A auto confiança é um construto importante na formação da nossa identidade. A confiança pode ser considerada uma competência extremamente importante na vida de cada um de nós. Sem um sentimento de auto confiança em si ou sem ter confiança nas suas habilidades e capacidades, certamente sente-se incapaz de realizar aquilo que deseja. Num estado de dúvida e incerteza nas suas capacidades a vida torna-se mais difícil, os comportamentos e atitudes são inevitavelmente afetados negativamente. Emergem dúvidas, os receios e medos passam a comandar a vida, e os pensamentos negativos passam a ser uma constante. A estrutura mental vai enraizando uma forma negativa de processar a informação, os estímulos, situações e desafios na vida são visto à luz do pessimismo.

Mas, nem sempre, nem nunca. Ainda que cada um de nós tenha um determinado nível de auto confiança (uns mais, outros menos), ninguém por certo está sempre confiante em todas as situações, em qualquer momento e em tudo na vida. O oposto é igualmente verdadeiro, ninguém tem a sua auto confiança sempre diminuída, em todas as situações, em qualquer momento e em tudo na vida.

Uma forma saudável e funcional de olhar a nossa auto confiança, é percebê-la em termos de grau. Sempre que perceba que está a retrair-se ou a evitar algo por julgar que não está suficientemente confiante em si para lidar ou enfrentar a situação, questione-se em termos de grau, usando uma escala entre (0-10).

Por exemplo: “De 0 a 10, quanto me sinto confiante para o exame de matemática?”

Ao olhar para a sua auto confiança em termos de grau, você permite distanciar-se de si mesmo, promove a descentralização do problema como se ele existisse fora si, ou fosse algo que pode ser trabalhado e consequentemente melhorado. Tal como no exemplo anterior, caso o seu grau de confiança fosse de “5″, poderia estudar mais e pedir explicações da matéria que ainda tivesse dificuldade, tentando elevar o seu grau de confiança para “8″. Mas, o problema da auto confiança diminuída complica-se, quando mesmo estudando tudo ao pormenor a pessoa continua sem confiança em si mesmo para no dia do exame conseguir expressar o que sabe. Isto quer dizer, que a auto confiança estabelece relação com as crenças que a pessoa tem em si, com a auto estima, timidez, ou com alguns medos que possam existir, como por exemplo o medo de falar em público, fobia social, ansiedade generalizada. Todas estes construtos ou traços individuais influenciam e são influenciados, podendo contribuir para os seus problemas pessoais.

Para tornar-se numa pessoa auto confiante, é importante levar todos os aspetos anteriores em consideração. No entanto, o que mais importa é perceber que todos podem ser melhorados, trabalhando diariamente em algumas estratégias que permitem ir percebendo que é capaz de realizar aquilo que deseja para si.

auto confiança

Apresento em seguida 10 formas simples para melhorar a sua auto confiança:

1. MELHORAR A SUA CONDIÇÃO FÍSICA

O corpo é o nosso templo, é onde tudo acontece e tudo se passa. Nós vivemos no nosso corpo e com o nosso corpo. As imensas funções e funcionalidades que tem, damos praticamente por garantido. Está sempre a trabalhar em prol da nossa sobrevivência 24/24 horas. E, nos momentos em que falha, é nele que mais pensamos e mais apelamos para que volte a funcionar devidamente para que possamos levar a vida para a frente, sentido-nos bem. Mas, o que é que na grande maioria das vezes fazemos? Muitas vezes esquecemos que temos um corpo que necessita de ser cuidado conscientemente por nós! E você, tem cuidado do seu corpo? O mesmo será perguntar, se tem cuidado de si e da sua saúde?

Citação: Nenhum cidadão tem o direito de ser um amador em matéria de treinamento físico! Que desgraça é para o homem envelhecer sem nunca ver a beleza e a força do que o seu corpo é capaz. – Sócrates

Este é um imperativo, por uma razão simples, se você não estiver em forma, você não está saudável. Se você não está saudável, você não pode aproveitar a vida tanto quanto uma pessoa saudável consegue. Se você não pode desfrutar da sua vida ao máximo, provavelmente a sua auto confiança pode ser afetada. Não pretendo com este tipo de discurso passar a mensagem de que quem tem algumas condicionantes físicas não possa ser auto confiante. O que digo, é que todos nós, e até mesmo os que infelizmente possuem algumas limitações físicas, em determinado grau beneficiamos todos de algum tipo de exercício físico.

Se você está procurando um impulsionador da confiança permanente, pode por exemplo livrar-se do excesso de gordura alojado na sua barriga e obter uma barriga mais lisa. Se você já tem uma barriga lisa, exercite-a e coloque-lhe algum músculo.  Se você sobe um lance de escadas e fica extremamente ofegante, caminha à volta do seu bairro. Se por acaso já é adepto das academias, ótimo, continue a fazê-lo. Se ainda não olhou seriamente para os benefícios do exercício físico para a sua saúde, sabe agora que é um fator que deve levar em consideração. Comece o quanto antes a mexer-se, pela sua saúde e veja a sua confiança a melhorar também.

Para aprofundar este assunto, leia:

2. EXPANDIR A SUA ZONA DE CONFORTO

A auto confiança pode beneficiar da experiência. Claro que também pode ser afetada por experiências negativas de vida, inibindo-nos os movimentos e as tomadas de iniciativa. Mesmo perante acontecimentos negativos de vida, ficar paralisado e optarmos pelo evitamento, só piora a situação em que nos encontramos. Se tem noção que a sua baixa auto confiança afeta-o no seu dia a dia, pondere expandir a sua zona de conforto. Faça um contrato com o seu passado, deixando-o onde ele pertence: no Passado. Depois disso, decida-se a avançar, decida-se a expandir a sua zona de conforto. proponha-se a experimentar coisas novas, coisas que lhe parecem ser difíceis de executar, e experimente fazer. Por cada uma que verificar que consegue ser bem sucedido a sua auto confiança agradece.

Citação: Não é porque as coisas são difíceis que não ousamos, é porque não ousamos que elas são difíceis. – Lucius Annaeus Seneca.

A auto confiança piora com o isolamento, com o evitamento das situações temidas e difíceis de realizar. A pessoa vai restringindo a sua vida, ao ponto de correr o risco de entrar numa espiral negativa, afetando até algumas das coisas que anteriormente se sentia confortável a fazer. Certamente, se você estiver evitando as situações que fazem você sentir-se desconfortável, nunca irá tornar-se confiante.

Se melhorar a auto confiança é difícil para você, provavelmente é porque passou a evitar qualquer situação que poderia ajudá-lo a tornar-se mais confiante. Enfrente os seus medos e torne isso num hábito diário.  Cada vez que você evita uma situação em que se sente inseguro, está basicamente dizendo: “Eu não quero ser confiante, prefiro ser tímido.”A escolha é sua!

Para aprofundar o assunto, leia:

3. ACALMAR-SE

Com a consciência da nossa baixa auto confiança, inevitavelmente o nosso corpo reage a esse estado, sentindo ansiedade. Num estado ansioso, os cenários antecipatórios emergem na mente, normalmente são cenários negativos e até catastróficos. A excitação, tensão e ansiedade vai aumentando, podendo atingir níveis que toldam a clareza de pensamento. Numa situação do dia a dia, quando sentimos o corpo num estado de alerta elevado, emergem ainda mais as sensações de incapacidade de lidar com a situação temida. A mente começa a tecer pensamentos a 100 à hora, e o corpo segue esse impulso. Fica-se mais agitado, desesperado e a capacidade de tomar decisões diminui. Perante tal estado incapacitante, o que fazer?

A resposta é: acalmar-se.

Você vive a sua vida numa corrida constante? Se assim for, você está sempre correndo para algum lugar, você aumenta a probabilidade de ficar nervoso e stressado. Num estado de tensão, o sentimento de confiança é afetado, diminuindo.

Provérbio: Tensão é quem você pensa que deveria ser. O relaxamento é quem você é. – provérbio Chinês

Aprenda a relaxar. Gaste pelo menos 30 minutos por dia para relaxar. Quer se trate de ouvir música, ler livros, andar, correr, técnicas de relaxamento, meditar, levantamento de pesos ou divertir-se com os seus amigos, faça algo que o possa relaxar. O stress excessivo diminui a sua auto confiança.

Para aprofundar o assunto, leia:

confiança

4. INTERAGIR COM OS OUTROS

Uma das consequências da baixa auto confiança, como já vimos anteriormente é o evitamento das situações, tarefas ou coisas temidas. Esta forma de encarar o seu problema de auto confiança diminuída pode conduzi-lo a um outro problema de cariz social. Você pode começar a evitar interagir com os outros. Provavelmente devido à sua timidez, ao seu receio de não saber o que dizer ou como comportar-se. Isso vai minando a sua motivação para encontros sociais e eventualmente para possíveis relacionamentos.

O que deve evitar mesmo é tornar-se anti-social. Não estou a querer dizer que você se torna anti-social numa perspetiva hostil, mas sim porque evita a vergonha, o constrangimento e a crítica. Esforce-se por não alienar-se do mundo. As redes socais que proliferam na Internet por vezes podem contribuir para a desconexão com os outros. Gaste menos tempo no facebook, menos tempo a ver televisão ou a navegar na internet, e aposte mais no mundo físico. Não pretendo menosprezar a utilidade da Internet como ótima ferramenta que é. Mas se você está a sofrer com a sua baixa auto confiança, este não é o momento apropriado para investir horas desmedidas atrás de um écran.

Ao invés de meter conversa com alguém no Facebook, obtenha o número do celular dessa pessoa, convide-o a sair e faça algo de divertido juntos. Seja criativo e faça coisas divertidas no mundo real. Torne a sua vida mais interessante e assim aumenta as possibilidades de trabalhar eficazmente na sua auto confiança.

5. DEIXE DE COMPORTAR-SE COMO VÍTIMA

Quer seja culpabilizando-se ou culpando os outros pela sua baixa auto confiança, você está a desempenhar um papel de vítima. Por vezes culpabilizamo-nos para evitar que os outros o façam por nós. Esta é uma atitude negativa face ao problema que o afeta. Se pretende tornar-se numa pessoa mais confiante, assuma de uma vez por todas a dificuldade que tem. Importa para isso perceber as competências que precisa trabalhar no sentido de munir-se de estratégias que possam ajudá-lo a enfrentar as situações temidas. A baixa auto confiança reveste-se de alguns medos disfarçados, apoiados por uma ausência de aprendizagens de vários níveis.

Repare que referi ausência de aprendizagens. E como já verificámos, você pode aprender a ser mais confiante. Mas para aprender a ser confiante, tem de dar um passo importante que é abandonar a mentalidade de vítima.

Para aprofundar o assunto, leia: Abandone a mentalidade de vítima

6. SER POSITIVO

As pessoas que vivem uma vida mais feliz geralmente são mais auto confiantes. Além disso, elas tendem a ter  uma vida social bastante ativa. Quem não quer estar em torno de uma pessoa positiva?

Para você ser mais positivo na sua vida, importa estar motivado para caminhar nesse sentido. Deve começar por monitorizar que tipo de discurso tem consigo mesmo. Depois melhore o seu diálogo interno, diga coisas construtivas, orientadas para a solução e para os resultados que pretende alcançar. Deixe de dizer desculpe, eu não sei, eu não consigo. Deve otimizar o seu diálogo interno e acabar de uma vez por todas com o seu diálogo auto crítico mordaz.

Pouco a pouco vá substituindo alguns dos seus pensamentos negativos por pensamentos positivos. Trabalhando na positividade na sua vida e, com uma atitude positiva em mente, irá com toda a certeza passar a ser uma pessoa mais confiante.

Para aprofundar este assunto, leia:

7. APRENDA PELA OBSERVAÇÃO E IMITAÇÃO

Em psicologia a aprendizagem por observação tem o nome de aprendizagem vicariante. Este tipo de aprendizagem está baseado na observação de um modelo escolhido. Por outras palavras, ao observar alguém que você saiba que tem uma elevada auto confiança, é possível aprender os mesmos padrões de comportamento e tentar reproduzi-los na sua vida. Claro, que com as devidas adaptações e adequações aos seus próprios objetivos.

Aprender pela observação e depois imitar as atitudes, comportamentos, gestos, tom de voz ou formas de vestir do modelo são uma forma rápida e eficaz de aprender aquilo que tanto deseja melhorar. Para facilitar este processo, faça uma lista de cinco pessoas que conhece e tem possibilidade de observar. Em seguida comece a reparar em algumas particularidades, como por exemplo, as palavras que utiliza, o seu ânimo, a forma de caminhar e dirigir-se ás pessoas, como é o seu olhar, o tom de voz, que roupas veste, que assuntos aborda e com que convicção fala acerca deles.

A aprendizagem por observação evita muitos inconvenientes, chatices, dissabores e tem ainda a vantagem de poder escolher o modelo que mais admira, facilitando a implementação das atitudes e comportamentos que admira.

Pode ainda aprender as atitudes e formas de pensamentos das pessoas confiantes, lendo biografias ou assistindo a filmes que abordem a temática.

yes we can

8. SEJA DECIDIDO, NÃO HESITE

As pessoas confiantes, são igualmente decididas. Toda vez que você hesita, você passa a imagem de alguém inseguro e tímido. Mesmo não estando totalmente seguro se vai ser bem sucedido ou não, quando se decidir a fazer algo, faça com toda a sua motivação e ímpeto. Coloque energia, e encare o desafio, tarefa ou situação com uma atitude positiva. Quanto mais você hesitar, mais inseguro você ficará (ou seja, você provavelmente não irá colocar-se num estado favorável). Agir de imediato aumenta a chance de ser bem sucedido.

Citação: Faça com que a  sua mente aja decididamente e assuma as consequências. Nada de bom é feito neste mundo pela hesitação. – Thomas Huxley

Pedir-lhe para agir decididamente quando se tem uma baixa auto confiança, parece paradoxal e impossível. Sim, até pode parecer, mas é isso mesmo, uma percepção limitante das suas capacidades que provavelmente não corresponde  à realidade. Se conseguir colocar-se num estado calmo, com uma atitude positiva, reforçando essa atitude com um discurso assertivo e munido com as estratégias que aprendeu por observação, certamente pode perceber que consegue ser mais decidido. Quando se sentir mais capacitado para enfrentar alguma das situações que o impedem de fazer aquilo que tanto deseja, não hesite, avance com tudo. Experimente o que aprendeu, testando isso na prática. Pode até acontecer não ter o resultado desejado. Volte a tentar, pratique uma e outra vez até conseguir aplicar eficazmente as estratégias aprendidas.

Para aprofundar este assunto, leia: 15 Razões para ser positivo em situações difíceis

9. ESTABELEÇA E PLANIFIQUE DESAFIOS

A vida pode comprovar-se muito aborrecida se seguir a mesma rotina todos os dias. Se durante dez anos fizermos sempre o mesmo tipo de coisas, vivemos apenas um ano de experiências. Se você tem uma baixa auto confiança e nunca fez nada para melhorar isso, não admira que assim continue.  Propor-se a novos desafios, que lhe transmitam um senso de realização, faça algo que depois possa sentir orgulho de si mesmo. Certamente irá melhorar a sua auto estima e auto confiança.

Tornar sua vida mais interessante, definindo desafios para si mesmo é algo muito impulsionador para a melhoria do seu problema. Cada desafio vai fazer de você uma pessoa mais confiante (quanto mais coisas você realizar, mais bem sucedido e confiante se sentirá).

Citação: Não há nada como um desafio para fazer expressar o melhor do Homem. – Sean Connery

Apresento algumas ideias simples para os desafios:

  • Tornar-se fluente num novo idioma em 6 meses (sim, é possível)
  • Viajar para um lugar remoto ou passar algum tempo numa zona mais isolada (lembre-se de se preparar!)
  • Estabelecer metas de exercício físico (aumentar os quilos levantados, percorrer uma maior distância a caminhar ou a correr)

Para aprofundar o assunto, leia: Estabeleça um desafio positivo e otimista na sua vida

10. NÃO DESISTA

Usualmente as pessoas confiantes, não desistem. Quer dizer, pelos menos não têm a possibilidade da desistência na sua mente. Como você pode ser uma pessoa confiante, se você é um desistente nato? Não se iluda, dificuldades em realizar aquilo que se pretende, todas as pessoas enfrentam. O que difere é a atitude que cada pessoa adota perante a dificuldade ou retrocesso.

Citação: A nossa maior glória não consiste em nunca falhar, mas em levantar-se a cada vez que falhamos. – Ralph Waldo Emerson

Você pode fazer quase qualquer coisa se ​conseguir manter-se no caminho do objetivo o tempo suficiente. Se você quer tornar-se confiante, prometa a si mesmo que você não irá desistir até atingir o seu objetivo. Desenvolva uma mentalidade “não desistir facilmente”. Persistir perante a dificuldade é uma característica extremamente importante de todas pessoas auto-confiantes. Assuma a responsabilidade da sua vida nas suas mãos e evite ao máximo, abrir mão de algo que é importante para você!

Para dizer a verdade, provavelmente mesmo a pessoa mais confiante, às vezes ainda se sente insegura em algumas situações. Mas, a pessoa confiante acredita desenvolver a sua confiança naquilo que lhe gera desconforto e incómodo. Ela coloca-se à prova, prepara-se para o desafio, mune-se das “armas” necessárias e vai à luta. E isso é o que conta.

Comece com um único passo e concentre-se todos os dias em ser mais confiante do que era ontem. Roma e Pavia, não se construíram num dia.

Para aprofundar o assunto, leia:Porque razão desistimos dos nossos objetivos

Abraço