Você está querendo saber como romper com alguém que ainda ama? As dicas neste artigo foram criadas em resposta a uma leitora que vive uma relação tóxica, e irão ajudá-lo a saber lidar com isso. Você quer terminar, e apesar da relação já ser um tormento, provavelmente você ainda gosta dessa pessoa, preocupa-se com ela, e não deseja prejudicá-la.

Mas quanto mais tempo você espera para fazer isso, pior a dor será. Há coisas que você pode fazer para tornar este processo um pouco mais fácil para ambos. Acredito que as dicas que apresento mais em baixo poderão ajudá-lo também.

Enquadramento do problema da leitora

Boa noite, li um texto no blog e me identifiquei muito com relação à necessidade de mudanças, mas vivo fazendo as mesmas asneiras. Gostaria de uma visão de sua parte, sobre a minha situação de asneira abaixo, na qual não consigo sair e está empatando as demais áreas da minha vida.

Etapas da relação:

1- Paixão: Recém havia saído de um casamento de 20 anos. O que me chamou a atenção e atraiu foi a forma carinhosa, atenciosa como eu e minha filha fomos tratadas. Num momento de extrema dificuldade emocional.

2- Realidade: Com o tempo de convivência fui percebendo que as diferenças de comportamento e maturidade estavam cada vez mais visíveis. Mas apesar de tudo, gostava e gosto dele.

Quem sou eu: Objetiva, realista, tive uma infância difícil e desde cedo batalhei pelos meus objetivos. Trabalho, estudos, faculdade, casamento. Independente financeiramente. Tenho uma filha de 6 anos que precisa de boas referências para um crescimento saudável. Tenho objetivos seja profissionais ou pessoais.

Quem é ele (na minha opinião/e da família dele): Homem de 39 anos dependente emocionalmente e financeiramente da família (atualmente da irmã, pois sua mãe faleceu a 1 ano). Mora com a irmã, não tem condições de morar sozinho, ter seu auto-sustento (porque não quer). Trabalhou pouquíssimo na vida, tem 2 imóveis no qual aluga e vive da renda (não adquiriu por esforço próprio, ganhou de herança dos pais). Fez 2 faculdades pagas pelo pai e não concluiu nenhuma delas. Pensa somente no hoje, sem se preocupar no amanhã. Não tem objetivos seja pessoais ou profissionais. Tem TOC no sentido de tornar coisas simples do cotidiano em coisas massivas, cansativas.

Tenho a sensação de que me transformo em um TOC dele, onde me sufoca. Como não tem objetivos e preocupações, quer ocupar seu tempo exclusivamente comigo. Me sinto mais sufocada do que quando era casada.

3- Já terminei a relação algumas centenas de vezes e sempre volto. Boa pergunta, porquê? Me dou conta que não consigo viver sozinha. Meu histórico de sair cedo da casa dos pais e entrar num casamento, nunca me deram esta oportunidade. E com isso, entro num circulo vicioso no qual não consigo sair.

relacão tóxica

Resumindo: Nossas diferenças geram conflitos constantes, intensos, cansativos (sinto que perco energia). Os conflitos sempre são gerados pela minha insatisfação com seu comportamento (ou a falta dele). Ele sempre na defensiva, e hoje é perceptível que não haverá mudança por parte dele. Todos estes problemas que vejo nele, ele finge que não existem (é mais cômodo), ou seja, estou sofrendo por um problema que não é meu, e ele não está sofrendo, pois pra ele não é um problema.

Atualmente percebo que este relacionamento esta atrapalhando minha vida em todos os sentidos: emocional, saúde, trabalho, etc. Parece loucura, porque não consigo sair de uma relação que é muito claro que não agrega nada de bom pra minha vida?

Resposta à leitora

De maneira nenhuma posso aconselhar a que rompa o seu relacionamento. No entanto, para ajudar a que possa ficar mais esclarecida e com isso facilitar o seu processo de decisão, apresento algumas dicas:

1. O que é o amor?

De forma simples, poderei dizer que o amor é um  sentimento amplo e arrebatador gerado em relação a outra pessoa, que as aproximas de forma íntima e significativa. Muito mais poderia ser dito. Na verdade cada um de nós tem a sua própria definição de amor, e a sua própria forma de amar e expressar-se no amor. Se perguntasse a dez pessoas o que para elas é o amor, certamente obteria dez resposta distintas.

Então, quando você percebe o que está na base do seu amor, tudo fica mais claro. Não basta dizer que ama e pronto. É porque se sente segura? Porque sente compreensão do parceiro? Porque se sente orgulhosa ao lado dessa pessoa? Porque essa pessoa é carinhosa e atenciosa? Porque é inteligente? Porque partilham interesses comuns? Porque a faz sentir-se nem na sua pele?

2. Não consigo viver sozinha

Certamente a ideia que tem de não conseguir viver sozinha é ilusória. Ou seja, no momento que conseguir decidir-se a fazê-lo certamente percebe que consegue. Não é uma questão de conseguir ou não conseguir, mas sim de decisão. De decidir que no momento é o melhor. Depois deverá especificar porque será melhor, e ter uma noção concreta dos benefícios associados à decisão e ao mesmo tempo pensar no que irá fazer nos momentos em que se sentir sozinha.

3. Não consigo abandonar a relação

Este problema está associado ao anterior. Mais uma vez a ideia “não consigo” é ilusória. Certamente as vezes que diz ter terminado e depois voltado, é porque essa era uma estratégia de tentativa de mostrar ao seu parceiro que o incómodo é grande. Mas esse breve terminar, funciona como uma tentativa de alerta, para que o parceiro mude algo e as coisas possam melhorar.

Acredito que se associar um conjunto de benefícios, ou coisas que irá conquistar com o término da relação, não terá mais caminho de volta. Tente associar ao fim do relacionamento um conjunto de reforços (coisas boas ou menos más) que ganhará com essa decisão.

4. Há mais de um potencial parceiro

Um mito popular sobre o amor é que não há uma alma gêmea para todos. A verdade é que há muitas almas gêmeas disponíveis para todos nós. Cada um vai trazer novas experiências, e cada um vai nos preparar para o próximo relacionamento. Cada experiência falhada irá ajudar a saber o que nós não queremos em um relacionamento. Se você mantiver essas coisas em mente, será capaz de terminar mais fácil com o que você tem agora. Há esperança de encontrar alguém que possa lhe fornecer o que você precisa, e você por sua vez, pode fazer o mesmo para essa pessoa.

5. Fim de contato

Certifique-se que, depois de terminar, você não continua mantendo contato. Além disso, como você certamente vai sentir falta dele, lembre-se em primeiro lugar, por que você rompeu com ele. Pode manter as boas lembranças, mas igualmente recordar-se das razões que conduziram até à decisão de terminar. E, sobretudo não pense sobre como poderia ter sido se as coisas corressem bem.

6. A dor emocional não dura para sempre

Outro mito sobre o fim das relações é que a dor tem que continuar por semanas ou meses. Você vai ficar triste depois da decisão, porque nesse momento de certa forma você ainda gosta dele, e não o que magoar.

No entanto, essa tristeza não irá durar para sempre. Sinta a sua tristeza e decepção não não se resuma a isso. perceba que esse é um momento difícil que pouco a pouco irá passar. Engaje-se em alguma atividade, como exercício físico, leia o jornal, chore, mas não fique presa no passado. Não oiça músicas tristes ou assista a filmes tristes. Evite lugares onde ele possa conviver, pois isso só vai piorar as coisas.

Seguir em frente

Estas são maneiras de realizar o seu objetivo, e então você pode começar a seguir em frente e viver a sua vida. Não há nenhuma razão concreta para você se sentir mal por um longo período de tempo.

Você já usou algumas destas dicas para romper com alguém que você ainda ama? Achou as dicas úteis? Por favor, compartilhe nos comentários abaixo.

Abraço,

Miguel Lucas