Porque é que não consigo ser feliz? todos nós, de tempos em tempos fazemos esta pergunta. Se existe alguma coisa que nos une enquanto seres humanos, é o desejo de sermos felizes. Por certo, também todos nós gostamos de comer, dormir, e todas as outras necessidades básicas que nos unem. Existem mil e uma coisas que podem contribuir para a nossa felicidade, mas por alguma razão, subitamente todas elas perdem a sua importância, a vida tonar-se complicada de gerir, ficamos vulneráveis, angustiados e tristes. Este é o principio da nossa desesperança, da nossa infelicidade. Pelos meus anos de experiência, quer como ser humano comum, quer como psicólogo, posso constatar que ser feliz é algo muito fácil de realizar, desde que consiga acertar com as suas setas no alvo certo e que tenha as suas prioridades bem definidas.

Este artigo pretende relembrá-lo do quão acessível e possível é sermos felizes. Você pode aprender a ser feliz. Se já se sente uma pessoa feliz, certamente encontrará formas de tornar o seu humor consistente e promover o seu bem-estar. Se está a atravessar um momento menos bom e gostaria de voltar a sentir-se feliz, apresentarei algumas razões plausíveis de praticar. Para que possamos contextualizar o que aqui apresento, importa esclarecer o que entendo por felicidade:

Definição: Felicidade é o estado de ser em que experienciamos alegria.

Esta definição parece ser um pouco ampla, mas tem de ser. O estado de felicidade pode ocorrer em muitas situações e perante muitas circunstâncias. Pode ocorrer porque ganhou a lotaria ou porque está a assistir à sua série de televisão favorita. Independentemente de tudo, o único fator unificador é o sentimento de alegria. O problema e/ou caminho para a infelicidade começa quando deixamos que algumas coisas se coloquem no caminho da alegria e consequentemente tornamo-nos infelizes. Importa no entanto perceber que quando as pessoas dizem que são felizes nas suas vidas, usualmente não querem dizer que são literalmente alegres ou que experienciam prazer o tempo todo. O que elas querem dizer, é que após refletirem sobre o balanço de prazeres e  infortúnios, sentem que a longo prazo o saldo é bastante positivo.

DEIXE DE AUTO-SABOTAR A SUA ALEGRIA

Acredito que a principal razão para que as pessoas sejam infelizes é porque simplesmente não se deixam ser felizes. Obviamente, que esta afirmação parecerá um pouco simplista e aproxima-se daquilo a que chamamos cliché, mas não deixa de ser bastante pertinente. Um cliché é um cliché por alguma razão, certo? Seja, por duvidarmos de nós mesmos, focarmo-nos naquilo que os outros fazem, adiarmos um objetivo, fazer as coisas por fazer, não planejar, viver no “quase, ou tantas outras coisas em que podemos sabotar-nos a nós mesmos, tudo irá esbarrar no fato de estarmos a tomar o caminho mais árduo e longo acerca dos assuntos e assim cairmos nas malhas da infelicidade. Perdemos o foco nas nossas necessidade básicas e realizações pessoais e enveredamos por um caminho miserável.

ACEITE ALGUNS DOS SEUS CONTRATEMPOS

Um outro problema que se apresenta como um obstáculo à felicidade é que não estamos sintonizados com a condição humana. Nós perdemos tempo com preocupações acerca de coisas normais do dia-a-dia que fazem parte da vida. A não aceitação de algumas coisas que fazem parte da vida de todos nós, como a perda de algo, erros, fracassos e também as exigências sociais  e pessoais, como expectativas elevadas, perfeccionismo desmedido, comparação social, levam-nos a pensar nessas coisas vezes sem conta. Acreditamos que temos de analisar uma e outra vez, até que nos torne a vida num inferno.

Dica: Uma forma de ultrapassar este tipo de problemas é perceber que nem tudo tem de ser uma situação ideal ou da forma como nós queremos.

Este é um passo importante para se sentir muito mais contente com a vida. Se conseguirmos aprender a aceitar determinados fatos acerca de nós próprios e da vida, tal como aceitamos o fato do céu ser azul e a erva verde, o panorama será muito melhor. Não estou a querer dizer com isto, que deveremos submeter-nos à vida ou às nossas condições de vida, nada disso.  Mas, que existem coisas das quais não controlamos e que inevitavelmente acabarão por acontecer, nem sempre como queremos ou gostaríamos que acontecesse. No entanto, mesmo perante uma catástrofe, podemos decidir o que fazer depois das coisas terem acalmado. Ainda que com legitimidade, poderíamos eternamente lamentarmo-nos, mas nada ajudaria a melhorar a situação!

A minha intenção é transmitir que mesmo numa situação complicada e difícil é possível reestabelecer ou minimizar a situação e voltar ao caminho da felicidade e bem-estar. Independentemente da sensação de incapacidade que possa estar a passar ou a sentir, se conseguir colocar algumas coisas em perspetiva, verá que provavelmente também poderá recuperar aos poucos alguma alegria e permitir-se ser/voltar a ser feliz.

Alguns dos obstáculos que enfrentamos/criamos e/ou que se colocam na nossa vida serão mais fáceis de ultrapassar se os aceitarmos.  Aceite-se também a si mesmo, perceba que pode conseguir reestruturar-se, procurar ajuda, redefinir crenças e trabalhar na sua confiança e força interior. Todos nós, na grande maioria das vezes possuímos forças que desconhecemos. Tente perceber quais são as suas, procure ajudar-se a si mesmo. Tente não colocar-se numa posição de vitima eterna, de profeta das desgraças e dos infortúnios. Aceite, aceite-se, reaja, recomponha-se, aja, acredite, avance, a alegria está a caminho.

Vamos então por-nos a caminho da felicidade?

Sim, existem muitas pessoas que são felizes, é possível ser-se feliz. Mesmo para quem está a passar por dificuldades na vida, por muito que seja difícil acreditar, é possível melhorar o seu estado, é possível recuperar o seu estado de desesperança e tristeza. Muitas são as pessoas que partilham desse estado de felicidade e também todas elas apresentam algumas característica em comum. Não acredito que seja coincidência. Existem alguns tópicos que se expressam nas suas atitudes.

  • Não são excessivamente auto-conscienciosas
  • Não são excessivamente auto- conhecedores
  • Não são excessivamente preocupados
  • Não estão sempre à procura de respostas
  • Não se levam demasiado a sério
  • Vivem no presente
  • Conhecem e aceitam o seu lugar no mundo
  • Aceitam o fato de nem sempre estar no controlo das coisas

O  mais certo, é que também você pratique algumas destas coisas, ou tenha verificado isso em algumas pessoas, mas não juntou 2+2. Talvez ache esses comportamentos como demasiado simples, ou até mesmo pense que essas pessoas sejam demasiado simples. Mas, observe os pais a brincarem com os seus filhos, como lhe parecem? Observe as pessoas que gostam daquilo que fazem e que não correm atrás de uma promoção ou de mais dinheiro? Estas pessoas estão focadas no presente.

depressão

Claro que estas pessoas também pensam no futuro e certamente também o planejam, ou também tiveram um passado, e pensam nele, mas elas não vivem necessariamente por uma coisa que ainda não aconteceu, nem ficam paralisadas por algo que não conseguiram ou que correu mal. Não sacrificam a sua vida por algo que pode ou não vir a acontecer no futuro (refiro-me a algo que esteja a provocar mau-estar, ansiedade e medo), nem condicionam o seu presente por “fantasmas” do passado. Para aprofundar este assunto, pondere ler: Como quebrar o terrível hábito da preocupação?

ABANDONE O EXCESSO DE PENSAMENTO ANALÍTICO

Pensar, este ato deu-nos vantagem sobre todas as outras espécies, é um processo indispensável à gestão da nossa vida e consequentemente da felicidade. Num cenário de desvantagem e problemático, pensar é algo que aprendemos no sentido de encontrar soluções e evitar danos ou desapontamento. Nestas circunstâncias o pensamento é algo valioso e adaptativo. No entanto, o que acontece é que alguns de nós aplicamos isso a qualquer situação, pensamos, repensamos, avaliamos, projetamos todo o tipo de cenários, ao ponto de inibir qualquer alegria e satisfação. Ficamos tão preocupados que as coisas corram mal ou se tornem piores de tal forma que fechamo-nos no nosso pensamento. Como resultado, ficamos numa situação de incapacidade para fazer o quer que seja, ficamos congelados pelo medo que alguma coisa má possa acontecer. Pondere ler o nosso artigo: Medo, livre-se dessa sensação incapacitante.

Se você usa este tipo de pensamento, proponho-lhe que faça um esforço para de forma intencional enfatizar cenários positivos quando está a “analisar”. Provavelmente, nem sequer pensa nos melhores cenários possíveis que possam acontecer, ou pensa? Nem sempre tudo acontece como pensamos que venha a acontecer, se você se enquadra no tipo de pessoa que usa o pensamento catastrófico na grande maioria das vezes,  nem tudo está perdido. você pode simplesmente reverter esse tipo de pensamento com treino, dedicação e muita repetição de pensamentos orientados para a solução, pensamentos positivos. Pense positivo, insista no pensamento positivo.

Atenção: Relembre-se, intelectualização excessiva não quer dizer necessariamente que esteja a descobrir/perceber/resolver alguma coisa. Da próxima vez que perceber que está a accionar o pensamento catastrófico, accione também o pensamento positivo e tente encontrar alguns cenários favoráveis.

Evite ficar refém do seu próprio pensamento, crie o hábito de pensar  em soluções e agir, crie o hábito de pensar em soluções que possam contribuir para a melhoria do seu estado de humor. Deixe de dizer: Desculpe, eu não sei, eu não consigo.

DESESPERANÇA = INFELICIDADE

Acredito que uma das maiores causas para que as pessoas se sintam infelizes é quando elas se sentem impotentes para fazerem as coisas acontecerem como desejam. Por outras palavras, quando se torna óbvio para essas pessoas que não estão no controlo da sua vida. Mais uma vez talvez lhe pareça uma explicação muito simples, mas não é. Aborda a questão da perda de controlo, quando temos um grau de percepção de controlo reduzido sobre as nossas acções e/ou acontecimentos de vida, sentimo-nos impotentes, incapazes de levar a vida para a frente.

Por exemplo, digamos que a sua vida está  _______ e você está infeliz por causa disso. Não é por estar _______ que você está infeliz. Você está infeliz porque a sua vida está _______ e você pensa que não consegue fazer nada para alterar a situação. Se conseguisse fazer algo acerca do assunto, a sua infelicidade seria apenas um desconforto momentâneo.  Se você conseguir reconhecer que a razão pela qual está infeliz é porque pensa que é impotente e incapaz, será apenas uma questão de tempo até a sua confiança crescer. Pondere ler: 3 passos e 10 formas para construir a sua auto-confiança.

Quando se sentir em baixo e desesperançado, tente fazer o seguinte:

  • Mantenha a calma e avalie bem a situação (com cenários positivos e construtivos)
  • Tente perceber porque razão se sente impotente
  • Pense sobre o que pode fazer para mudar e melhorar a situação
  • Formule um plano
  • Coloque o plano em acção

Ainda que no início algumas das coisas a que se propõe possam não dar certo, não desespere. Agora, já sabe algumas coisas que pode fazer (fazer um esforço para mudar as coisas), persista, certamente irá encontrar uma forma de melhorar a situação. Não lhe quero transmitir a ideia que é fácil, mas pode eventualmente não ser tão difícil como pensa.

Opinião: Se conseguir ultrapassar os seus sentimentos de impotência, você será capaz de vencer a sua infelicidade.

Todos nós nos sentimos mal acerca de alguma coisa em determinada altura da nossa vida. Este sentimento é humano. A diferença é que algumas pessoas sabem que não é permanente. Estas são as pessoas que aumentam a probabilidade de serem felizes. Aceite que por vezes as coisas na sua vida complicam-se e tornam-se um fardo, mas também por vezes as coisas correm de feição e tornam-se maravilhosas. Agora que sabe quais os sentimentos que estão na raiz da infelicidade, não há nada que o possa impedir de seguir em frente. Seja feliz.

Não esqueça: Você só não tem esperança para mudar a sua situação a não ser que se permite a isso.

Na minha Palestra em Vídeo: “Motivação, Equilíbrio Emocional e Felicidade” apresento uma perspectiva construtiva do que pode fazer, como pode fazer e o que pode contribuir na ajuda aos seus problemas através de um processo inovador de regulação emocional.

Clique na Imagem em baixo para adquirir:

palestra-motivacao

E VOCÊ, O QUE O IMPEDE DE SER FELIZ?

Gostaria imenso de saber as razões que o impedem de ser feliz. Com as respostas dos leitores, criarei um artigo com as coisas que mais impossibilitam a felicidade, e teria todo o gosto em compartilhar os seus pensamentos, ainda que de forma anônima. Pretendo depois partilhar também os meus conhecimentos e as estratégias que considero serem mais indicadas para a resolução desses problemas!

Abraço