Esta foi a frase que James Cameron, utilizou no final da sua TED talk, e eu adorei. É simples, mas poderosa: “O fracasso é uma opção, mas o medo não”. Infelizmente, a grande maioria de nós faz exatamente o oposto: o fracasso ou a falha não são uma opção, mas o medo é. Não toleramos o falhanço/fracasso, mas toleramos o medo. Por vezes somos capazes de desprezar as pessoas que fracassam, mas deixamos que o medo interfira no nosso caminho para alcançar os nossos sonhos e desejos.
Talvez também você com mais facilidade abrace o medo e rejeite o fracasso? Se assim for, tem agora a oportunidade de inverter a situação.

O FRACASSO COMO OPÇÃO

Apresento em seguida algumas considerações porque deve aplicar este principio na sua vida:

  • Dê espaço para que o fracasso possa acontecer. Ninguém gosta ou quer falhar, mas fracassar é algo inevitável no caminho para o sucesso. Só não falha quem não se propõe a desafios. Só não falha quem não tem desejos nem expectativas. Uma das formas mais básicas e naturais de todos nós aprendermos é por tentativa e erro. A capacidade que todos temos de aferir as nossas acções é enorme. Uma vida gasta cometendo erros não só é mais honrada, mas mais útil do que uma vida gasta não fazendo nada. Então, se você nunca falhar, isso provavelmente significa que você não faz nada. O ato de falhar ou não conseguir fazer algo de forma eficaz, diz-nos que nos propusemos a fazer e/ou tentar algo, em vez de apenas ficar sentado na sua zona de conforto.
  • Aprenda com cada falha/insucesso. Partindo do principio que você leva em consideração a possibilidade de poder falhar em algumas acções e/ou decisões na sua vida, você não falha simplesmente. Você permite-se falhar de forma inteligente. Isto significa que cada falha deve ensinar-lhe algo. Nunca falha sem a possibilidade de ganhar alguma coisa com isso. Ao aprender sempre alguma coisa com cada falha que cometeu, vai-se melhorando sempre que se propõe a fazer melhor da próxima vez. A abertura à experiência coloca-nos numa atitude de nos concentrar-mos no resultado. Não existe essa coisa de falhar ou errar, isso é uma ilusão. Aquilo que existe são resultados que decorrem das nossas acções, que por vezes não surtem naquilo que pretendemos. Devemos tentar perceber o que fizemos para não chegarmos ao resultado desejado, e a partir desta observação e avaliação, organizar uma estratégia que nos permite tentar obter o resultado pretendido. Devemos fazer este processo tantas vezes quanto necessário até sermos bem sucedidos.

Dica: A persistência é uma virtude que decorre das falhas e erros que cometemos.

  • Falhe sem exitação. O tempo é precioso, por isso caso falhe, é bom que falhe depressa. Porquê? Porque irá permitir que aprenda mais rápido e que melhore também mais rápido. Irá fazer com que se prepare para o grande momento. A chave importante neste processo, é que encurte o ciclo de feedback. Encontre uma forma de receber rapidamente feedback sobre o seu esforço para que possa fazer os ajustes necessários. Aquilo que deverá fazer é colocar à prova a sua ideia no mundo real o mais cedo possível. Não espere até sentir que tudo está na perfeição. O querer ser antecipadamente perfeito em tudo o que faz, inibe o comportamento de criação, de risco, de tentativa e erro, de impulso e instinto. Para saber informação mais pormenorizada acerca do perfeccionismo leia: Quando ser perfeccionista se torna um problema. Ao invés, teste a sua ideia ou visão assim que tiver boa o suficiente, e lime as arestas a partir daí. Teste, redefina, teste, redefina, o sucesso é construído dessa forma.

O MEDO NÃO É UMA OPÇÃO

Uma grande parte da componente medo, é o medo de falhar, tal como já expliquei. Apresento mais duas formas para aplicar este principio:

  • Assuma riscos. Muitas pessoas exitam em aplicar-se em algo do qual não estão familiarizadas, porque têm medo do desconhecido. Mas o medo não é uma opção, esta é a razão pela qual todos nós por vezes deveremos correr alguns riscos. Explore novas ideias, experimente coisas novas. Se você for bem sucedido, a recompensa será enorme. Mesmo que não consiga, você ficará com mais experiência que anteriormente e eventualmente mais preparado para o próximo desafio. Arrisque, falhe, mas não se movimente pelo medo. O medo é incapacitante, retira-nos esperança, tolda-nos a criatividade, paralisa-nos a curiosidade.
  • Faça coisas desconfortáveis. Fazer algumas coisas que não são favoráveis, dá-lhe mais oportunidades de crescimento. Quando você permitir a si mesmo sair da sua zona de conforto, você vai crescer muito. Isso não é fácil de aplicar (para mim, pelo menos), mas é algo que devemos nos esforçar para fazer de vez em quando.

Abrace a falha/fracasso e abandone o medo.

Abraço