, sentimentos e pensamentos que em nada contribuem para o reequilíbrio emocional. Perante as dificuldades da vida, algumas das nossas formas de lidar com a adversidade são muito mais destrutivas e prejudiciais do que assertivas e funcionais.

controle emocional

Apresento em seguida seis passos para promover o equilíbrio emocional perante as adversidades da vida:

DÊ TEMPO A SI MESMO PARA PROCESSAR OS ACONTECIMENTOS

Quando você se depara com a adversidade, é importante ocupar algum do seu tempo para processar o que está acontecendo. Algumas pessoas vão dizer-lhe para esquecer e seguir em frente. Para levantar a cabeça, que o que lá vai, lá vai. Mas, se você tentar seguir em frente imediatamente, sem reflexão, sem analisar os seus sentimentos e pensamentos, o que eles lhe transmitem, e qual o impacto que isso pode ter em si, na sua vida e na forma como vai passar a olhar o mundo ou situações futuras, certamente não será benéfico. Pode demorar um dia. Pode levar uma semana. Pode levar um mês. Mas o importante é ter o seu tempo de reflexão, análise e leitura do sucedido. A chave, é certificar-se de que retém-se nessa análise apenas o tempo suficiente para perspetivar um caminho. Ficar recorrentemente num ciclo de avaliações, ou emaranhado nos acontecimentos à espera que melhores dias apareçam, pode fazer com que você fique mentalmente paralisado e incapaz de seguir em frente.

EVITE REAÇÕES DESCABIDAS

Quando você atinge um grande revés é inevitável que tenha algum tipo de reação. Usualmente podemos ter reações a quente, que nos protejam e nos retirem sofrimento. Ou por outro lado, podemos passar ao ataque, culpabilizando outros, ou descartando responsabilidades. Cada caso é um caso. Cada situação demandará certamente um tipo de resposta de acordo com a nossa forma de ser, ou de olhar a situação no momento. Por isso, a ideia que pretendo transmitir, é que você consiga usar a seu favor o que descrevi no primeiro ponto, para que possa evitar qualquer reação impensada. Abordei este assunto de forma mais aprofundada no artigo: Como desenvolver equilíbrio emocional.

DEIXE DE RESISTIR ÀS CIRCUNSTÂNCIAS

Você provavelmente já ouviu as palavras “o que você resiste, persiste.” O que aconteceu, aconteceu. Aquilo em que nos focamos expande-se. Se você ficar detido nas circunstâncias adversas que lhe aconteceram, mais tempo do que aquele que expliquei no ponto um, a vida pode tonar-se num tormento. Você é colhido pelo passado, e aí pode ficar retido, condicionando o seu presente e assombrando o seu futuro. É necessário encarar as deceções, e superar algum sentimento de culpa para que não entre numa espiral negativa e enraíze uma mentalidade de vítima acerca do seu revés. Ficar paralisado pelo passado corta o seu fluxo de vida e faz revivê-lo uma e outra vez, impossibilitando uma mudança benéfica.  Aprofundei o assunto no artigo: Viva o presente. Não se paralise pelo passado.

CONSIDERE AS POSSIBILIDADES

Ao fazer a si mesmo algumas perguntas simples, um mundo de opções se abrirão para você: “O que é possível?” ou “O que posso fazer?” Ao perguntar o que é possível, você abre-se à possibilidade, coloca-se num cenário positivo, construtivo e capacitador. Você permite-se perspetivar um caminho virado para a solução. Coloca-o numa posição de monitorizar as possibilidades que se vislumbrem, ou melhor, você próprio coloca-se num estado de recursos que promove a criação de uma possibilidade. Pode emergir então um cenário em que você decide criar a solução mais adequada.  Aprofundei este assunto no artigo: Construa o seu futuro.

OLHE PARA OS SEUS RETROCESSOS

Se há uma coisa que a minha experiência desportiva me ensinou e, fui posteriormente reforçando essa ideia nas consultas de psicologia com os meus clientes, foi que: a vida flui e reflui, tem altos e baixos. Às vezes as condições são fantásticas. Às vezes, eles são uma porcaria. Um dia batem-se recordes, noutro dia fracassa-se. No entanto, esta fluidez de avanços e recuos permite que possamos aprender com os erros e falhas. Permitem-nos também que possamos aceitar as perdas, que possamos aceitar que somos falíveis. Que tudo muda. Que nada é constante. E que, tal como referi no ponto anterior, existe um mundo de possibilidade sempre prontas a serem concretizadas. Quando você está tentando restabelecer o seu equilíbrio, quando se desafia a si mesmo, quando pretende mudar a sua vida para melhor, por vezes, os recuos, dificuldades e adversidades fazem parte do processo que permite construir o percurso do seu sucesso.

AVANCE, MESMO PERANTE A DIFICULDADE E PERSISTA

Muitos são os exemplos que podemos retirar quando analisamos as pessoas bem sucedidas. Estas pessoas demonstram uma caraterística que as define como persistentes. Perante a adversidade mantêm o foco nos objetivos traçados, quando a grande maioria das pessoas desistiria. Eles avançam, mesmo sentido os grandes obstáculos que encontram pelo caminho. Mantêm os olhos na recompensa desejada. Têm uma perspetiva de longo prazo.

“Para me manter no topo tenho de sofrer dores físicas, tenho de abdicar de muitas coisas, na minha vida pessoal. Tudo para poder treinar e estar disponível para um objetivo que é a minha paixão: o triplo-salto.” – Nelson Évora, Campeão Olímpico do triplo salto em Pequim, 2008. Em entrevista à visão.pt

Ao manter a resiliência diante da adversidade, você será capaz de navegar nas águas turbulentas da vida. Abordei aprofundadamente este assunto no artigo:  Porque razão desistimos dos nossos objetivos?

PALESTRA EM VÍDEO

Se ao longo da sua vida tem vindo a ter problemas emocionais, pessoais ou psicológicos porque tem dificuldades em ter equilíbrio emocional, pondere adquirir a minha Palestra em Vídeo: Motivação, Equilíbrio Emocional e Felicidade. Você irá ficar com uma noção do que é o equilíbrio emocional, o que fazer para regular as suas emoções e como obter força emocional para lidar com as adversidades da vida. Você ficará ainda a saber implementar estratégias para promover a sua felicidade. Não perca esta oportunidade, e veja a sua motivação, felicidade e bem-estar a serem potenciados!

Abraço,

Miguel Lucas