Há muitas lições que podemos aprender com os esportes, como por exemplo, jogar de acordo com as regras, não fazer batota, perder com honra, aprender a estabelecer objetivos, criar um programa de treinamento para alcançar o que se deseja, manter a compostura perante a pressão, trabalhar em equipe, superar a derrota, entre muitas outras aprendizagens. Toda a minha vida estive ligado ao esporte, primeiro como atleta, depois como treinador e na atualidade como psicólogo, e afirmo categoricamente que os mecanismos psicológicos que um atleta de elite tem de desenvolver, em muito se assemelham aos mecanismos psicológicos que necessitamos para nos fortalecermos emocionalmente com o fim de alcançarmos os desafios a que nos propomos e que a vida nos vai apresentando.

Muitos desafios que enfrentamos na vida assemelham-se aqueles que enfrentamos no esporte. Se queremos alcançar um resultado ou desempenho de excelência, precisamos de um plano para chegar lá, temos que correr riscos, temos de superar os nossos medos e dúvidas, e temos de ultrapassar obstáculos inevitáveis inerentes ao treinamento e competição. A estratégia mental (ou jogo mental) que se fala nos esportes aplica-se a muitas áreas da vida. Qualquer coisa que você pretenda alcançar começa com uma estratégia mental.

Em seguida apresento três maneiras para você desenvolver as suas estratégias mentais na hora de estabelecer objetivos exigentes na sua vida: 

Separe o resultado do processo

É muito fácil ficar-se focado apenas no objetivo e esquecer o processo que é preciso para chegar lá. Afinal de contas, nós prestamos atenção às vitórias, não para as quase vitórias. Os atletas são pagos para ganharem, e no mundo esportivo assim como no mundo corporativo, o resultado final é o que mais importa. E de acordo com esta mentalidade, as pessoas estão muito mais preparadas para se concentrarem no que elas realizam, do que no processo para chegar lá. No entanto, esta estratégia simplesmente não funciona muito bem quando se trata de alcançar elevados desempenhos. A principal razão é que há apenas uma coisa que você tem controle sobre, e não é se você ganha ou não. Antes de algo acontecer ninguém tem certeza absoluta de nada. A única coisa que você realmente tem controle sobre, são as suas ações, é aquilo que você faz, como você responde, como você treina, e, finalmente, o seu desempenho.

E, por vezes, mesmo que você tenha o melhor desempenho de sempre, pode não ganhar. Mas isso faz parte do jogo, faz parte da competição, faz parte da vida de todos nós. E o jogo está sendo jogado para que se possa ficar melhor. Se estamos a falar de um esporte (como ténis ou futebol), uma carreira, uma realização pessoal (como escrever um livro), ou apenas o jogo da vida, antes que você consiga ganhar qualquer coisa, tem que aprender a jogar ou a desempenhá-la. Você tem que aprimorar as suas habilidades. Você tem que aprimorar o seu serviço, o seu chute, e sim, você tem que aperfeiçoar a sua estratégia mental. Então, ao invés de concentrar-se em ganhar ou perder, você deve concentrar-se no processo de jogar o jogo ou praticar determinada habilidade. Concentre-se em aprender as habilidades necessárias para a eficácia daquilo que pretende realizar. Se você se concentrar no processo de aperfeiçoar as suas habilidades e competências, o resultado irá acontecer por si mesmo. Você nunca influencia o resultado, mas si a si mesmo, às suas habilidades e aquilo que lhe compete realizar.

Para aprofundar o assunto, leia: Resultados de excelência, foca-te no processo e o resultado manifestar-se-á

força mental

Separe a pessoa do resultado

Para as pessoas que fundiram todo o seu ser aquilo que realizam, fica muito fácil definirem-se por aquilo que fazem. Na grande maioria das vezes, estas pessoas resumem a sua identidade ao que realizam, pode ser a profissão ou ser atleta. Ser excecional em qualquer coisa, afinal, requer uma quantidade enorme de tempo, dedicação e investimento. Os grandes nomes, em algum momento da sua vida tornaram-se tão imersos com o que faziam, que isso se tornou naquilo que eles eram. No entanto, enquanto a motivação e ímpeto para se alcançar resultados de elevado nível seja realmente um premissa, se você não se prepara para quando as coisas não saem do seu jeito, o seu mundo pode ruir. Porque, se o que você está fazendo torna-se quem você é, quando as coisas dão mal, você vai sentir-se como se não tivesse valor algum. Você vai sentir-se como se você, como pessoa, tivesse falhado.

Mas no jogo mental da vida, você, a pessoa, não é o resultado que alcança. O resultado é o esporte, a pontuação, o negócio, a proposta, ou o novo relacionamento, e estas coisas podem ou não acontecer da forma desejada. No entanto, a pessoa, quem você é, é tudo o resto, ou seja, continua a ser todas as outras áreas da sua vida. Você define-se por muitas coisas e não apenas por uma área da sua vida, em que investe muito do seu tempo e energia. Mesmo que isso seja uma parte bastante significativa, você ainda tem os seus valores, você tem a sua honra, você tem as suas habilidades, inteligência, amigos, familiares. Todas essas coisas não mudam, simplesmente porque as coisas não saem do jeito que você deseja. A fim de aperfeiçoar as suas estratégias mentais (jogo mental), você tem que ser capaz de separar quem você é de como as coisas estão acontecendo. Tem de ser capaz de detetar falhas em alguma parte do processo que deveria conduzi-lo ao resultado pretendido, e não tornar-se definido pelas falhas, recuos ou dificuldades.

Molde a sua mente para o sucesso

Se deseja ter sucesso em algo, você tem de tornar isso real no seu dia a dia. Você tem que treinar-se para pensar, agir, sentir e reagir como uma pessoa bem sucedida. Em última análise, você tem que condicionar a sua mente para acreditar que o sucesso vai acontecer. Isso começa com as rotinas e hábitos que você realiza diariamente. Todas as pessoas de sucesso, especialmente grandes atletas, têm rotinas que usam todos os dias, sem falta, para criar o estado de forma ideal para a competição. Tudo o que eles fazem a partir do momento que se levantam da cama, o que comem, com quem falam, como eles treinam, e o que eles dizem para si mesmos, é tudo pensado para se prepararem no sentido de aumentarem a probabilidade de terem sucesso.

Alguns têm o hábito de anotar o seu objetivo de forma bem visível (por exemplo na porta do seu quarto), para que possam olhá-lo uma vez todas as manhãs e uma vez a cada noite. “Vou publicar um livro. Vou ganhar nos Jogos Olímpicos. Vou correr uma maratona.” Outros usam a visualização, criando imagens do serviço perfeito, uma venda extraordinária, um livro editado, e repetem estas ações massivas, até que a sua mente comece a encarar isso como real. Outros criam rotinas que são planejadas para criar um estado mental positivo.

Por exemplo, Andy Murray (jogador de ténis) usa uma lista motivacional para recordar-se de alguns aspetos importantes para se colocar no seu estado ótimo de competição:  

1. Sê bom para ti mesmo.
2. Dá o melhor de ti.
3. Sê intenso com o teu “jogo” de pernas.
4. Sé proativo durante os pontos.
5. Concentra-te em cada ponto e no processo.

O que todas essas coisas contidas na lista do Andy Murray fazem é programar a mente para o sucesso. Este tipo de lembretes ou estratégias psicológicas podem ser aplicadas no seu dia a dia, ou também na hora de ter que realizar o seu desempenho. Este processo torna-se fundamental para condicionar a sua mente a estar focada naquilo que importa para vir a ser bem sucedido. Quanto mais a sua mente começar a acreditar no sucesso, mais criará os hábitos que fará você chegar lá.

Dica: O que quer que você pretenda alcançar, dentro ou fora do recinto esportivo, começa com uma estratégia mental bem trabalhada.

Abraço,

Miguel Lucas