A mudança é essencial para o seu crescimento e desenvolvimento pessoal. Se não mudamos, corremos o risco de fazer as coisas do jeito que sempre fizemos. Num cenário de sucesso, à primeira vista até poderíamos considerar que a permanência seria proveitosa. De jeito nenhum, não num mundo em constante mudança. A mudança é um processo inerente a nós mesmos e à própria vida. Ainda assim, para quem sente que a sua vida caminha a seu belo prazer, contentes e felizes, ótimo, desejo que assim continuem. Mas para muitas pessoas, o caminho atual está a ser percorrido com ausência de significado e satisfação, sentido que as suas vidas estão paralisadas. Certamente querem mudar, mas parece que não conseguem descobrir como mudar.

A realidade é que a mudança é difícil. Quão difícil? Bem, dada a proliferação da indústria de auto-ajuda e pelo fato de milhões de pessoas continuarem a ter extrema dificuldade em mudar, muito difícil. Vejamos a dificuldade em implementar hábitos de vida saudável, perder peso, deixar de fumar, eliminar o vício das drogas e álcool, melhorar a autoestima, aliviar a ansiedade, ter melhores relacionamentos, melhorar a autodisciplina, superar a timidez, sair da sua zona de conforto e propor-se a novos desafios, entre outros.

Mas difícil não é impossível. Quanto temos percepção de que para mudarmos, temos de ser resilientes, que temos de aumentar os nossos níveis de motivação e energia, que nos esperam dias exigentes e que acima de tudo temos de fazer uso das nossas forças e virtudes, certamente aumentaremos drasticamente as probabilidades de virmos a ser bem sucedidos.

A ILUSÃO DA MUDANÇA FÁCIL E RÁPIDA

O problema do insucesso elevado face à mudança começa em nós, porque queremos mudar sem esforço, depois é alimentado pela industria de auto-ajuda que tem distorcido a nossa percepção de mudança, levando muitos a acreditar que a mudança deve ser fácil e deve acontecer de forma rápida e com pouco esforço, para acabar em nós numa posição de vítimas, fundamentando o fracasso em desculpas insalubres e sem sentido. Tudo o que prometa mudanças rápidas e sem esforço, vende. Todos os tipos de produtos tipo “banha da cobra“, como  livros ou DVDs, assistir a palestras ou workshops prometem  ajudá-lo a mudar rapidamente e facilmente quando nada funcionou antes. Quando se trata de mudança, os slogans são mais que muitos, utilizando palavras como: “milagre“, “magia“, “fácil“, ou “rápido“. Pense duas vezes (talvez seja melhor pensar dez vezes) antes de adquirir tal produto.  Não pretendo lançar nenhuma campanha contra produtos do género, certamente existem no mercado muitos produtos “sérios” e eficazes, mas certamente serão descritos também com seriedade.

O que pretendo neste artigo é transmitir uma compreensão acerca do que é realmente necessário para produzir mudanças significativas e duradouras na sua vida. Mais especificamente, que obstáculos podem impedi-lo de atingir os resultados desejados quando você se propões a mudar algo para melhor. De acordo com o que anteriormente defendi, não lhe digo que mudar é fácil, mas sim que é possível quando encarado de forma realista, com método e estratégias que indicam como ultrapassar os obstáculos que se deparam no caminho. A realidade é que a mudança profunda pode ser lenta, frustrante e dolorosa, com alguns recuos, contratempos e decepções. Se você quer uma visão mais positiva de si mesmo, ser um melhor parceiro, lutar por objetivos profissionais, ou lidar com o stress de forma mais eficaz, a mudança pode ser realmente difícil, mas ainda assim a recompensa será muito gratificante para si.

OBSTÁCULOS À MUDANÇA

Um aspecto real da vida é que muitas vezes criamos obstáculos, quase sempre inconscientemente, que podem servir algum tipo de objetivo imediato, mas acabam por fazer sabotagem a longo prazo. Estas barreiras são muitas vezes conduzidas por algumas de nossas necessidades mais básicas, por exemplo, para sentir-se competente, para ser aceite, por proteção, ou sentir-se no controle. Lamentavelmente, esses obstáculos tornam-se verdadeiros muros intransponíveis acabando por impedir-nos de mudar (ou até mesmo tentar mudar) deixando de ser benéfico e passando a ser um incómodo. Para aprofundar este assunto leia os artigos: Quebre as barreiras para o sucesso e 10 obstáculos ao desenvolvimento pessoal.

Em seguida apresento 4 dos obstáculos à mudança de vida positiva. Aprenda a compreendê-los e como superá-los:

obstáculos à mudança de vida

1. BAGAGEM EMOCIONAL

Todos nós transportamos connosco as aprendizagens anteriores, é com base nelas que construímos as nossas crenças, hábitos de vida e acima de tudo formas de pensamento. Se estas formas de pensamento forem negativas, podem impedir que possamos ter êxito nas mudanças a que nos propomos. Alguns dos acontecimentos do passado podem deixar marcas profundas, remetem-nos para padrões de pensamento cristalizados levando-nos a fazer as coisas sempre da mesma forma, devido ao impacto emocional vivido no momento do acontecimento. Talvez na sua infância tenha sofrido humilhações, tenha ficado decepcionando com algo, tenha sido rejeitado, sofrido bullying, tenha desenvolvido alguns medos, ou tenha construído uma imagem distorcida de si mesmo. Sejam quais forem as razões que o paralisam, ou façam com que de forma recorrente vá sabotando os seus próprios objetivos, a carga emocional que transporta efetiva-se como um obstáculo a que seja bem sucedido nas mudanças que vai querendo implementar na sua vida. Falei deste assunto de forma mais aprofundada no artigo: Como libertar-se das angústias do passado.

Os tipos mais frequentes de bagagem emocional que prejudicam a sua mudança positiva de vida incluem, baixa autoestima, perfeccionismo, medo, como por exemplo fobia social ou ansiedade social, necessidade de controle ou autoregulação, raiva e necessidade de agradar. Esta bagagem emocional faz com que você pense, sinta e comporte-se com base em quem você era no passado (criança, adolescente ou mesmo passado recente) e não a pessoa muito diferente que você é atualmente ou pretende tornar-se. A maior parte desta bagagem faz com que você reaja ao mundo de uma maneira improdutiva, que pode vir a sabotar os seus esforços para alcançar a mudança de vida positiva.

Pondere que tipo de pessoa você quer ser? Se não está contente consigo mesmo ou com alguns dos seus acontecimentos de vida e pretende mudar, mude a sua história, se está insatisfeito faça algo de diferente. A mudança é possível, mas para que possa certificar-se que não é atrapalhado por padrões de pensamento negativista ou que lhe retiram equilíbrio emocional é necessário saber lidar com a carga emocional que carrega consigo. Se for o caso, trabalhe no assunto e livre-se das angústias paralisantes da sua história. Siga em frente: foque-se no objetivo, o caminho faz-se caminhando.

2. HÁBITOS

Quando você tem pensamentos, emoções e comportamentos que são accionados pela sua bagagem emocional com bastante frequência, tudo isso vai tornando-se em  hábitos profundamente enraizados que ditam como você age  e reage. Esses hábitos funcionam da mesma forma que uma aprendizagem técnica no esporte. Se o atleta executar no seu treinamento os exercícios de forma correta, ele está a introduzir dados “corretos” que irão ficar impressos na memória muscular, sendo usando em competição para ter um excelente desempenho. Ao invés, se o atleta executar de forma incorreta irá treinar o “erro” prejudicando  a performance em competição. O mesmo parece acontecer com os nossos hábitos instituídos. Se temos hábitos que nos servem, saudáveis, adaptativos e de acordo com os nossos objetivos e valores, certamente a vida corre sem grandes problemas ou entraves, sentimo-nos satisfeitos, realizados e no controle da situação. Mas, e quando alguns hábitos são prejudiciais conduzindo-nos a comportamentos indesejados e que nos causam graves problemas pessoais e por vezes também problemas psicológicos? Arrisco a dizer que temos de mudá-los, que temos de implementar outros que estejam de acordo com os nossos valores e nos sirvam a longo prazo.

A nosso favor ou contra nós os nossos hábitos na grande maioria das vezes manifestam-se com vontade própria, induzindo comportamentos automáticos. Então, e se fosse possível mudá-los a nosso favor constituindo uma vantagem para a nossa vida? Mas é possível, desde que você queira e se comprometa com um conjunto de ações que permitam instituir os hábitos que pretende. Aprofundei este assunto nos artigos: Reestruturação do pensamento, faça perguntas capacitadoras e Reinicie a sua vida, deixe de fazer autosabotagem.

3. EMOÇÕES

As emoções negativas, como medo, raiva, tristeza, frustração e desesperança, podem atuar como um poderoso dissuasor para mudar a vida. Por exemplo, muitas pessoas não conseguem mudar alguns dos seus comportamentos ou tomar determinadas decisões na sua vida por causa do medo do fracasso.

Algumas pessoas podem pensar: “Se eu não posso mudar, então eu vou provar a mim mesmo que não consigo, que sou um verdadeiro fracassado.”

Posteriormente vão dizendo: “Eu tenho sido assim por muito tempo e eu tenho sobrevivido, por isso não vale a pena o risco.”

Estas emoções negativas tornam-se obstáculos muitos fortes à mudança por acionarem gatilhos (estímulos desencadeantes) sempre que você se sentir incompetente, desconfortável, rejeitado ou incompreendido. Sendo que na grande maioria das vezes as pessoas nestas circunstâncias permanecem extamente no estado ou situação de vida em que se encontram, encontrando alívio no recuo à mudança.

Quando não entendemos as nossas emoções, ficamos a mercê das mensagens enganosas do cérebro (distorções do pensamento), porque acionam comportamentos que têm por objetivo manter a segurança, conforto, responder ao que é considerado urgente ou a evitar dor física e emocional. Ao não conseguirmos perceber as nossas reações e comportamentos automáticos corremos o risco de cair em comportamentos indesejados, como por exemplo: dependências (álcool, drogas, tabaco e jogo), evitamento social (fobia social), alimentação em excesso, agressividade, autosabotagem, problemas de ansiedade (transtorno obsessivo-compulsivo, ataques de pânico) entre outros.

Para aprofundar o assunto acerca do porquê das emoções poderem transformar-se num enorme obstáculos às mudanças que por vezes tanto ansiamos, apresento uma lista de artigos que explicam detalhadamente as respetivas razões e o que pode ser feito para ultrapassar o problema:

4. AMBIENTE

Se você, na melhor das boas intenções se acostumou a transportar a sua bagagem emocional negativista e sedimentou os hábitos prejudiciais suportados pelas suas emoções negativas, provavelmente o ambiente em que vive não será propício para uma mudança de vida positiva. Dia após dia você vai reforçando a sua dupla fusão (apego às situações prejudiciais e apego às emoções negativas) fazendo com que se confunda com as suas dificuldades, incapacidades e problemas pessoais. Corre assim o risco de personalizar alguns dos seus comportamentos menos saudáveis, e alguns dos seus sentimentos negativos como sendo você próprio. Como os seus comportamentos se expressam no ambiente envolvente, é possível que tenha criado rotinas que estão a reforçar hábitos que tem, exatamente por responder de forma negativa à sua incapacidade de mudar para outros mais positivos e saudáveis.

Não estou a querer dizer que tem de mudar de casa, de emprego ou de amigos, nada disso. O que pretendo transmitir é que dentro do ambiente em que se movimenta, deverá aprimorar o seu estilo de vida, atitudes, comportamentos e atividades que tem, no sentido de preparar o terreno de forma a que com mais facilidade possa passar a expressar a mudança positiva que pretende implementar.

Para aprofundar o assunto acerca da forma como pode melhorar o seu ambiente e propor-se a novos desafios que lhe permitam implementar a mudança desejada, leia os artigos:

A MUDANÇA É POSSÍVEL

Em todos os quatro casos, quando você permite que estes obstáculos controlem de forma negativa o seu dia-a-dia, eles têm o efeito de sabotar os seus esforços para mudar a sua vida de forma positiva. Ainda pior, você sente-se preso, frustrado e impotente para mudar a sua sorte na vida. Acredito que se conseguir desprender-se de alguns acontecimentos de vida mais traumáticos, e fizer as pazes com o seu passado de forma a que se liberte desse desconforto e da bagagem emocional negativa associada, fique numa posição vantajosa para mudar alguns dos seus hábitos prejudiciais, entender o poder das suas emoções e preparar o ambiente que o rodeia para uma mudança de vida positiva. Acredite você também!

Abraço