Ultrapassarmos dificuldades na nossa vida, desde um simples medo, como por exemplo, medo de falar em público à superação da morte de um ente querido, é sem qualquer dúvida algo que envolve uma enorme reestruturação pessoal. Envolve um processo por vezes doloroso, trabalhoso, de dúvidas, angústias, tristeza e muita coragem para enfrentar o que nos causa mal-estar. No entanto, muitas são as pessoas que conseguem seguir em frente, encontrar um novo significado, acabando por triunfar.

Mas como podemos triunfar perante a perda, o infortúnio, a dificuldade, a incapacidade e o desespero? Como podemos triunfar quando a vida fica virada do avesso?

INVISTA NA  SUPERAÇÃO

Não é fácil, mas pode ser feito. Na verdade, quando analisamos a história de pessoas que triunfaram sobre a adversidade e o abalo, encontramos alguns dos seus segredos. John W. James e Russell Friedman no livro: The Grief Recovery Handbook, referem que as pessoas que conseguem restabelecer a sua vida, esforçam-se por isso. Trabalharam duro, e investem na sua superação até triunfarem.

Aqui mesmo no blog, existem testemunhos de pessoas que superaram as dificuldades e alguns problemas da sua vida. Descrevi isso no artigo: Existe esperança depois da derrocada e fracasso, espalhe a palavra

Usualmente muitas pessoas têm dificuldade em avançar devido ao peso acumulado da perda não superada. As velhas feridas vão ficando mais pesadas ao longo do tempo. A pessoa vai sentindo cada vez mais dor, não menos. Ressentimento, medo, amargura, tudo isso vai ficando cada vez mais enraizado. Quando você experimenta uma perda, uma profunda tristeza, e não lida com esse sofrimento, não cuida de si e não procura uma forma de melhorar, é como quebrar um osso e esperar que cure por si mesmo. Isso chama-se de autosabotagem. Não vai curar corretamente. Com o passar do tempo a dor aguda pode dissipar-se, mas a funcionalidade completa de movimento nunca é restaurada.

Quando você faz o seu “luto”, ou aprende a lidar de forma eficaz com a situação, ou em última instância procura ajuda adequada, não só aumenta a probabilidade de recuperar a sua funcionalidade de vida, você realmente promove uma maior mobilidade emocional e espiritual e flexibilidade de pensamento. Você é capaz de seguir em frente e eventualmente até conseguir coisas que não conseguiu atingir antes da sua perda. Por vezes, algumas pessoas beneficiam do crescimento pós-traumático.

O crescimento pós-traumático surge com as ações corretas, o lado positivo do desapontamento e da tristeza faz emergir uma nova visão e uma renovada energia que dá lugar à alegria e esperança na vida. O trabalho de quem está em sofrimento é libertar-se da angústia do passado.

Leia: Curar o passado, resignifique os acontecimentos traumáticos numa história capacitadora

Quando você consegue ultrapassar os acontecimentos e mágoas do passado, atingindo um patamar de estabilidade emocional, porém, você pode sentir que está numa zona incómoda.Você pode encontrar dificuldades no apoio para o seu “trabalho de superação” entre o comum dos mortais. Isso porque a nossa cultura ensina-nos em como “alcançar as coisas” e não em como lidar com a situação quando perdemos algo ou alguém. Ainda que esta abordagem seja compreensível, perante a perda e infortúnio tornar-se numa desvantagem.

triunfar

Mas atenção, porém, a superação e consequente triunfo é possível. Há “segredos”  e estratégias que você pode usar para ajudar a si mesmo. Apresento algumas maneiras de transformar a adversidade em superação e triunfo:

SEGREDO 1

As pessoas que triunfam não seguem em “rebanho”. Nem todo mundo que você conhece irá “entender” porque está intencionalmente a trazer à tona “coisas velhas.” Não importa que assim seja. Você não precisa da aceitação dos outros para valorizar a importância do trabalho que está fazendo para superar aquilo que o atormenta. Esta falta de apoio pode fazer com que você se sinta a caminhar contra a multidão. Na verdade até pode estar. As pessoas que triunfam em qualquer domínio usualmente caminham contra a multidão. Você não precisa do apoio de todos, apenas de alguns amigos dedicados ou de um profissional qualificado. É usual ouvir dizer: “Não penses mais nisso” ou “coloca tudo para trás das costas” ou “a vida é injusta”. Como se fosse um dado adquirido que algo de terrível desapareça com um estalar de dedos. Desengane-se, isso não acontece dessa forma.

Na generalidade, quase de forma inconsciente a mensagem que vamos passando uns aos outros expressa-se na seguinte frase:

“Somos feitos de carne, mas temos de viver como se fôssemos de ferro.” – Sigmund Freud

Mas não temos de viver como se fossemos de ferro. Nós somos humanos e como tal é importante pensar acerca das coisas, dar-lhes a atenção que merecem. Para depois, enquanto seres emocionais, encaixarmos de forma saudável os acontecimentos que constituem a nossa história de vida.

leia: 007, Permissão para ser humano

SEGREDO 2

Sinta a sua dor e depois deixe-a ir. É importante analisar o impacto daquilo que sente, para que possa dar o passo seguinte, que é aceitar a sua dor. Ao aceitar a sua dor, ao tentar compreendê-la como algo inevitável, vivência-a, percebe a ligação que ela tem relativamente ao que você valoriza. Mas, promove igualmente um conjunto de ações construtivas para que consiga voltar a sentir-se bem. Ao trabalhar a sua dor, ao olhá-la de frente, certamente irá perceber que é possível avançar na sua vida, mesmo que no início seja penoso por sentir dor. Mas pouco a pouco, essa dor vai desaparecendo, passando a ser uma memória de um acontecimento passado, bem resolvido.

Leia: Tristeza, qual o seu propósito?

SEGREDO 3

Dê tempo ao tempo. Todo mundo quer saber quanto tempo leva até ultrapassar o seu mau momento. A resposta adequada, é “depende”. Depende da natureza da dor. Depende do apoio que você tem. Depende da sua “história de perda” e quanto a perda atual faz disparar velhas feridas. O tempo de recuperação ou superação que fará você triunfar sobre os acontecimentos, está fortemente relacionado com aquilo que você faz para voltar a sentir-se bem. Não cometa o erro de prematuramente querer sentir-se bem. Perante uma adversidade, a persistência e a capacidade de aguentar o sofrimento faz parte do seu triunfo.

Leia: Tem um problema? Deixe de ser o seu próprio carrasco

SEGREDO 4

Persista na aceitação e na libertação da dor. Em algum momento, durante o processo de recuperação em que você investe energia, esforços e ações é natural que possa ficar cansado de lutar, e pense em desistir. Por vezes abandonar o sofrimento parece ser algo paradoxal, pois você sente-se magoado ou dilacerado e isso parece ser o mais razoável de sentir. Tal como referi anteriormente é importante sentir, é importante não renegar os sentimentos ligados aos acontecimentos angustiantes. No entanto, quando você se esforça para ultrapassar o sucedido é preciso manter-se firme no seu objetivo. Mesmo quando já julgava ter ultrapassado a situação e a mágoa se faz sentir novamente, mais que nunca é necessário aceitar isso como fazendo parte do processo triunfante. Isto pode parecer complicado, porque você pode sentir-se desleal para consigo mesmo por deixar o seu sofrimento para trás. Mas, a razão pela qual você vai ser capaz de seguir em frente é porque isso é possível.

Leia: Porque razão desistimos dos nossos objetivos?

SEGREDO 5

Encontre as dádivas do seu sofrimento. O quê, dádivas? Provavelmente você ficou indignado. Como pode você encontrar dádivas no sofrimento, no recuo ou na perda? Sugiro que procure o lado positivo escondido dentro da sua tristeza. Comece com gratidão e apreço. Faça uma lista de todas as coisas que as suas tristezas e perdas lhe ensinaram sobre a vida. Esta lista pode incluir novas relações, novos entendimentos, relativizar as coisas, qualquer coisa que você ganhou ou aprendeu por causa da sua perda. Se você decidir reclamá-los, certamente irá descobrir uma forma de retirar algum tipo de enquadramento positivo para a sua vida.

Leia: O lado oculto da felicidade

SEGREDO 6

Promova o seu legado. As pessoas que triunfam, eventualmente, acabam por compreender que a sua experiência é imensamente útil para os outros. No mínimo, você sabe como ajudar outra pessoa a ultrapassar as experiências idênticas à sua. Reflita sobre o assunto e perceba qual pode ser a melhor maneira de valorizar o seu sofrimento. O que pode retirar de útil para que outros possam igualmente triunfar.

Se você persistir, certamente encontrará um caminho para o triunfo. E isto leva-nos ao último segredo das pessoas que triunfam:

SEGREDO 7

As pessoas que insistem em triunfar, triunfam. Você não pode controlar um conjunto de coisas terríveis susceptíveis de lhe acontecerem na vida. Mas você pode decidir a forma como reage ao que lhe acontece.

Leia: Flexibilize-se, adapte-se e tire vantagem da mudança

Abraço