A azáfama da vida, as exigências, os desafios a que nos propomos, os medos que enfrentamos, a incerteza do futuro, podem afetar-nos o equilíbrio emocional. Ficamos excessivamente focados no que acontece ao nosso redor e tendemos a perder o contato com o nosso eu interior, pouco a pouco desligamo-nos de nós mesmos. Deixamos de aceder a uma parte da nossa sabedoria. 

Acredito que todos beneficiamos de aprendermos e desenvolvermos a capacidade de olhar para nós mesmos, de saber escutar-nos. Somos corpo, somos mente, somos interação. Importa irmos fertilizando estas três vertentes, e para que isso possa ser realizado é necessário exercitar a auto-observação, contemplação e compaixão. Neste período natalício reserve um tempo para praticar isso. Olhe com compaixão para você, para os outros e para o mundo. 

Olhe para o interior de si mesmo

Eu olho para mim, 

Onde sinto o calor do sol,
Onde posso vislumbrar a beleza cintilante das estrelas,
Onde posso sentir a leveza da minha respiração,
Onde a compaixão cresce,
Onde a minha alegria me acalenta o coração,
Olho para mim e vejo o reflexo de tantas outras pessoas,
Onde se expressam através do meu conhecimento,
Onde se misturam com as minhas ambições,
Onde se manifestam nos meus sentimentos,
Eu olho para a minha força,
Sinto-a a vibrar a cada desafio,
A crescer na profundidade da minha alma,
Eu olho e vejo imensas formas da vida se expressar em mim,
Onde posso reconstruir-me a cada decepção,
Onde posso relembrar-me das minhas conquistas,
Onde posso amar e ser amado,
Olho para mim e percebo tudo aquilo que posso realizar,
Como é bom olhar para mim e sentir o pulsar da vida,
Olhando para mim, sinto-me bem-aventurado,
Olhar e poder ver a beleza de estar vivo e poder crescer dentro de mim,
Olho e vejo-me a transformar-me na vida e a vida a transformar-se em mim,
Eu e a vida somos ambos a mesma coisa,
Como é bom olhar-me, ver-me, ver a vida a fluir e eu a fluir com a vida.

- Miguel Lucas

Avalie as emoções de acordo com as circunstâncias da vida

Quando você está a sentir-se para baixo, perceba a relação que existe com os acontecimentos da sua vida, certamente tem uma razão de ser. O que esse abatimento diz acerca daquilo que você valoriza, das suas expectativas, daquilo a que dá significado, das suas necessidades e frustrações? Aceda a esse conhecimento acerca de si mesmo e da sua situação de vida.

Entenda que você não é o seu abatimento, que ele se faz sentir em forma de emoção, e que você tem de fazer o trabalho de tradução dessa informação. Celebre esse fato. Depois acione a sua capacidade de melhorar o seu humor, lembre-se da sua força, das coisas boas que permanecem na sua vida. Isso não resolve o seu problema, mas coloca-o num estado de espírito capacitador. Envolvido nesse espírito caminhe para onde pretende chegar, alcançar ou conquistar.

Feliz Natal

Quando se sentir demasiado abatido, reserve um tempo para si mesmo

Quando você sente vontade de ficar em casa, de estar sozinho, quando está demasiado abatido, ou desligado, provavelmente o seu estado de ser está pedindo-lhe para descansar. Não ignore esse fato. Respeite a si mesmo, tomando algum tempo para se energizar, refletir e recuperar. Tire um dia de folga seja possível.  Pode estar a acontecer algo muito importante no seu interior que necessita da sua atenção.

Tente olhar para o seu interior, para as suas emoções, desejos, frustrações, decepções, sem julgamento. Observe tudo isso. Em silêncio, nós temos uma oportunidade para refletir, ouvir e ganhar novos insights sobre nós mesmos. Em silêncio, podemos pensar, sentir e mais importante de tudo, respirar. Quando você buscar orientação, compreensão, clareza, ou a paz de espírito, o primeiro passo é dominar a arte do silêncio e repensar o valor da solidão.

Por momentos pare toda a atividade física e sente-se, naturalmente, à vontade, fique em silêncio e deixe o som ao seu redor fluir na sua mente. Não pense em nada, olhe simplesmente para a experiência além do pensamento. Não queira controlar nada, descontraia-se e fique nesse estado. Assista à sua experiência interna. Desenvolver e treinar esta prática, permite-lhe descobrir um espaço de calmaria em você mesmo. Permite-lhe viver o presente e aceder à sua inteligência mais profunda.

Sugestões para trazer mais paz para a sua mente:

  • Escolha com cuidado como usa o seu tempo. Não rumine demasiado nos aspetos negativos. Aproveite uma parte do seu tempo para ficar quieto ou pelo menos fazer algo em que se sinta envolvido e emerso. Um guerreiro, por vezes também tem de baixar a sua espada, também tem de aliviar o peso da sua armadura, também tem de limpar e curar as suas feridas.
  • Regule os seus pensamentos. São os nossos pensamentos que determinam o nosso estado de espírito. Você pode lembrar-se que é capaz de decidir quais os pensamentos a seguir e quais rejeitar. Você não é uma vítima indefesa dos seus pensamentos. Observe-os, sem envolvimento, perceba que são apenas pensamentos que fluem na sua mente. Você é que decide em quais se fixar e quais deixar ir.
  • Simplifique a sua vida. há muitas coisas que pode fazer sem somar responsabilidades desnecessárias à sua vida. Faça as tarefas mais importantes, uma de cada vez, e desfrutar da sua realização. Para experimentar a paz interior, é essencial não congestionar a sua vida com atividades e preocupações desnecessárias.

Contemplar a Natureza

Contemplo,

Fico uno com a natureza,
Aproximo-me da sua grandeza,
Relativizo as questões da vida, por momentos pertenço a algo grandioso,
Inspiro, expiro e vivo um momento encantado,
Deslumbro-me, olho para dentro e sinto a liberdade a apoderar-se de cada célula do meu corpo,
Um corpo que sente a brisa do vento, que desvenda as nuances das cores, o chilrear dos pássaros,
Permaneço imóvel,
A tranquilidade é alimento para o espirito,
Os pensamentos lentificam-se,
Quero ficar ali, simplesmente ficar,
Como é bom vivenciar a grandiosidade da unificação com a natureza,
Sempre ali, pronta a oferecer a melhor das recordações,
Sempre ali ávida para interagir na minha experiência,
Inspiro e expiro,
A cada momento sou abençoado por algo que me é dado sem ter que dar nada em troca,
Mas eu troco, apercebo-me que troco olhares, respirações, sensações que me permitem experienciar algo que não tem preço,
Sinto-me leve, livre, energizado e preenchido,
Ali fico a contemplar.

- Miguel Lucas

Compaixão e empatia com os outros

Durante alguns momentos, olhe para o rosto das outras pessoas, no trânsito, andando pela rua, no shopping, na mesa de jantar. Observe o cansaço, a dificuldade da vida, a desconfiança, a irritabilidade e tensão. Sinta o sofrimento por trás das palavras. Tente sentir no seu corpo o que seria para você ter a vida da outra pessoa .Tenha cuidado para não se sentir esmagado pela experiência. 

Faça o exercício em pequenas doses, até mesmo alguns segundos de cada vez. Se ajudar, traga à mente algumas das verdades felizes da vida, ou a sensação de estar com as pessoas que você ama. Saiba que podem existir milhares de causas em cada pessoa que as conduziu ao momento presente: tanta complexidade, é tão difícil encontrar um único fator.

Em seguida, abra-se novamente para o sofrimento ao seu redor. Para uma criança que se sente incompreendida, um trabalhador que teme uma demissão, um casal desesperado pela raiva. Veja o sofrimento nos olhos dos outros quando estão olhando para você. Veja e ouça as pessoas mais próximas de si e que lhe são queridas. O que está provocando o sofrimento?

Encare isso de frente, mesmo que tenha que admitir que você é uma das suas causas. Se for o caso, faça algumas perguntas, e reflita sobre as respostas. Qual é a sensação de se abrir para o sofrimento? Você poderia achar que ele lhe permite ficar mais perto dos outros, e que isso faz sentir-se mais bondoso.

Você poderá sentir-se mais fundamentado na verdade das coisas, especialmente na forma como o sofrimento realmente influencia a vida das pessoas ao seu redor. Anime-se. A abertura para o sofrimento é uma das coisas mais corajosas que você pode fazer, desde que não se apegue a ele.

Votos de um excelente Natal

Que este natal seja recheado de felicidade, alegria e bondade. Escrevo sempre tendo no pensamento formas de ajudar as pessoas. Se cada um de nós, no nosso dia a dia reservarmos um pouco do nosso tempo em prol da ajuda do próximo, estamos a contribuir para um mundo melhor.

Que o seu Natal seja preenchido de pensamentos elevados e desejos realizados.

Feliz Natal.

Abraço,

Miguel Lucas