É consensual que os pensamentos são gerados pelo cérebro. Mas pode não ser tão óbvio afirmar que os seus pensamentos também criam o seu cérebro. De que maneira é que esse processo acontece na realidade? A neurociência tem vindo a comprovar pelos imensos estudos na área, que o nosso cérebro é plástico. Esta neuroplasticidade refere-se à capacidade do cérebro para modificar a sua estrutura e função, em decorrência de experiências anteriores, estas experiências podem ser o processo de aprendizado. Esta nova ciência revela o nosso extraordinário potencial de transformar a nós mesmos? Isso mesmo, nós conseguimos mudar a nossa forma de pensar, de sentir e agir se aprendermos novas formas de nos relacionarmos connosco mesmo e consequentemente com os outros e com o mundo. A forma prática de realizarmos este processo é tomar consciência da forma como queremos pensar e agir e orientarmo-nos a nós mesmos, forçando-nos a desenvolver um padrão mental que suporte aquilo que queremos passar a ser.

COMO É QUE OS PENSAMENTOS MUDAM O CÉREBRO?

Todo o pensamento cria um conexão neuronal. Se você tem o mesmo pensamento muitas vezes, a conexão associada a esse pensamento ou tipo de pensamentos vai-se fortalecendo. Quando uma rede neuronal é criada no seu cérebro, inevitavelmente ficará ligada a um determinado tipo de comportamento, e esse comportamento irá fazer disparar um estado emocional. Por cada vez que um determinado pensamento é bem sucedido, ou seja, quando esse pensamento influencia o seu comportamento, e esse comportamento origina uma reação emocional, o seu cérebro vai criando uma estrutura neuronal específica para essa forma de agir e pensamento que a suporta. Por outro lado, se você não tem um determinado pensamento, ou raramente esse pensamento é seguido ou não deriva num comportamento, ou não tem apego emocional, eventualmente, essas conexões neuronais definham por falta de uso.

Ebook – Como Mudar Sua Vida para Melhor

Quando temos pensamentos que nos incomodam, que nos desanimam, que nos deprimem, que nos colocam em causa a nossa autoestima, que nos viram contra o mundo, certamente causam-nos algum tipo de problema pessoal ou problema psicológico, prejudicando-nos. Conscientemente ou inconscientemente, as nossas redes neuronais vão-se formando, para o bom ou para o mau, a nosso favor ou contra nós, o nosso padrão mental vai-se instituindo à medida que as intricadas dobras do nosso cérebro se vão especializando para um determinado tipo de processamento da informação (mais ou menos positivo).

É importante que você ganhe consciência de duas coisas:

  1. É possível não seguir os pensamentos que não lhe servem
  2. É possível criar pensamentos que o beneficiem e de acordo com os seus objetivos

PENSAMENTOS QUE NÃO LHE SERVEM

Em psicologia, alguns padrões de pensamentos negativos apelidam-se de  distorções cognitivas. Em determinados momentos da nossa vida todos podemos desenvolvê-las e consequentemente orientarmos os nossos comportamentos, tendo-as por base. Estas distorções cognitivas ou distorções do pensamento são também conhecidas como mensagens enganosas do cérebro.

Verifique se algum desses padrões de pensamento lhe são familiares:

  • Pensamentos obsessivos acerca de um acontecimento desagradável
  • Ver tudo a preto ou branco, sem meio termo
  • Usar palavras como “sempre” e “nunca”
  • Tirar conclusões precipitadas
  • Catastrofizar, vendo o pior em cada situação
  • Personalizar todas as coisas, palavras ou situações
  • Culpar os outros pelos seus problemas
  • Culpabilizar a si mesmo por coisas fora do seu controle
  • Orientar-se por pensamentos de “deveria”, “não deveria”, e culpa

A maioria de nós pensa assim, pelo menos por algum tempo. Facilmente conseguimos perceber que este tipo de pensamentos quando prolongados no tempo e enraizando-se em padrões mentais, podem constituir-se como obstáculos ao equilíbrio emocional. Estas distorções do pensamento podem conduzir à infelicidade, e não apenas para você, mas para aqueles ao seu redor. Mudar o seu pensamento é difícil. Mas difícil não é impossível, o que nos leva ao próximo ponto.

NÃO ACREDITE EM TUDO O QUE VOCÊ PENSA

Não acredite em tudo que você pensa. Para além de poder ter necessidade de fazer terapia, há algo que você pode facilmente fazer para mudar padrões de pensamento negativo. Você pode ficar ciente, tomando por base uma frase popular que diz: “Não acredite em tudo que você pensa“. Da próxima vez que você se pegar (ficar ciente) que está a ter um desses padrões, lembre-se que não tem que acreditar no pensamento que está surgir na sua mente, só porque esse pensamento se está a manifestar. Reconheça alguns dos seus pensamentos negativos por aquilo que eles realmente podem ser (uma distorção do pensamento), e desafie-os, substituindo-os por outros pensamentos que estejam de acordo com os seus objetivos e valores. A próxima vez que você se encontrar pensando negativamente, lembre-se que isso é verdade. Os seus pensamentos são poderosos. Eles criam substâncias químicas no seu cérebro que promovem ou destroem a sua saúde mental, capacidade de lidar com a vida e felicidade. Leia: Supere os seus pensamentos negativos e barreiras emocionais.

Dica: Você não pode dar-se ao luxo de ter um pensamento negativo e, em consciência, segui-lo.

SABER ACALMAR A MENTE

Quando queremos treinar-nos a regular os nossos pensamentos e estados emocionais, importa aprender a acalmar a mente. Importa criar gatilhos, ou seja, palavras imagens, pequenas frases, gestos que nos façam rapidamente aceder à nossa consciência e à ideia e conceito previamente estabelecido, de que temos o poder e a capacidade para orientar a nós mesmos e, consequentemente os nossos pensamentos. O método eficaz para conseguirmos orientar os nossos pensamentos ou voz silenciosa interior é a utilização da nossa atenção. A atenção é a capacidade de dirigir a nossa concentração para algo que escolhemos focar-nos. A forma mais simples de realizar este processo é focando a atenção na respiração.

Por exemplo: foque a sua atenção na respiração (no fluxo de inspiração e expiração). Preste atenção no ar que entra e sai do seu nariz, no movimento do abdómen quando entra o ar e quando ele sai, preste atenção apenas nesse fluxo contínuo. Não force a respiração, apenas relaxe e observe-a. Os pensamentos vão aparecer, o que você tem que fazer é voltar a atenção para a respiração. Quando perceber que está a ter um determinado pensamento negativo, não se culpe nem entre em stress, apenas relaxe, dirija a sua atenção para qualquer parte do corpo que estiver tensa e relaxe. Em seguida volte o foco para o gatilho, que é a respiração. Você terá que ser mais persistente que os pensamentos, acredite, tem um momento em que eles cessam.

Quando você consegue acalmar a sua mente após o aparecimento de um pensamentos negativo ou distorção do pensamento, fica numa posição favorável para orientar deliberadamente o seu foco atencional para onde pretende. Ou seja, você fica capaz de criar novos pensamentos, verbalizações e imagens mentais que estejam alinhados com aquilo que pretende.

Abraço,

Miguel Lucas