Boas perguntas podem mudar a sua vida para melhor, más respostas podem arruiná-la. Muitos de nós dedicamos muito do nosso tempo tentando responder a várias questões, quando finalmente encontramos a resposta, rapidamente a esquecemos.  Toda a interação que fazemos está dependente da forma como comunicamos, seja connosco mesmos ou com os outros. Não podemos não comunicar, e isto é uma evidência. Perante esta constatação, o diálogo interno que temos influencia a nossa vida. Se aquilo que dizemos é extremamente importante, as perguntas que fazemos a nós mesmos são cruciais na orientação da nossa vida. Uma das maneiras de evitar mal-entendidos é fazer perguntas mais eficazes e esclarecedoras. Consequentemente, as respostas que você tem obtido dependem das perguntas que você faz.

vida

ESTOU REALMENTE FELIZ NO TRABALHO QUE ESTOU FAZENDO?

Gastamos quase um quarto da nossa vida a trabalhar. Se não formos felizes no nosso trabalho, isso significa que estamos insatisfeitos por quase um quarto das nossas vidas. A maioria de nós tem que trabalhar e muitas pessoas não estão fazendo aquilo que gostam, no entanto é por vezes difícil ter um trabalho que nos realize e coloque dinheiro na mesa. Há sempre algo que podemos fazer sobre o nosso trabalho, você nunca é velho demais para mudar de carreira, talvez seja necessário treinamento para uma mudança de carreira, mas sacrificar-se e dedicar-se 3 a 4 anos da sua vida estudando em prol de uma nova carreira, é melhor do que passar 20 anos sentido-se miserável no seu trabalho.

Ainda que mudar de trabalho possa contribuir para a sua felicidade, nem sempre é possível. Desta forma, importa reformular a pergunta:

O que é que posso fazer para tornar o meu trabalho mais satisfatório e sentir-me mais feliz?

Numa perspetiva positiva, existe sempre a possibilidade de fazermos algo a  nosso favor, de minimizar alguns problemas e ultrapassar obstáculos. É importante igualmente focarmos a atenção nos benefícios que temos e retiramos do trabalho que fazemos, do retorno que nos dá, daquilo que nos permite realizar através do ordenado. Uma atitude positiva, permite encarar algumas dificuldades com esperança, com otimismo e cursos de ação que possam minimizar a angústia de não estar no trabalho ideal. Foque-se naquilo que ainda tem de bom, esforce-se para olhar para as pequenas coisas que lhe possam trazer satisfação.

ESTOU REALMENTE FELIZ NO MEU RELACIONAMENTO?

Se sim, ótimo. Se você é infeliz e já tentou fazer as coisas funcionarem e não encontra uma solução para o entendimento. É importante que avance com uma outra questão complementar:

Eu quero continuar infeliz neste relacionamento?

Se sim, pois pouco há que possa fazer. O problema não está resolvido, mas a decisão está tomada. Se não, pense numa estratégia para terminar o seu relacionamento e seguir em frente. Não estou a querer simplificar o que por vezes parece ser um trabalho de hércules. O que lhe quero transmitir é que por ser difícil não quer dizer que seja impossível. É importante no entanto, perceber se está preparado para enfrentar as consequências e ir ao encontro daquilo que deseja.

COMO POSSO TER UM MELHOR RELACIONAMENTO COM O(S) MEU (S) FILHO(S)?

Outra questão extremamente importante para perguntar a si mesmo. Se você não tem filhos, como é evidente esta questão não se aplica a si. As nossas relações com os nossos filhos são muito importantes, como deve concordar.  As crianças aprendem e copiam grande parte dos nossos comportamentos, pensamentos e formas de raciocinar. Servimo-lhes como modelos, como primeira linha de orientação, suporte e compreensão. Eles estruturam-se através daquilo que fazemos, daquilo que lhes dizemos.

Investir na compreensão e funcionamento da criança ou jovem, é um passo importante para a contribuição de um melhor relacionamento. Se recorrentemente incorre nas mesmas discussões e problemas com o seu filho, sem ver uma luz ao fundo do túnel, importa fazer uma pergunta mais capacitadora:

O que posso fazer para melhor compreender e comunicar com o meu filho?

Flexibilize o seu pensamento, não queira ser adversário do seu filho. Não se trata de uma batalha ou medição de forças. O que importa é tentar perceber as prioridades e opiniões do seu filho. O caminho a tomar para uma melhor comunicação e consequente relacionamento é o de perceber que deve discutir ideias e não vontades, que deve esclarecer caminhos e não decisões. Que é mais útil e saudável ponderar questionar comportamentos e não necessariamente a sua forma de ser.

O QUE ME FAZ FELIZ?

A resposta a esta pergunta pode realmente mudar a sua vida. Muitos de nós  por vezes não paramos para nos questionarmos acerca do nosso propósito de vida. É importante percebermos o que mexe connosco, a que tipo de coisas damos significado? O que é que nos retém a nossa atenção, nos motiva e impulsiona? Que acontecimentos, situações, pessoas ou projetos nos dão um incremento de energia?

Se perante a resposta a algumas destas questões ou a outras idênticas permanece confuso, e não consegue clarificar ou encontrar as coisas que o fazem feliz, importa reformular a pergunta.

O que é que eu me proponho a fazer para contribuir para a minha felicidade?

Quando os acontecimentos externos por si não nos conduzem ao sentimento de felicidade, podemos ter tendência para nos vitimizarmos, para reclamarmos que a vida não nos corre bem e que tudo e todos estão contra nós. Mas, provavelmente estaremos a fazer uma falsa avaliação. É preciso mudar a perspetiva, arregaçarmos as mangas e colocarmos a responsabilidade da felicidade nas nossas mãos. Tente perceber qual a mais pequena coisa que consegue fazer para contribuir para a sua felicidade e execute-a. Pouco a pouco, vá aumentando a quantidade de pequenas coisas que faz. Estabeleça objetivos facilmente alcançáveis. Não queira de um dia para o outro alcançar esse sentimento que depende de tantos outros sentimentos e de um conjunto de ações, decisões, conquistas e até mesmo de fracassos. A felicidade depende em larga escala daquilo que faz, e do prazer e satisfação que isso lhe dá. Caminhe e faça coisas para alcançar a felicidade.

COMO POSSO GANHAR MAIS DINHEIRO?

Há literalmente milhões de maneiras de ganhar dinheiro hoje em dia. Se você puder fazer um extra de 1€ por dia e guardá-lo por 30 anos, você terá mais de 24.000€, se o depositar numa conta bancária rendendo 5%, daqui a 30 anos  terá 67,000€.

Poupar 1€ por dia parece-lhe pouco não é? Até posso concordar com isso, dado que quando tentamos ganhar mais dinheiro pensamos em grandes números. Tentamos num curto espaço de tempo juntar uma enorme quantia e eventualmente pagar a hipoteca da casa, o que seria ótimo. Mas isto tem o reverso da medalha, para as nossas mentes os números que pensamos são muito grandes, leva-nos a perspetivar a tarefa como tremendamente difícil, o que nos retira esperança e consequentemente iniciativa. Por outro lado, pensar a longo prazo e num valor tão reduzido, retira igualmente o foco da nossa mente, já que não é prioritário, os esforços e a disciplina são relegados para segundo plano. E poupar passa a ser uma miragem.

Como podemos ver pelo exemplo dado, poupar pode ser uma tarefa de hércules. O dinheiro é uma fonte de stress para muitos de nós. Esforce-se por perceber de que forma pode ganhar um dinheiro extra para conseguir viver confortavelmente e incrementar a sua  felicidade. Importa então, operacionalizar melhor a pergunta:

O que me proponho a fazer para ganhar mais “x” (euros/reais) extra?

Se poupar é uma tarefa complicada e com pouca probabilidade de se efetuar (se este for o seu caso), assim você tem mesmo que fazer algo para incrementar algum dinheiro ao seu plafon. Pense e aja. Pense e coloque a estratégia em ação.

O QUE ME PROPONHO A FAZER PARA FAZER A DIFERENÇA PARA ALGUÉM?

Não pretendo transmitir-lhe a mensagem de que deve passar a agir de forma altruísta. Mas que por vezes ajudar alguém pode fazer a diferença para essa pessoa.  Ajudar outras pessoas a atingir os seus objetivos ou simplesmente ajudar alguém com as compras pode fazer a diferença. Perceba que ajudar os outros vale a pena, que os outros tal como você mesmo por vezes precisam de ajuda, precisam de um ombro amigo, precisam de um empurrão. Se acreditar que ajudar os outros é uma mais valia, é porque provavelmente também acredita que os outros o podem ajudar a si. E isto é esperançador. É útil em momentos de dificuldade, de retrocesso.

Dica: Com este espírito elevado, com fé em si e nos outros, o mundo parece-nos um lugar bom para vivermos.

O QUE POSSO FAZER PARA TORNAR-ME MAIS SAUDÁVEL?

A maioria de nós sabe a resposta a esta pergunta, só que raramente fazemos esta pergunta por medo de que a resposta envolva ação e esforço e que precise ser efetivada. Trinta minutos de exercício físico por dia pode mudar a sua vida se você estiver disposto a isso. Você não precisa necessariamente de ir para a academia fazer exercícios. Com alguma dedicação e procura de informação, certamente será capaz de desenhar um plano que possa ser efetuado por você pelo menos três vezes por semana.

Você não precisa de mim para lhe dar conselhos sobre a sua saúde, você sabe o que tem que fazer. Seja corajoso o suficiente para fazer a pergunta?

Para aprofundar este assunto, pondere ler os artigos:

QUAL A PIOR COISA QUE ME PODIA ACONTECER AGORA?

Uma pergunta esclarecedora, que pode ajudá-lo em tempos de stress. Estive em muitas situações aparentemente stressantes e fiz a mim mesmo esta pergunta. Quando estou stressado, tento relativizar a situação e encaminho os meus pensamentos para uma situação imaginada de perda ou dificuldade. “Qual a pior coisa que pode acontecer?” E, geralmente, a resposta minimiza automaticamente a percepção do problema. ” Não é grande coisa”. Na grande maioria das vezes o stress é causado pela pressão indevida que colocamos em nós mesmos. Eu disse na grande maioria da vezes, como é óbvio em determinadas situações a perda faz-se sentir.

Dica: O stress situacional pode ser aliviado fazendo a nós mesmos esta pergunta, porque a resposta geralmente não é tão ruim quanto você possa imaginar.

PARA ONDE QUERO QUE A MINHA VIDA CAMINHE AGORA E NO FUTURO?

De vez em quando, você deve sentar-se tranquilamente e examinar a sua vida e a direção que ela está tomando. Você deve sempre tentar perspetivar uma vida melhor no seu futuro. Se assim não for, algo precisa mudar.

As grandes áreas da vida são comuns a todos nós, dinheiro, trabalho, amor, família, relacionamentos, amigos e outras. Num determinado ponto da sua vida, uma ou mais dessas áreas devem ser alvo do seu foco em termos de melhoria. Se sua vida  parece não estar ficando melhor em relação aos seus objetivos, você precisa descobrir o que está acontecendo e tomar medidas para melhorá-la. Para que isso se efetive  pode ser necessário fazer algum exame de consciência, meditação e reflexão, mas vale a pena. Pondere sobre isso!

EXISTE ALGO QUE SEMPRE QUIS FAZER, MAS AINDA NÃO FIZ?

A sua resposta a esta pergunta provavelmente irá girar em torno de uma experiência que você deseja vir a realizar, como viajar pelo mundo ou poderia envolver um hábito que você quer quebrar, como algum comportamento indesejado como ter medo de falar em público, ou fazer aquele curso que sempre sonhou, ou trabalhar como freelancer. Certifique-se de que a sua resposta é realista.

Seja o que for, que você queira vir a fazer é importante começar a trabalhar nisso o quanto antes. Se você não está fazendo o que quer fazer, certamente está perdendo algo que percepciona como muito importante para a sua felicidade. Seja o que for, faça algo. É a sua vida. Faça o que você quer agora, ou pelo menos comece a fazer algo que o coloque mais próximo do seu objetivo, ou então, o que você tanto quer pode nunca realizar-se por desmobilização sua.

mudar de vida

O QUE ESTOU FAZENDO PARA ESTAR ABERTO A NOVAS OPORTUNIDADES?

Às vezes as melhores maneiras de melhorar a nossa vida é abrirmos a nossa mente para as oportunidades que se cruzam no nosso caminho. Woody Allen disse uma vez, “80% do sucesso está aparecendo.” E às vezes isso é tudo o que precisamos.

Abrir-se para novas oportunidades implica assumir e correr alguns riscos. Você não pode apenas sentar-se no sofá assistindo TV toda a sua vida ou protelar para sempre um desejo antigo de fazer algo. Aprender a reconhecer quando a vida nos apresenta uma nova oportunidade é enriquecedor e transformador. Isso não significa que você deve apenas esperar que as coisas aconteçam. Na maioria das vezes você tem que fazer as coisas acontecerem, mas igualmente estar atento às oportunidades, certamente elas irão surgir. Se você implementar uma mentalidade de abertura perante as oportunidades, provavelmente a sua vida pode tornar-se mais rica e mais fácil.

Um velho provérbio diz que você faz a sua própria sorte. O que é verdade até certo ponto. Aqueles que capitalizarem as novas oportunidades, provavelmente irão sentir isso como sorte.

Para aprofundar este assunto, pondere ler o artigo: 7 formas deconseguir ou constuir boa sorte

ESTOU CONFORTÁVEL COMIGO MESMO?

Esta pergunta refere-se tanto ao seu conforto físico como psicológico. Estar confortável consigo mesmo é importante em muitos aspetos. Estar confortável consigo mesmo pode inspirar confiança, promover-lhe a auto-estima e aumentar-lhe a resiliência contra problemas psicológicos e ainda facilitar a resolução dos seus problemas pessoais. Sem equilíbrio emocional, todas as outras perguntas anteriores terão a sua resposta dificultada. Quando nos sentimos bem na nossa pele, sem dúvida que conseguimos colocar-nos num estado facilitador, num estado energético que permite com mais motivação enfrentar dificuldades e desafios. Conseguimos olhar o mundo por uma perspetiva otimista.

Nem sempre isto é possível, inevitavelmente por vezes somos afetados na nossa saúde. Mas, ainda assim, podemos sempre fazer algo para melhorar o nosso conforto. É possível fazermos algo para melhorar o conforto connosco mesmos. Neste aspeto a aceitação joga um papel importante. Algumas coisas temos de saber aceitar, para que não fiquemos paralisados nelas. Depois, seguir em frente e voltar a capacitar-nos e dentro do possível e real, propor-nos a fazer algo que possa melhorar o conforto do nosso caminho, na nossa vida.

O QUE ME IMPEDE DE FAZER O QUERO PARA MIM?

Esta é a pergunta subjacente a todas as outras perguntas. Mesmo que você saiba o que quer para a sua vida e as áreas que você não gosta e quer mudar, algo pode estar a impedir que isso aconteça. Se você tem dívidas, compromissos ou problemas incapacitantes que não podem ser superados de forma viável, certamente  você vai encontrar dificuldades em atingir o que você quer para si. Se tiver obstáculos que se provam como difíceis de remover e impeçam que consiga atingir os objetivos pretendidos, pense numa melhor estratégia do que aquela que tem usado até agora.  Provavelmente a sua atitude até é positiva. No entanto, nada lhe vale ter uma atitude positiva se a estratégia estiver condenada ao fracasso.

Mas, se os obstáculos se comprovam como irresolúveis, infelizmente, você só tem que aceitar a sua situação e avançar para o que consegue mudar. Para o que depende de si, e da sua força de vontade para ir em frente e propor-se a fazer o que está ao seu alcance.

Verifique se os seus maiores obstáculos não serão o medo e as desculpas (que é apenas outra forma de medo). Isso precisa mudar. Não deixe que o medo o paralise. Ao fazer esta pergunta, você vai desenterrar medos e desculpas que podem estar a paralisá-lo. Reconheça esses medo e essas desculpas e faça algo para superá-los. Na verdade, você deve fazer as coisas porque está com medo de fazê-las. A melhor forma de suprimir o medo é enfrentá-lo. Se aprender a fazer isso, você vai ser imparável.

Abraço