Para seguirmos alguém, para seguirmos um modelo, um líder, uma doutrina ou religião, um partido político, um atleta, temos impreterivelmente de acreditar, de acreditar profundamente. Algo nos deslumbra, mexe com o nosso ser, faz sentido e inspira-nos, por vezes funciona como um guia que orienta-nos em algumas áreas da nossa vida ou mesmo na sua totalidade.  E no que diz respeito a ser seguidor de você mesmo, já pensou alguma vez nisso? Provavelmente como eu e tantas outras pessoas, damos isso por garantido.

Exemplo: “Claro que sim, então não deveria de acreditar em mim, eu faço aquilo que penso, faço aquilo que desejo”.

Será mesmo assim, teremos todos nós este pensamento? Seguimos mesmo os nossos ideais, apoiamo-nos e acreditamos em nós, nas nossas forças e virtudes? Pense em todas aquelas vezes em que não conseguiu fazer aquilo a que se propôs, pense nas coisas que acha que são boas para si e não as consegue seguir e executar. Aquelas coisas que deseja conseguir fazer e vai protelando, será falta de auto-disciplina?

força de vontade

REFORCE A SUA FORÇA DE VONTADE

Seguir aquilo que queremos, que achamos que é bom para nós, estabelece uma forte relação com a força de vontade e auto-disciplina. Auto-disciplina, vem da palavra “discípulo”. Quando você é auto-disciplinado, é porque decidiu por motivo da sua força de vontade, tornar-se no seu próprio discípulo. Assim que você tome essa decisão a sua vida torna-se mais significativa, aumenta o seu senso de autonomia, controlo e realização. Você começa a olhar para si mesmo como sendo virtuoso. Ganha algo de extraordinário, que é o auto-respeito. Passa a levar-se em consideração, aumentando desta forma o apreço das suas próprias forças e virtudes. Aumenta a sua auto-estima e segue os seus interesses, necessidades, desejos, sonhos, compromissos e objetivos.

Cada vez que em consciência decide dizer não a uma tentação que sabe que lhe é prejudicial, cada vez que se ”obriga” a fazer algo que lhe é difícil mas proveitoso, reforça a sua força de vontade. O poder de conseguir vencer algo a que se propôs, volta para si, reforça a sua força de vontade. Consegue instituir a auto-disciplina, vai pouco a pouco acreditando que consegue ser seguidor de si mesmo. Que consegue seguir e orientar a sua vida por aquilo que constitui os seus valores. Vai pouco a pouco criando um modelo de si mesmo, que se espelha nas suas escolhas, escolhas estas que se concretizam por ação da sua força de vontade para fazer aquilo que lhe serve.

Ao disciplinar-se transforma-se no seu próprio discípulo. Segue as suas ideias, os seus ideais, as suas forças e virtudes, movimenta-se na vida com grande orientação e segurança, pois segue em direcção ao que traçou para si. Segue em direcção ao que pretende, inspirando-se em si mesmo.

Para aprofundar este assunto, pondere ler o artigo: Força de vontade, uma decisão que depende de nós

ADICIONE UM PROPÓSITO À SUA VIDA

A energia vem do propósito. Se o lado esquerdo do seu cérebro transmitir informação para o lado direito sobre uma situação limite, de risco ou de desafio, o lado direito acciona os mecanismos que fazem com que seja disponibilizada grande quantidade de energia, por vezes energia sobre-humana. É devido a este processo que existe grande diferença entre as pessoas que estabelecem e atingem os seus objectivos todos os dias, e aquelas pessoas que fazem apenas aquilo que se atravessa no seu caminho. Enquanto algumas pessoas estão constantemente a adicionar propósitos à sua vida, para as outras pessoas aquilo que existe é aborrecimento e confusão, os dois grandes factores de drenagem de energia.

Se você souber aquilo que está disposto a fazer, e porque é que está disposto a fazer, uma grande quantidade de energia fica disponível sentido-se motivado para a ação. Pelo contrário, não ter um propósito tira-lhe toda a motivação. Caso você não saiba qual é o seu propósito, provavelmente será porque  ultimamente não tem parado para se escutar a si próprio ou não sabe de onde pode vir o seu propósito. O nosso propósito de vida vem sempre do nosso interior, do nosso espírito, vem das questões que colocamos a nós mesmos sobre o que queremos fazer com a dádiva da vida.

ORIENTADORES DE VIDA

Os nossos sentimentos servem-nos como orientadores na vida, estão sempre prontos a informar-nos sobre o que gostamos, sobre o que nos dá prazer ou nos coloca bem dispostos, ou pelo contrário, o que nos causa transtorno, ansiedade, depressão, descontentamento, frustração. Todos estes estados sentimentais servem-nos como bandeiras de sinalização num dia de nevoeiro, estão sempre prontos a indicar-nos o caminho a tomar. Desta forma as emoções e sentimentos são uma forma útil para sabermos o que queremos na vida. Mas só isto não basta! Aquilo que nos diferencia das restantes espécies de seres vivos são os valores culturais que a nossa sociedade nos transmite através da educação. Os nossos valores são um construto muito forte  que nos influenciam nas decisões do dia-a-dia. Outro conceito a levar em consideração são as virtudes, todos  nós na nossa experiência de vida desenvolvemos competências e forças de carácter que nos diferenciam enquanto indivíduos únicos.

A reter: As emoções, sentimentos, valores e virtudes de cada pessoa são o substrato necessário para conseguirmos clarificar o nosso propósito de vida.

FOQUE-SE NO SEU ALVO

Aquilo que é significativo para cada um de nós, mobiliza-nos a energia e faz-nos movimentar de forma intencional para um objectivo. Com este objectivo intencional em mente a vida transforma-se, e vislumbramos um futuro esperançoso, alegre e enérgico. Devemos sempre ter um alvo no qual possamos focar a nossa atenção. Só assim poderemos aferir o nosso tiro, só assim aprendemos a alinhar o nosso arco com o objectivo. Se não tivermos alvo para focar a nossa atenção iremos disparar setas sem intenção. Iremos fazer coisas sem um propósito, nunca sabendo em que alvo acertar nem a forma eficaz de o fazer.

Dica: Com um propósito em mente, a força de vontade amplifica-se na direção do alvo estabelecido.

Estabeleça intencionalmente o seu alvo, trace de forma intencional o seu caminho, faça os ajustes necessários e seja persistente até ter a perícia necessária para ser bem sucedido.

Com um propósito em mente, a motivação emerge no sentido de acreditar que vale a pena todos os esforços para seguir o seu objetivo, para se orientar e seguir a si mesmo na estrada da vida. Acredite em si. Seja o seu próprio discípulo.

Abraço