A depressão é um transtorno de humor no qual uma pessoa tem pensamentos de extrema tristeza, desesperança e/ou desespero, e esses sentimentos costumam interferir com a vida diária, tais como trabalhar, comer ou dormir. Estes sintomas devem persistir durante pelo menos duas semanas, para satisfazer o diagnóstico para a depressão. As causas da depressão são variadas e vão desde acontecimentos de vida negativos a fatores biológicos. A depressão também pode acontecer simplesmente devido à forma como uma pessoa pensa. Em grande parte, a depressão deve-se a erros de raciocínio que a pessoa comete acerca dos problemas que vai enfrentado na sua vida.

A depressão clínica pode ser leve, moderada ou severa . Mas tudo isso contém coisas comuns: sentimento de tristeza profunda e  um estado deprimido por semanas ou meses a fio (e não apenas humor diminuído ou passageiro), acompanhada por sentimentos de desesperança, falta de energia, e tendo pouco ou nenhum prazer em coisas que lhe deram alegria no passado. Uma pessoa que está deprimida tem imensa dificuldade em ser ativa,  sentindo-se totalmente desmotivada para fazer qualquer coisa. Mesmo coisas simples como vestir-se de manhã ou comer torna-se um enorme obstáculo.

ESTOU SIMPLESMENTE ABATIDO OU TENHO ALGO MAIS?

Senti-se em baixo ou abatido é bastante comum na sociedade de hoje em que vivemos num ritmo acelerado. As pessoas estão mais stressadas do que nunca, trabalham mais horas do que nunca. É natural, portanto que não se sintam a 100% em alguns dias. Isso é completamente normal.

O que diferencia a depressão de meramente sentir-se ocasionalmente para baixo por alguns dias, é a gravidade dos sintomas descritos anteriormente, e durante quanto tempo você teve ou tem os sintomas. Normalmente, para a maioria dos transtornos depressivos, você precisa ter sentido alguns desses sintomas por mais de duas semanas. Esses sintomas têm de causar-lhe uma certa quantidade de sofrimento na sua vida, e interferir com a sua capacidade de exercer a sua rotina diária normal.

A depressão é um transtorno grave, e que muitas vezes pode passar despercebido na vida de algumas pessoas, porque pode instalar-se silenciosamente. A depressão pode não aparecer repentinamente, pode instituir-se quase de forma imperceptível na sua vida ativa e ir retirando-lhe o prazer de viver. Ou pode ser causada por um acontecimento específico, como o rompimento de um relacionamento de longo prazo, um divórcio, problemas familiares, etc. Encontrar e compreender as causas da depressão não é tão importante como a obtenção de tratamento adequado e eficaz para isso.

depressão

O QUE É UM TRANSTORNO DEPRESSIVO?

Os transtornos depressivos têm sido verificados na humanidade desde o início da história. Na Bíblia, o rei Davi, bem como Job, sofreu desta aflição. Hipócrates refere-se à depressão como melancolia, que literalmente significa bílis negra. Bílis negra, junto com catarro, sangue e bílis amarela foram os quatro humores (fluidos) que descreveu a teoria fisiológica da época. A depressão, também chamada de depressão clínica, foi retratado na literatura e nas artes por centenas de anos, mas o que queremos dizer hoje, quando nos referimos a um transtorno depressivo? No século 19, a depressão foi vista como uma fraqueza hereditária do temperamento. Na primeira metade do século 20, Freud atribuía o desenvolvimento da depressão à culpa e conflito.

Nos anos de 1950 a 1960, a depressão foi dividida em dois tipos, endógenos e neurótico. Endógeno, significa que a depressão vem de dentro do corpo, talvez de origem genética, ou vem do nada. Depressão neurótica ou reativa tem um fator ambiental de precipitação, como a morte de um dos cônjuges, ou a perda de algo significativo, tais como a perda de um emprego. Nos anos 1970 a 1980, o foco de atenção passou da causa da depressão aos seus efeitos sobre as pessoas atingidas. Isso quer dizer que, qualquer que seja a causa de um caso particular, quais são os sintomas e as funções prejudicadas que os especialistas podem concordar para diagnosticar um transtorno depressivo? Embora ainda hoje existam alguns argumentos distintos (como em todos os ramos da medicina), a maioria dos especialistas concordam com o seguinte:

  • 1. Um transtorno depressivo é uma síndrome (conjunto de sintomas), que reflete um humor triste e/ou irritável excedendo a tristeza normal. Mais especificamente, a tristeza da depressão é caracterizada por uma maior intensidade e duração e por sintomas mais graves e incapacidades funcionais do que o normal.
  • 2. Os sinais e sintomas da depressão são caracterizados não só por pensamentos negativos, humores e comportamentos, mas também por mudanças específicas nas funções corporais (por exemplo, crises de choro, dores no corpo, baixa energia ou libido, assim como problemas com a alimentação, peso, ou sono). As alterações funcionais da depressão clínica são muitas vezes chamadas de sinais neurovegetativos. Isto significa que as alterações do sistema nervoso no cérebro causam muitos sintomas físicos que levam à diminuição da participação e um nível de actividade diminuída ou aumentada.
  • 3. Algumas pessoas com transtorno depressivo, especialmente depressão bipolar (psicose maníaco-depressiva), parecem ter herdado uma vulnerabilidade a esta condição.
  • 4.Os transtornos depressivos  são um enorme problema de saúde pública, devido aos milhares de pessoas que são afetadas. Cerca de 10% dos adultos, 8% de adolescentes e 2% das crianças pré-adolescentes experimentam algum tipo de transtorno depressivo. Os adolescentes que sofrem de depressão têm maior risco de desenvolvimento e manutenção da obesidade.Num importante estudo médico, a depressão causou grandes problemas no funcionamento de pessoas influenciando negativamente e com mais frequência que sofria de artrite, hipertensão, doença pulmonar crônica e diabetes.A depressão pode aumentar os riscos de desenvolvimento de doença arterial coronariana, HIV, asma e muitas outras doenças médicas.

    A depressão pode coexistir com praticamente todas as outras doenças de saúde mental, agravando a situação daqueles que sofrem a combinação de ambas, depressão e outras doenças mentais.

  • 5. A depressão é geralmente identificada pela primeira vez num ambiente de cuidados primários, e não num consultório de um terapeuta de saúde mental. Além disso, muitas vezes assume vários disfarces, o leva a depressão a ser subdiagnosticada.
  • 6. Apesar de evidências das pesquisas e das orientação clínicas sobre a terapia, a depressão muitas das vezes não é tratada. Esperemos que esta situação possa mudar para melhor. A depressão pode ser tratada com taxas elevadas de sucesso quando devidamente enquadrada num programa terapeutico. Aqui mesmo na Escola Psicologia pode ter acesso a terapia eficaz para uma recuperação total. O Dr. Miguel Lucas tem ajudado centenas de pessoas por todo o mundo a superarem a depressão. Você também será capaz.

Para mais informações visite: Consultas de Psicologia Online

O QUE O IMPEDE DE INICIAR UM TRATAMENTO PARA A DEPRESSÃO?

Se você for diagnosticado com depressão, é hora de começar a tratá-la. Existem duas formas de conseguir ter êxito na sua melhoria. Tratamento com medicamentos, tratamento com psicoterapia, ou ambos. Preferencialmente, aconselho a uma conjunção da toma de medicamentos com o tratamento psicológico.

Ainda que você possa estar hesitante.  Talvez você não tenha a certeza se realmente tem depressão, ou não saiba que a depressão é diferente de tristeza. A ideia de tratamento, eventualmente com a necessidade de temporariamente tomar medicação diária, e falar sobre a sua vida pessoal para um terapeuta, pode afastá-lo da possibilidade de aderir a um tratamento ministrado por profissionais. Talvez você possa sentir que é capaz de superar a depressão por conta própria, ou esperar que a melhoria aconteça com o passar do tempo. Pode eventualmente, em casos extraordinários a pessoa ser capaz de superar a depressão, sobretudo se for uma depressão leve. No entanto, se for uma depressão severa, com grave transtorno da funcionalidade da pessoa, é primordial a ajuda profissional.

A depressão é um transtorno demasiado sério para adiar-se o tratamento.  Sem tratamento, as pessoas podem lutar por meses ou anos, sentindo-se para baixo ou simplesmente miseráveis. Consequentemente as famílias sofrem e são igualmente afetadas, assim como as carreiras profissionais. Isso não tem que acontecer. Com ajuda, você pode vencer a depressão. Quanto mais você adiar o tratamento, mais difícil pode ser para reverter a situação. Com o tratamento adequado, você conseguirá superar a depressão e voltar a sentir-se tão bem como antigamente.

COMO ESCOLHER O MELHOR TRATAMENTO?

Atualmente, há tratamentos mais eficazes e comprovados para a depressão como nunca existiu. Provavelmente, o seu médico irá recomendar a toma de antidepressivos. Em estudos descobriu-se que a combinação de terapia com medicamentos normalmente funciona melhor do que apenas medicamentos, dependendo dos seus sintomas. Alerto no entanto, para o fato de se passado três meses da toma de medicação, os seus sintomas iniciais não melhorarem ou piorarem, deverá colocar em causa o respetivo tratamento, o mesmo é viável para a terapia psicológica.

O seu médico também pode sugerir algumas mudanças de estilo de vida para ajudar que o seu tratamento funcione melhor. Encontrar formas de gerir o stress, dormir o suficiente, e exercitar-se são tudo atividades que se comprovam como sendo muito eficazes. Aborde estes assuntos com o seu médico ou terapeuta. O importante a ser retido é que existem opções. Se um medicamento ou método de tratamento não funciona para você, há sempre outros que você pode experimentar. Não abandone a possibilidade de melhorar o seu problema, existe sempre alternativas para a superação da depressão.

O QUE CAUSA A DEPRESSÃO?

Talvez você se questione: Porquê eu? Não se culpe. A depressão, como muitos transtornos, deriva de uma combinação de causas biológicas, ambientais e pessoais. Genética, alterações hormonais, género e doença ou problemas recorrentes de longo prazo podem desempenhar um papel na depressão. Assim como, as grandes mudanças na sua vida, como um divórcio, a perda de um ente querido, ou mesmo coisas positivas, como começar um novo trabalho. Algumas pessoas podem apontar para um gatilho específico para a sua depressão. Mas outras nem sempre encontram. Seja qual for a causa, a depressão é um transtorno de humor muito real.

O QUE VOCÊ PODE FAZER?

Adotar hábitos saudáveis é uma ótima iniciativa, mas geralmente não é suficiente para curar a depressão por conta própria. Mas eles podem reduzir o stress e ajudá-lo a sentir-se melhor, enquanto o seu tratamento começa a surtir efeito. Encontrar novas formas de cuidar de si mesmo é importante. Ter a quantidade certa de sono é importante. Tente exercitar-se pelo menos três vezes por semana. Estudos mostram que a atividade física regular, mesmo andar a pé, pode melhorar o seu humor, construir a resistência física  e aumentar a autoestima. Começar um programa diário e estabelecer metas modestas vai aliviar alguns dos seus sintomas e retomar o seu ritmo de vida. Aprender a relaxar com exercícios de yoga, meditação, ou  respiração também ajudará.

Para aprofundar este assunto, leia: Depressão, benefícios do exercício físico

FALAR ACERCA DO PROBLEMA

Quando você está deprimido, pode ter tendência de voltar-se para dentro e afastar-se da família e dos amigos. Mas é muito importante manter a ligação com as pessoas da sua confiança. Você precisa dos seus entes queridos neste momento, não só de apoio, mas, para aliviar a sua mente, falando um pouco acerca dos seus problemas. Romper com o seu isolamento é essencial para a obtenção da melhoria.

Escolha alguns familiares e amigos de confiança e diga-lhes como você se está sentindo. Dê-lhes algumas informações sobre a depressão, isso irá ajudá-los a entender o que é a depressão e como ela é tratada. Há também grupos de apoio para pessoas em recuperação da depressão, que podem ajudar as pessoas a sentirem-se menos isoladas e sozinhas. E, se algumas pessoas não acreditarem em você? Se elas acharem que você deve apenas “sair dessa”. Eles estão errados. Não deixe que essas pessoas minem você, ou influenciem no sentido de você evitar receber o tratamento de que necessita.

Para aprofundar o assunto, leia: Depressão, como aceitar que precisa de ajuda psicológica?