Não há dúvida de que cada um de nós é um produto do nosso passado. As nossas histórias de vida, sucessos, insucessos, erros, conquistas, escolhas,  moldam o nosso comportamento atual. Os eventos e experiências da nossa vida influenciam profundamente quem somos e como vemos o mundo. No entanto, aquilo que somos no presente sofre ainda influências da forma como perspetivamos o futuro. Conjuntamente com o nosso condicionamento do passado, a nossa atitude e a forma como estruturamos o pensamento com base nas expetativas que temos do futuro, moldam igualmente o nosso comportamento atual.

Qualquer que seja a sua experiência de vida, você também tem a capacidade de ser o autor do seu futuro. Uma vez que você esteja ciente das histórias da sua vida e atitudes positivas e negativas que tem vindo a ter, como  é que pode escrever o roteiro para o seu futuro? Como é que você pensa acerca daquilo que quer alcançar, e que influência quer ter nisso? Que tipo de pessoa você quer ser?

NOTA: Este artigo pretende funcionar como um Guia de Passos e Estratégias para construção do futuro que deseja. Não lhe irei dizer o que fazer, no entanto apresento-lhe uma sucessão de passos simples, enriquecidos por artigos já escritos e publicados na Escola Psicologia que têm por objetivo explicar aprofundadamente os pontos apresentados

futuro

POSSIBILIDADE DE CONSTRUIR O SEU FUTURO

Nos artigos complementares, tenho passado a mensagem que todos nós temos a possibilidade de construirmos o nosso futuro à imagem daquilo que queremos, e que isso sofre uma dupla influência. Esta dupla influência emerge por um lado dos acontecimentos do passado e suas consequências (positivas e negativas), e por outro, da visão que temos do futuro. É no entanto, na visão que temos do futuro que iremos expressar o grau de influência (positiva ou negativa) que a nossa história vincou em nós. Caso vislumbre que a sua história de vida não abona a seu favor até ao momento atual, e que os eventos passados estão a limitar, prejudicar e a inibir a sua visão de futuro, você pode mudar isso. Você pode conseguir construir o seu futuro através de uma reestruturação de olhar as coisas por uma outra perspetiva. Uma perspetiva virada para a elaboração de pensamentos positivos, facilitadores, capacitadores, otimistas, construtivos e orientados face aos seus objetivos, e não necessariamente apenas focados nos obstáculos e no seu passado.

Em seguida, apresento uma lista de artigos que podem ajudá-lo a perspetivar uma linha de pensamento mais desprendida do passado e orientada para aquilo que pretende na sua vida:

A mudança é possível, claro que tem de fazer por isso. Tem de acreditar que existem estratégias que quando aplicadas podem surtir o efeito desejado. Se pretende construir o seu futuro à sua imagem e de acordo com um conjunto de valores, objetivos e propósitos, saiba que pode fazer algo nesse sentido.

Questões e passos que pode seguir, facilitando a construção do futuro que deseja para si:

AVALIAÇÃO DOS PONTOS FORTES E FRACOS

Primeiro, você pode avaliar com precisão os seus pontos fortes e fracos? Você pode escrevê-los e descrevê-los? A maioria de nós luta para fazer isso. Porquê? Porque tendemos a ter pontos cegos. Nós temos uma tremenda dificuldade em olharmos para nós mesmos e fazermos avaliações com precisão. Pior, por vezes podemos não querer reconhecer e enfrentar as nossas fraquezas. Na tentativa de protegermos o nosso ego, criamos uma ilusão em nós mesmos e teimamos em não tomar consciência de algumas coisas que podiam ser alvo de melhoria.

No sentido de ajudá-lo a criar um método eficaz para analisar os seus ponto fortes e fracos, leia o artigo: 3 passos e 10 formas para construir a sua auto-confiança. Irá encontrar um quadro de análise (SWOT) que exemplifica o que deve fazer.

Além disso, avaliar com precisão os seus pontos fortes e fracos implica ser pró-ativo no sentido de obter informação de algumas pessoas do seu circulo de amigos e familiares e de você mesmo.

  • Como é que eles olham para você?
  • Quais as habilidades que eles sugerem que você precisa desenvolver?
  • Que informação lhe transmitem para que você possa melhorar algumas dessas habilidades?
  • Que diálogo interno você está usando que o paralisa e impede de avançar para os seus objetivos?
  • Que pensamentos de medo você está tendo?
  • Que coisas você julga não ter que impossibilitam propor-se a fazer aquilo que quer?
  • O que você faz com facilidade?
  • O que você aprecia e faz bem?

Para descobrir isso, você precisa ganhar consciência de si mesmo. Ao reunir um conjunto de informação focada nas suas forças e fraquezas, fica mais apto a descobrir a capacidade que tem ou que pretende construir para ir em busca dos seus sonhos, desejos, objetivos e realizações. Para o ajudar nesta  tarefa enriquecedora, leia os artigos:

DESCUBRA AS SUAS PAIXÕES

Neste segundo passo, pense num momento em que você estava no seu melhor.

  • Quais as tarefas que você estava realizando?
  • Quais foram os fatores ambientais?
  • Porque você estava no seu melhor e o que é que esta experiência lhe diz sobre o que gosta e tem paixão por?
  • Você procura empregos ou carreira em que possa aplicar uma ou mais dessas habilidades ou fatores?

A experiência tem mostrado que existe uma maior probabilidade de você ”brilhar” se estiver fazendo algo que gosta e quer. Ganhar dinheiro e outras motivações extrínsecas são um grande impulsionador, mas geralmente resultam de desfrutar da excelência naquilo que faz!

A este respeito, cuidado com a “sabedoria convencional” ou senso comum e a pressão dos seus pares. Os amigos, por vezes podem torcer o nariz quando você lhes diz que se move pelas suas paixões, interprete isso de forma ligeira. Esteja atento ao seguir a multidão. Aquilo que serve aos outros, pode não lhe servir a si. Concentre-se em entender-se a si mesmo em primeiro lugar. Perceba aquilo que mexe consigo, que enaltece as suas habilidades naturais, que promove o seu impeto para a ação.

Assim que perceba onde quer aplicar a sua motivação, energia e vontade, passe à ação explorando as suas forças  e virtudes e aplicando-as ao que gosta. Para facilitar este processo leia o artigo:

construir futuro

ELABORE UM PLANO

Neste último passo, e antes de colocar todas as suas habilidades em jogo, elabore um plano. E nesse plano, defina a sua estratégia. De nada lhe servirá conhecer as suas forças e fraquezas e igualmente a sua paixão, se não souber a melhor forma de aplicar tudo isso. Mesmo perante uma atitude positiva e munido de todo o conhecimento e ferramentas é sempre necessário uma planificação para que tire o máximo de rendimento e seja eficaz.

O próximo artigo fornece-lhe uma noção da importância deste passo e como fazê-lo:

EMPENHO E DEDICAÇÃO

Evidentemente, que ao propor este Guia de Passos e Estratégias para a construção do seu futuro, pressuponho que é necessário um grande empenho e dedicação da sua parte. Mas será que não vale a pena? Não estou a falar de uma construção literal e totalmente fiel aquilo que deseja ou visualiza para si, mas sim munir-se de capacidades, habilidades, e de um conjunto de crenças em si próprio que lhe permitam insistir, persistir e não desistir do seu plano. Mesmo que eventualmente se depare com alguns recuos pelo meio do processo, é importante não desesperar. Acredito que possa ter de fazer ajustes ou redefinição de objetivos e substituição de estratégias. Mas, existe algo que deve esforçar-se por manter o máximo de tempo possível (ou inalterado) que é a sua atitude positiva e construtiva.

No sentido de certificar-se que constrói o seu futuro o mais fiel e próximo daquilo que imagina, proponho-lhe que leia o artigo: Como implementar o pensamento positivo na sua vida. Acredite em si. Se perceber que o seu passado o atormenta, esforce-se por redefinir o impacto desses eventos que já aconteceram. Movimente-se mais por aquilo que pretende que lhe aconteça ou que quer alcançar, do que ficar eternamente agarrado a algumas limitações impostas pelo passado e das quais possui agora conhecimento para desapegar-se.

A psicologia positiva, debruça-se muito mais sobre as forças e virtudes do ser humano, do que propriamente nos aspetos negativos e pejorativos que supostamente contribuem para a insatisfação ou mal estar da pessoa. A grande maioria dos psicólogos procura muito mais capacitar as pessoas através da implementação de estratégias que valorizem as sua forças e virtudes, assim como reforçar outras, do que propriamente fazer uso do modelo patológico de olhar as pessaos pelas lentes da doença ou trauma.

Acredito com grande convicção que a pessoa que pretende melhorar-se, desenvolver-se e contribuir para a construção de um futuro melhor, é capaz de ser bem sucedida.

Abraço