Se você está procurando uma maneira de lidar com o transtorno de ansiedade, provavelmente está também preocupado com os ataques de pânico. Você pode já ter experimentado este fenómeno extremamente desagradável ou pode apenas ter ouvido falar sobre isso, e pretende informar-se sobre o assunto. Para começar, devemos esclarecer exatamente o que é um ataque de pânico. De acordo com o Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais, a definição oficial é:

Um período discreto de intenso medo ou desconforto, em que alguns sintomas desenvolvem-se bastante abruptamente, atingindo um pico dentro de 10 minutos.

Para que um diagnóstico de ataque de pânico seja aplicável, você deve experimentar pelo menos quatro dos seguintes sintomas dentro do breve período de tempo em que o pânico surge:

  • Palpitações, batidas forte do coração, ou ritmo cardíaco acelerado
  • Transpiração excessiva e repentina
  • Tremor súbito ou agitação
  • Falta de ar ou sensação de sufocamento
  • Sensação de asfixia
  • Dores no peito ou desconfortos
  • Náusea ou desconforto abdominal
  • Tonturas, desequilíbrio, ou desmaios
  • Sentimentos repentinos de desrealização da despersonalização
  • Medo intenso de perder o controle ou enlouquecer
  • Medo avassalador de morrer
  • Sensações de dormência ou formigamento
  • Calafrios ou ondas de calor.

Soa-lhe familiar? Se assim for, há uma boa chance do seu transtorno de ansiedade ter sido alvo destes ataques de pânico. Pode ser que você tenha um transtorno de pânico. Para diagnosticar-se um Transtorno de Pânico, as quatro situações seguinte devem ser observadas:

  • Você já deve ter experimentado recentemente ataques de pânico recorrentes e inesperados
  • Você desenvolveu intensas preocupações sobre ter mais ataques de pânico
  • Você realmente mudou significativamente o seu comportamento, temendo novos ataques
  • O Pânico não foi causado pelo abuso de drogas ou de outra condição médica

ATAQUES DE ANSIEDADE NÃO EXISTEM

Se você passou algum tempo a navegar na Internet à procura de informações sobre ataques de pânico, provavelmente já encontrou artigos sobre “ataques de ansiedade”. Embora esta expressão seja muitas vezes usada como sinónimo de ataques de pânico, não faz muito sentido. A ansiedade não ataca: ela pode persistir, angustiar, ofuscar, confundir, oprimir, afligir. Mas isso não surge de repente num período de 10 minutos. Os ataques de pânico sim.

Além disso, os ataques de pânico podem ocorrer em qualquer um dos tipos conhecidos de transtorno de ansiedade, mas não é um transtorno, por si só. De fato, há duas variantes documentados de Transtorno de Pânico (com e sem agorafobia), mas você não pode ter  Transtorno do Pânico e Transtorno de Ansiedade Gerenralizada, por exemplo: você ou tem um ou o outro, e dependendo do diagnóstico, o tratamento será diferente.

Para mais informações sobre os diferentes tipos de transtorno de ansiedade e seus respectivos sintomas de ansiedade, leia o artigo: Sofre de ansiedade? Perceba porquê

OS TRÊS SUBTIPOS DE ATAQUES DE PÂNICO

Nem todos os ataques de pânico são iguais, e compreender os seus subtipos é a chave para lidar com eles de forma eficaz e a longo prazo. Existem três subtipos de ataques de pânico, definidos pela relação entre o aparecimento do ataque e o que o desencadeou.

  • Ataques de pânico inesperados. Também conhecidos como “sem gatilhos”. Neste subtipo, o pânico parece vir do nada, sem motivo aparente ou de causalidade.
  • Ataques de Pânico ligados à situação. Também conhecido como “com gatilhos”. O pânico é desencadeado pela exposição ou antecipação de algo assustador, por exemplo, se você tem medo extremo de alturas e por alguma razão é forçado a estar perto de um ponto de observação muito alto, pode desencadear um ataque de pânico.
  • Ataques de Pânico predispostos pela situação. Este é semelhante ao subtipo anterior, sendo que nem sempre o gatilho faz disparar o pânico, por exemplo, você pode sentir medo intenso de andar de carro, mas isso nem sempre causa um ataque de pânico, só às vezes.

ACREDITE OU NÃO, OS ATAQUES DE PÂNICO ASSUSTAM MAS NÃO MATAM

Se você sentir que o pânico está tomando conta da sua vida, provavelmente está ficando mais agitado e com medo a cada dia que passa. Por favor, isso pode ser evitado e superado. Embora enfrentar os ataques de pânico seja, inegavelmente, um comportamento opressivo e aterrorizante, é apenas um momento no tempo e não tão grave quanto você imagina. Na verdade, há uma citação popular que descreve na perfeição a verdade por trás dos ataques de pânico:

“Não há nada a temer, a não ser o próprio medo”.

Pode parecer uma afirmação absurda, especialmente se você tiver tido um ataque de pânico, mas a verdade da questão é que a maioria das pessoas superam este problema, aprendendo a fazer “absolutamente nada“, na eminência de Pânico. Atenção, este “não fazer nada” requer uma sólida aprendizagem, preferencialmente ensinada por um terapeuta.

Você simplesmente não pode morrer de um ataque de pânico, não importa o quão intenso ele seja. No pior cenário (que é realmente muito raro) você fica significativamente mais fraco, no entanto, no melhor cenário, e desde que você consiga esperar que passe, os sintomas do pânico diminuirão drasticamente no espaço de alguns minutos, acabando simplesmente por desaparecer. Leia o artigo, como lidar com um ataque de pânico para aprender mais detalhadamente como isso funciona.

NÃO SOFRA DESNECESSARIAMENTE COM OS SEUS ATAQUES DE PÂNICO

Provavelmente você tem tentado a todo o custo resistir a esses sentimentos negativos e a essas sensações desagradáveis, à medida que se têm vindo a intensificar, ao pondo de julgar não aguentar mais, e um dia desvanecer? Se já teve ataques de pânico, essa abordagem deve soar como algo que você não pode continuar a fazer. Mas não posso deixar de informá-lo de forma esperançosa. Lidar com os ataques de pânico não é algo que você tenha de suportar e superar sozinho.

Houve um progresso notável no tratamento psicoterapêutico dos ataques de pânico e transtorno do pânico, especialmente nos tratamentos com a Terapia Cognitivo-Comportamental. Um terapeuta (psicólogo ou psiquiatra) será capaz de ajudá-lo a superar esse problema com relativa facilidade, é só você procurar ajuda.

Pode ser-lhe difícil acreditar que o tratamento de algo tão ameaçador como os ataques de pânico pode possível de acontecer. Pode aprofundar esta eficácia, lendo o estudo de 2008 analisado por Shandley e outros, sobre o tratamento do Transtorno do Pânico. Os investigadores demonstraram que é possível tratar com sucesso os ataques de pânico sem necessidade de prescrever medicamentos.

Pode consultar o estudo em: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2483919/

Mais impressionante ainda, neste estudo, os investigadores analisaram baseado na Internet, o tratamento Terapeutico assistido para o Transtorno do Pânico. As conclusões foram muito claras:

“As intervenções com base nas tecnologia disponibilizadas na Internet, representam um recurso potencialmente valioso para reduzir o fardo dos cuidados e os custos de gerenciamento dos distúrbios de saúde mental dentro de cuidados de saúde primários e, ao mesmo tempo, melhorar os resultados dos pacientes (…) Este estudo fornece evidências de que as intervenções baseadas nas tecnologias disponibilizadas na Internet (por email ou videconferência) são um complemento eficaz para os sistemas existentes de saúde mental.”

Cure os seus ataques de pânico sem medicamentos

Se os ataques de pânico têm retirado qualidade à sua vida e apesar de todos os esforços que tem vindo a realizar, não tem conseguido obter resultados positivos, pondere adquirir o meu livro que tem ajudado centenas de pessoas a deixar de sofrer e a recuperarem a sua qualidade de vida: Ataques de Pânico – Saiba como superar os seus medos.

Clique na imagem em baixo para adquirir o Livro:

livro ataques de panico

Abraço,

Miguel Lucas