A ansiedade e os seus transtornos associados são bastante prevalentes na atualidade. Levantamentos da Organização Mundial da Saúde (OMS), mostram que atualmente cerca de 33% da população mundial sofre de ansiedade. O brasil apresenta-se com a maior taxa de transtornos de ansiedade do mundo.

Os sintomas da ansiedade fazem-se sentir em resposta a alguma forma de medo antecipatório e em consequência a maioria das pessoas usa comportamentos de segurança para diminuir o sentimento de medo. Os comportamentos de segurança são no fundo o conjunto de ações que se toma para nos sentirmos mais seguros ou evitarmos que o pior (consequência do medo) possa acontecer.

Neste artigo vou falar as razões porque os comportamentos de segurança fazem a pessoa sentir-se melhor, porque realmente não ajudam a melhorar o problema a longo praz e o que pode evidenciar-se como mais útil em sua substituição. 

Modus operandi de um comportamento de segurança

Exemplo fictício: Quando a faculdade começou pela primeira vez, eu estava tão animado para me sentar naquele anfiteatro enorme e mostrar o quão inteligente eu era à medida que ia fazendo perguntas e me sentia muito sábio. No começo, adorei estar sentado na frente e ficar entusiasmado com os assuntos que eram lecionados. Pouco antes do primeiro semestre, percebi que estava tendo ansiedade durante a aula.

Lembro-me de ficar sentado e começar a sentir-me quente e paralisado na minha cadeira. As aulas duravam uma hora e meia a duas horas. Na aula de Biologia, notei que o meu estômago ficou um pouco enjoado. Uma das primeiras vezes que fiquei enjoado lembro-me de fugir da minha cadeira e correr para o banheiro o mais rápido que pude, pensando que ia vomitar.

Quando cheguei ao banheiro, a náusea e todos os sintomas desapareceram imediatamente. Lembro-me de me sentir tão confuso, questionando porque razão eu ficava melhor sempre que abandonava a aula. Na época não sabia nem entendia que eu nunca iria vomitar mesmo ou passar uma vergonha na aula.

Porque assistir às aulas era importante para mim, fui arranjando formas de atenuar o meu enjoo fazendo o que achava que ajudaria. Mastigava chiclete ou antiácidos para ajudar a aliviar o meu estômago e levava sempre uma garrafa com água. E passei a sentar-me no fundo da sala, no canto mais próximo da saída. Estes foram os meus comportamentos de segurança para aliviar a ansiedade.

Os comportamentos de segurança promovem a ansiedade

Não há nada de errado com mascar chiclete ou beber água gaseificada para aliviar o incómodo do estômago. O problema é pensar que mastigar chiclete, tomar água gaseificada, ou ficar sentado perto da saída da sala de aula (comportamentos de segurança) foi a razão pela qual o enjoo não escalou para fora de controle e, depois, tornar-se dependente desses comportamentos de segurança para diminuir a ansiedade.

A ansiedade é uma resposta natural do organismo perante uma situação stressante, de medo, de incerteza ou insegurança que a pessoa sente num determinado contexto. Acontece pela excessiva excitação do sistema nervoso, o qual se faz sentir no corpo na forma de sintomas incómodos. A ansiedade não se pode fazer desaparecer. Pode sim entender-se porque se faz sentir e o que fazer para lidar saudavelmente com os seus sintomas incómodos.

Continuação do relato fictício: Durante todos os anos que estive na faculdade nunca entrei na sala de aula sem essa combinação de antiácidos, chiclete e água gaseificada, só para segurança. Sempre me sentei ao fundo e junto da porta de saída, novamente por segurança. Mas não me fiquei por aqui, quando a intensidade da ansiedade aumentou comecei a tomar ansiolíticos (tranquilizantes). E todos os dias tão certo como o sol nascer de novo, a ansiedade voltava assim que eu me sentava na sala de aula.

pessoa ansiosa

Porque os comportamentos de segurança prejudicam a superação da ansiedade?

Primeiro você precisa saber que os sintomas incómodos da ansiedade manifestam-se devido à libertação de químicos do stress no seu corpo. Assim sendo, sempre que você percepciona um acontecimento stressante a ansiedade dispara. Se você fica com medo de sentir os sintomas da ansiedade no seu corpo, então cria-se um ciclo de disparos ansiosos que aumentam o incómodo sentido. E você começa a temer o que sente no seu próprio corpo.

Se você teme o que sente no seu corpo, então o mais provável é que faça qualquer coisa para se livrar disso, ou seja, tenha comportamentos de segurança. O problema é que cada vez que você coloca em ação um comportamento de segurança, está a reforçar o medo que você tem de vir a sentir ansiedade. Na grande maioria das vezes, o medo de vir a ter medo dos sintomas da ansiedade, faz com que a pessoa tenha o seu primeiro ataque de pânico.

Dica: A ideia que você tem de ficar é que não precisa de ter comportamentos de segurança, pois a ansiedade é algo normal. Você não pode evitá-la, pode sim aprender a lidar com ela.

O que fazer ao invés de usar os comportamentos de segurança?

Você pode não fazer nada. Ou seja, primeiro você tem de perceber que nada de mal lhe irá acontecer. Depois deixe-se ficar o máximo relaxado na presença dos sintomas. Os sintomas da ansiedade têm tendência para atingir um pico de intensidade máxima nos primeiros minutos para em seguida diminuírem.

A onda de adrenalina que acontece quando você se agita, é apenas isso, uma onda de adrenalina. Isso cria sintomas alarmantes, tais como enjoo, palpitações ou tonturas, ou o que você usualmente sente. Mas não há nada fisicamente errado consigo ou com o seu corpo. A única coisa “errada” está na interpretação que você faz acerca dos sintomas que sente.

Continuação do relato fictício: Se ao menos eu tivesse experimentado ficar sentado sem fazer nada, a ansiedade tinha diminuído por conta própria. Se eu soubesse que podia voltar a sentir-me melhor simplesmente relaxando, a adrenalina ter-se-ia dissipado e o meu corpo teria retornado ao seu estado natural sem que eu pensasse que a solução era mascar chiclete, tomar antiácidos e sentar-me perto da porta de saída. O Irónico é que mesmo com todos esses comportamentos de segurança eu nunca me senti seguro.

O que fazer quando você sente os sintomas da ansiedade?

Para lidar saudavelmente com a ansiedade, primeiro: Observe os seus sintomas desagradáveis. Sente desconforto no estômago, coração acelerado, tonturas? Em seguida observe os seus pensamentos sobre os sintomas: “Oh, meu Deus, estou novamente aflito, certamente vou vomitar na aula. Não suporto mais isto. Fico completamente transtornado. Porque acontece isto comigo?”

Em vez de ficar preso nos seus pensamentos perturbadores, simplesmente observe os seus pensamentos sem julgamento, como se eles fossem nuvens a dissiparem-se no céu. Sim, na verdade são pensamentos alarmantes, mas um pensamento não pode machucá-lo.

Um pensamento é isso mesmo, um pensamento e não um fato. Na grande maioria das vezes é uma interpretação (neste caso, certamente exagerada) sobre aquilo que sente no seu corpo, juntamente com um cenário catastrófico (imaginado) que passa na sua cabeça.

Não acione os comportamentos de segurança

Simplesmente porque a longo prazo não ajuda. Em vez disso, num primeiro instante não faça nada. Deixe-se ficar com o desconforto (o corpo está preparado para sentir sensações corporais intensas sem sofrer dano). Em seguida observe os pensamentos perturbadores associados às sensações corporais incómodas, e não faça nada (pois é apenas a sua imaginação a construir cenários catastróficos). Respire. Sinta a sua respiração fluída e fique alguns instante com ela. Concentre-se na sensação do ar a entrar e a sair pelas suas narinas.  

Fique ciente que nada de mal lhe irá acontecer, o que está a sentir é um disparo intenso de adrenalina e químicos do stress. Em resultado disso você começa a sentir-se atrapalhado com as sensações corporais. Mas não passa disso. Tranquilize-se. Aceite que você irá sentir-se incomodado durante alguns minutos. Mas à medida que vai respirando e relaxando, o medo vai diminuindo porque o sistema nervoso vai regulando o seu estado. Em breve, os incómodos físicos desaparecerem. E você fica bem.

Usar comportamentos de segurança pode até parecer lógico, mas dá uma falsa sensação de segurança e, por último, não faz nada para ajudá-lo a perceber que a ansiedade não é mais que um “fantasma” inofensivo. Pode assustá-lo, mas nunca pode machucá-lo fisicamente ou mentalmente. E os comportamentos de segurança apenas servem para manter a ansiedade intensa. 

Não sofra desnecessariamente

Você gostaria deixar de usar os comportamentos de segurança e sentir-se melhor naturalmente, mas não tem conseguido? Isso é completamente compreensível, e saiba que a Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) pode realmente ajudá-lo a chegar lá. É a terapia mais usada em todo o mundo para tratar a ansiedade e o pânico.

Aqui mesmo no site você pode ter acesso a um plano de tratamento online completo para a ansiedade e transtorno de pânico:  

CONSULTAS ONLINE PARA TRATAMENTO DA ANSIEDADE

Abraço,

Miguel Lucas